A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

14/02/2019 12:06

Polícia Federal faz buscas na Governadoria e Estado garante colaboração

A operação tem como alvo esquema envolvendo gráficas e agências de publicidade contratadas pelo poder público

Mayara Bueno e Leonardo Rocha
Porta da Governadoria, no Parque dos Poderes. (Foto: Leonardo Rocha).Porta da Governadoria, no Parque dos Poderes. (Foto: Leonardo Rocha).

A PF (Polícia Federal) e CGU (Controladoria-Geral da União) fazem buscas na Governadoria, sede do Governo de Mato Grosso do Sul, no Parque dos Poderes, em Campo Grande. Nesta quinta-feira (dia 14), policiais deflagram a Operação Aprendiz, desdobramento da “Toque de Midas, que ocorreu em maio de 2017.

A confirmação de que ainda há policiais dentro do prédio foi da assessoria - que não detalhou o setor alvo de buscas. A imprensa não foi autorizada, por enquanto, a entrar. Quatro agentes chegaram por volta das 10h30.

Ambas operações têm como alvo esquema envolvendo gráficas e agências de publicidade contratadas pelo poder público que superfaturam serviços e produtos com a finalidade de desviar dinheiro público.

Nesta etapa, a força-tarefa, que conta também com investigadores do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), miram contratos de junho de 2015 a agosto de 2016 com o Governo de Mato Grosso do Sul. Até o momento o prejuízo causado aos cofres público do Estado “estaria estimado em R$ 1.600.577,00”, diz a nota divulgada pela PF e pelo MPMS nesta quinta-feira.

Por nota, o Governo de Mato Grosso do Sul afirmou que designou a Controladoria Geral do Estado para acompanhar as investigações. Disse, ainda, que "reitera sua posição de colaborar com as investigações sobre quaisquer atos da administração pública".

 

Amarok descaracterizada da operação, estacionada no pátio da Governadoria. (Foto: Leonardo Rocha).Amarok descaracterizada da operação, estacionada no pátio da Governadoria. (Foto: Leonardo Rocha).

Resumo - Policiais federais e agentes da CGU foram às ruas de Campo Grande para cumprir 11 mandados de busca e apreensão em residências e nas agências alvos.

Uma das empresas é a Think Service Design, localizada na Rua Imbé, Bairro Cidade Jardim, próximo ao Parque dos Poderes. A agência já prestou serviço de publicidade para a Caravana da Saúde, dentre outros programas do Governo do Estado.

Equipe também esteve em prédio residencial na Rua Pirtatininga. Dois chaveiros foram chamados para abrir apartamento no Jardins do Parque Residence, um condomínio de luxo no bairro Santa Fé. O mandado de busca foi cumprido no sexto andar do edifício.

Outra equipe da força-tarefa cumpre mandados no Evidence Prime Office, condomínio de escritórios também em ponto nobre da cidade, onde funciona três agências de publicidade. O prédio fica na esquina da Via Parque com a Hélio Yoshiaki Ikeziri.



Se há superfaturamento, é porque existem favorecidos dentro da administração pública.
O jornal precisa ser mais claro na informação e não ficar "vaselinando".
 
Critico em 14/02/2019 12:28:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions