A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 15 de Setembro de 2019

18/08/2019 13:43

Pelo 3º dia, fumaça atinge condomínio e moradores "fogem" para hotel

O fogo na vegetação começou na sexta-feira e desde então eles estão tendo problemas respiratórios

Maressa Mendonça
Moradores se uniram para tentar resolver situação (foto: Paulo Francis)Moradores se uniram para tentar resolver situação (foto: Paulo Francis)

Moradores do Alphaville, em Campo Grande, tiveram de deixar o conforto das residências na noite de sábado (17) para dormir em hotéis ou na casa de parentes.

O motivo é a fumaça de uma queimada nas proximidades que está tirando o sono de muita gente. Para quem não tem essa opção, como é o caso de quem vive no Jardim Montevidéu, o jeito foi trancar portas e janelas e colocar toalha molhada nos quartos em uma tentativa de lutar contra a baixa umidade do ar.

Nas primeiras horas da manhã, alguns moradores do Alphaville foram até o local onde estavam os focos de incêndio para tentar resolver a situação. Eles usaram um trator com reservatório para água do próprio condomínio. O Corpo de Bombeiros também foi chamado, mas a capacidade de água da viatura em que estavam era de apenas mil litros, insuficiente para dar conta de toda aquela vegetação.

A área onde a queimada estava ocorrendo fica na Cônsul Assaf Trad, nas proximidades da sede do projeto Florestinha, da PMA (Polícia Militar Ambiental). Só na sexta-feira, seis hectares de vegetação já tinham sido destruídos.

Uma “cortina de fumaça” começou a ser formada desde o início da queimada e poderia ser vista a metros de distância, inclusive dentro do condomínio Alphaville, conforme conta a jornalista Vanessa Pelegrineli, de 31 anos. “Tivemos de fechar tudo, ligar umidificador para voltar a dormir”.

Com tosse, ela preferiu ir para a casa da sogra para evitar ter mais problemas respiratórios com ela e com os filhos, incluindo um bebê de 5 meses. Um relato semelhante foi feito pela advogada Aline Félix, de 35 anos. “Fechamos todas as portas e janelas de casa e ligamos umidificador”.

O comerciante Silvino Cesaretto, de 65 anos, cancelou o almoço de domingo que seria realizado na casa dele, se juntou com outros moradores e foi até o local das queimadas para auxiliar os bombeiros, usando o carro pipa do condomínio. “Muita gente foi dormir em hotel porque não tem condições”.

“Ninguém está aguentando mais essa fumaça. Teve gente indo para hospital, os bombeiros já vieram umas duas ou três vezes”, completou o engenheiro agrônomo Ireno Golin, de 69 anos, também morador do Alphaville.

No Jardim Montevidéu, o jeito foi trancar as portas (foto: Paulo Francis)No Jardim Montevidéu, o jeito foi trancar as portas (foto: Paulo Francis)
Fumaça chegou até o condomínio Alphaville (foto: Paulo Francis)Fumaça chegou até o condomínio Alphaville (foto: Paulo Francis)

Os Bombeiros confirmaram terem ido duas vezes ao local só na manhã deste domingo (18). Na última vez, foram gastos mil litros d’água.

Quem também sentiu os efeitos da fumaça foram os moradores do Jardim Montevidéu, mas como não deu para sair de casa o jeito foi se trancar. “Foi coisa de horror”, declara a dona de casa Deusimar de Jesus Silva, de 37 anos. “Mas fechando tudo já resolveu”.

O vigilante Adalberto da Silva, de 50 anos, “a fumaça veio toda para cá. Daquele lado de lá quem não tinha ventilador não dormiu”, finalizou.

Morador saiu de casa para ajudar  (foto: Paulo Francis)Morador saiu de casa para ajudar (foto: Paulo Francis)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions