A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/01/2011 09:20

Secretário mantém linha-dura e diz que não olha nem na cara de grevista

Aline dos Santos e Márcio Breda

A prefeitura de Campo Grande mantém linha-dura em relação à greve dos agentes de saúde pública e controle de epidemiologia. A paralisação chega ao décimo quarto dia sem nenhum sinal de entendimento.

“Não vamos nem olhar na cara dos agentes em greve”, afirma o secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina Martins. A declaração se alinha à postura da prefeitura, que dará início à negociação somente dois dias após o fim da greve e se todos os agentes retornarem ao trabalho.

A greve foi declarada ilegal e abusiva pela justiça, que fixou multa de R$ 25 mil para Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública em Campo Grande em caso de descumprimento da decisão. Na mesma ação, a prefeitura pede que a multa seja extensiva aos agentes. “Não podemos aceitar uma greve considerada abusiva”, salienta o secretário. O sindicato representa cerca de 630 agentes. “A greve não tem adesão nem de 50% dos servidores”, afirma Martins.

A prefeitura criou comissões e instaurou processo administrativo contra os sindicalistas e 355 agentes. Os grevistas também terão o ponto cortado. Os agentes reivindicam aumento salarial de R$ 700 para R$ 2.100.

Dengue - Os servidores atuam no combate à dengue e a greve coincide com o período de chuvas e calor, favoráveis à proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

Hoje, no CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), a prefeitura formaliza a parceria com o CMO (Comando Militar do Oeste), que vai disponibilizar 100 homens do Exército para atuar no combate à dengue e leishmaniose em Campo Grande.

A parceria já foi realizada em 2007, no auge de uma epidemia de dengue. Conforme Leandro Mazina, o apoio do Exército não é em função da greve dos agentes. “A parceria foi feita em novembro, portanto, antes da greve”.

Prefeitura quer que agentes também paguem multa por greve ilegal
O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), divulgou nota de esclarecimento sobre a greve dos agentes de saúde pública e controle de epidemiolo...
Agentes de saúde registram B.O contra presidente do sindicato
Elas alegam ter sofrido ofensas e constrangimento em públicoTrês agentes de saúde que não aderiram à greve da categoria registraram ontem boletim de...
Greve dos agentes pode interferir em programa de combate à dengue
Paralisação ocorre em momento inoportunoApesar de a greve dos agentes de saúde de Campo Grande, que hoje completa hoje 10 dias, ser um problema rela...
Sindicalistas sofrem processo disciplinar
Procuradoria-Geral abriu processo disciplinar contra 3 grevistas. Além da convocação pela Prefeitura de 355 agentes de saúde e de controle de epidem...


É O NEGOCIO TA FICANDO FEIO, MAS ISSO TUDO SERIA DIFERENTE SE ESTIVÉSSEMOS EM ANO ELEITORAL, MAS COMO NÃO ESTAMOS ESSES AGENTES VÃO TER QUE TER MUITO PULSO FIRME, POIS AS ELEIÇÕES SÓ SERÃO DAQUI A 2 ANOS, OU SEJA, A PREFEITURA VAI VIRAR AS COSTAS PARAS OS AGENTES MAIS NO ANO QUE VEM VAI FICAR AI ENCHENDO O SACO PEDINDO VOTO. QUE DEUS ESTEJA C0M VCS E QUE ENTRE EM UM ACORDO O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL A POPULAÇÃO PRECISA DE VCS MAIS ENTENDEMOS A SUA POSIÇÃO AGENTES.
 
adalta ferraz em 17/01/2011 12:05:40
gostaria de fazer um apelo enquanto cidadão!


Foi o tempo em que funcionários conseguiam suas conquistas com movimentos grevistas,ísso não funciona mais, conforme informação da midia, a data base para discutir reajuste salarial da categoria, será daqui à tres meses ou seja mes de abril, porque não esperar, na vida tudo tem seu tempo; aproveitar a época de maior proliferação do mosquito transmissor da doença (dengue), para iniciar um movimento de paralisação, não é muito recomendado; a população não vê com bons olhos, ísto porque o mais prejudicado é éla; todos sabem que greve uma vêz declarada como ilegal pela justiça, as consequencias deste ato, são funestas, podendo o empregador mandar funcionários pra rua, cortar os dias parados, cobrar a multa determinada pela justiça ao sindicato e funcionários; estas punições acertam em cheio aqueles funcionários concursados e que ainda se encontram em estágio probatório.

Gostaria de pedir, enquanto cidadão aos diretores do sindicato dos trabalhadores em saúde pública, previdência e assistência social (sintesp), que aconselha os funcionários a retornarem ao trabalho, porque a população não pode ficar prejudicada. Pela minha experiência, posso afirmar que essa atitude de paralisação destes funcionários, é um suicidio funcional; nunca deve-se empurrar para a vala comum funcionários sem estabilidade, aí fora emprego está difícil e quando encontra, paga-se apenas o salário minimo; nosso prefeito está bastante tolerante, se fosse outro já havia tomado as providências que o caso requer.
 
periperis rodrigues do prado em 17/01/2011 11:23:48
olhe o nível do secretário: “Não vamos nem olhar na cara dos agentes em greve”, afirma o secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina... Um absurdo esses representantes do povo não respeitarem a decisão de greve, de reividicar aumento e não respeitar os pedidos de seres humanos que ralam no sol dia-a-dia para cuidar da saúde da capital!
 
eduardo campos em 17/01/2011 10:27:27
Penso que todos nós devemos lutar por melhores salários e condições de trabalho. Isso é fato. Entretanto, na mesma dimensão dos nossos direitos temos nossos deveres. Uma greve deflagrada em um momento tão crítico como esse, de epidemia de dengue, mostra o total descaso e descompromisso com a responsabilidade que assumiram quando foram empossados. Realmente não merecem o crédito que fariam jus se fosse mais responsáveis.
 
Rosângela Silva em 17/01/2011 10:14:40
qdo os agentes foram prestar o concurso,ele ja tinham conciencia q o salario era baixo,agora c essa alta da dengue eu acho q eles tinha q ter conciencia ou pedir demissao p dar vaga p outros q estao na espera .
 
maira mendes em 17/01/2011 10:08:56
Desde q o mundo é mundo a relação entre capital e trabalho sempre teve conflitos.Por um lado entendemos as reivindicações dos trabalhadores dos que achamos legítima mas não justa pois "Condição não é ter para fazer e sim fazer para Ter".É preciso os agentes analisarem seus líderes sindicais.Por outro lado está o capital q tem gerisa em falar de aumento,mas sabemos q o gerenciador tem várias formas de conduzir o conflito sem arrogância"não quero nem olhar na cara"-melhor rosto dos grevista.Administrar é isso histórico na mão de ambos os lados que arrumam a solução.
 
daniel mamedio do nascimento em 17/01/2011 10:06:14
É assim que a prefeitura de Campo Grande trata seus já maltratados servidores, recorrendo ao Poder Judiciário antes de abrir diálogo, sem "olhar na cara de grevista", perseguindo lideranças sindicais com a instauração de processos administrativos. Os agentes de saúde pública e de controle epidemiológico só querem melhores condições de trabalho, uma remuneração justa para atender suas necessidades e de suas famílias. Valorizá-los não significa mais gastos, mas sim mais investimentos em saúde preventiva, tão deficitária na capital. Uma Campo Grande mais humana requer um governo democrático, que ao invés de tentar calar os movimentos sociais vai escutá-los.
 
Mario Cesar Fonseca da Silva em 17/01/2011 10:02:28
para os que só sabem criticar e querem as vagas dos agentes de saude e porque nao e eles que trabalhao de sol a sol tá com do do prefeito vai faser trabalho voluntario reune a madalenacentruriao,maria mendes,rosangela silva,periperis rodrigues e os demais e vao ajudar no combate a dengue ao inves de ficar falando bo bagem
 
hevrer calixto benevides em 17/01/2011 08:13:24
Nao concordo com o depoimento das pessoas q criticam os agentes. esses ja estao sofrendo muita pressao pela coragem de enfrentar o poder da prefeitura, e saberem que estao arriscando seu trabalho, ou os dias parados. A esses críticos pesso que reflitam um pouco! VOCE E SUA FAMILIA CONSEGUIRIA VIVER COM $700,00 POR MES!?'
 
Janaina Santos em 17/01/2011 05:40:32
Sobre a data base, o prefeito vai dar de aumento em média 5% PARA TODO O FUNCIONALISMO em maio, oque foi proposto desde março do ano passado e agora com a greve, é que seja pago oque pertence aos agentes,enviado pelo GOVERNO FEDERAL,então não se trata de aumento e sim de reposição, não tendo nada a ver com data base.
 
Walmir Fernandes Da SIlva em 17/01/2011 05:34:16
eu acho se o agente nao querem trabalhar, de lugar a outras pessoas que querem trabalhar que tem uma fila querendo entrar, se resolve logo agente ou prefeito nao pode ficar assim!
 
madalena centruriao em 17/01/2011 05:08:40
Por que os agentes de saúde pública do município ganham R$ 750,00 por mês e os agentes de saúde pública da funasa - Fundação Nacional de Saúde, cedidos ao município ganham R$ 3.500,00 a R$ 4.000,00 por mês para fazerem exatamente o mesmo serviço? Isso é justo?
 
Ricardo Brandão em 17/01/2011 04:40:12
Mario Cesar quero infomar ao senhor que eles não são sindicalistas, quero dizer tambem que esses funcionarios querem ser inganados pelo canto da sereia, e pior que o tal de AMADO, fica pondo na cabecinha deles que o prefeito não tem pulso firme e não aguenta pressão eles tem sorte porque se fosse o Andre já estavão todos demitidos. Para terminar cade o PPS que não ajuda, AAAAATTTTTHHHHHHHHAAAAAAYYYYYYDDDDDEEEEE CADE VOCE.
 
abraao do nascimento em 17/01/2011 03:34:51
acho o seguinte, não esta feliz com o emprego arrume outro. Qdo se presta concurso se aceita tudo...concorda-se com tudo, depois ficam ai fazendo greve e atrapalhando a população... qdo não tinha agentes de saude era melhor sabia...pq o do meu bairro no copha união a meses nem aparece lá. Belos agentes..demiti tudo por justa causa..e pronto, existem milhares de pessoas querendo o salario deles... Façam o favor... vão trabalhar... o povo ta ai trabalhando de seg. a sabado ganhando salario minimo...se é assim VAMOS FAZER GREVE BRASIL...
 
Ana Gonçalves em 17/01/2011 03:09:09
Se os agentes ''perderem'' essa greve poderão até voltar ao trabalho, mas a população que se prepare!
 
carlos cunha oliveira em 17/01/2011 03:07:31
Com a municipalização de vários serviços da saúde do SUS, é chegada a hora de implantar-mos uma medicina preventiva no Brasil, mais barata e justa.

Acontece que as atuais gerencias do SUS são médicos, isto ressulta em uma exaltação da profissão e de seus salários.

A medicina preventiva é multidisciplinar, mais barata......mas para isso termos que "diminuir" a importância da medicina curativa, a "prescritiva" aí como ficaria os laboratórios? os médicos de receita de bolo, que adoram é prescrever.

Acorda Brasil.
 
Juarez Souza em 17/01/2011 02:21:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions