A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

20/12/2016 12:12

Polícia escava até 2 metros de profundidade para localizar novas ossadas

Rafael Ribeiro e Julia Kaifanny
Buracos de até dois metros são cavados na busca por pelo menos três novas ossadas de vítimas (Foto: Fernando Antunes)Buracos de até dois metros são cavados na busca por pelo menos três novas ossadas de vítimas (Foto: Fernando Antunes)

As escavações para se encontrar restos mortais de mais vítimas do assassino Luiz Alves Martins Filho, 49 anos, o Nando, poderão atingir até dois metros de profundidade, segundo a polícia de Campo Grande.

Na manhã desta terça-feira (20), o entulho que cobre o terreno na rua Lise Rose, conhecido como ‘Chácara da Alegria’, no Jardim Veraneio, começou a ser retirado. A expectativa é de que pelo menos mais três ossadas sejam encontradas.

“Essa é a fase mais difícil do trabalho”, disse o delegado Márcio Shiro Obara, titular de Homicídios e responsável pelo caso. “Vamos ter que escavar o mais fundo possível para chegar à área de terra limpa e começar de fato a perícia.”


Segundo Obara, a polícia procura pelas ossadas de uma moça conhecida apenas como Malu, um rapaz chamado Flavio e Eduardo Dias Limas, 15 anos, conhecido como ‘Eduardinho’, que desapareceu em dezembro de 2015. Nando confessou o assassinato dos três, mas antecipou que encontrar os restos dos corpos seria difícil.


“Desde a época dos crimes o local passou de um simples terreno para um lugar de descarte de entulho, o que mudou um pouco o reconhecimento do espaço”, disse o delegado. Nando acompanha as atividades e indica aos policiais prováveis locais onde os corpos estão.

Técnicos da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) também colaboram com o trabalho, estudando o terreno e apontando prováveis locais de desabamento.

Vítimas – Depois de ficar 14 dias parada, as buscas por mais vítimas do assassino retornaram na última segunda-feira (19) com o encontro de mais duas ossadas, que serão levadas para o Imol (Instituto Médico Odontológico Legal) para passarem por exames que visam identificá-las.


Com essas ossadas, dez mortes estão confirmadas como sendo de autoria de Nando. Em entrevista, ele confessou ter matado 17 pessoas ao todo. Os crimes começaram em 2012, no Bairro Danúbio Azul. Alegou que os assassinatos não eram planejados e as vítimas tinham chance de se ”redimir”, para que não fossem os próximos alvos. Mas, muitas acabavam praticando novos furtos no bairro, o que incomodava muito o serial killer.


Nesta manhã, até mesmo um poste foi retirado pelos policiais para que o local fosse escavado em busca de novas vítimas. O delegado responsável pelo caso não dá um prazo para o encontro das três ossadas e diz que os trabalhos continuarão até que elas sejam localizadas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions