ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, TERÇA  02    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Pistoleiro de facção criminosa, "Camisa 10" é morto pela PM

Jardel Angelo era suspeito de quatro execuções no último mês, segundo a polícia

Por Ana Oshiro | 01/01/2021 07:08
Jardel estava em um veículo preto, na Vila Bordon (Foto: Divulgação)
Jardel estava em um veículo preto, na Vila Bordon (Foto: Divulgação)

Jardel Angelo Wink Soligo, de 37 anos, conhecido como "Camisa 10", "Nanico" e "Alemão", morreu ontem (31) em confronto com policiais do Batalhão de Choque da PM (Polícia Militar). Segundo as informações, ele seria o principal pistoleiro de uma facção criminosa em Campo Grande.

Arma usada por Jardel foi apreendida (Foto: Divulgação)
Arma usada por Jardel foi apreendida (Foto: Divulgação)

De acordo com o boletim de ocorrência, a equipe da polícia realizava rondas na Vila Bordon, na região oeste da Capital, Jardel estava em um veículo preto e demonstrou nervosismo ao avistar a viatura. Desconfiados, os policiais abordaram Jardel, que resistiu a abordagem e levou as mãos para a cintura, de onde sacou uma arma.

Durante o confronto, "Camisa 10" foi atingido pela polícia e desarmado. Jardel foi socorrido para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida, após 40 minutos de tentativas de reanimação, o médico da unidade declarou o óbito.

A perícia da Polícia Civil foi ao local do confronto e apreendeu um celular e a arma de Jardel, uma pistola calibre. 40, de uso restrito das forças policiais, com numeração raspada e carregador contento diversas munições intactas de igual calibre.

Pistoleiro de facção, Jardel era foragido da justiça
Pistoleiro de facção, Jardel era foragido da justiça

Procurado - Jardel possuía um mandado de prisão em aberto, pela morte de Marlon Ricardo da Silva Diarte, assassinado a tiros no Indubrasil no dia 8 de dezembro de 2020. Marlon, ainda segundo a polícia, também fazia parte da cúpula do PCC.

Segundo informações, Jardel recebia ordens de dentro da cadeia, para executar os internos na saída do presídio e gameleira quando eles ganhavam liberdade. Ainda conforme os policiais, Jardel era responsável por, pelo menos mais 3 execuções realizadas nos últimos meses.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário