A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

10/05/2013 17:14

Polícia investiga gangue que pichou mais de 300 locais na Capital

Edivaldo Bitencourt e Helton Verão
Pichações estão presentes por toda cidade. Na rua 15 de Novembro vários locais estão pichados (Foto: Helton Verão)Pichações estão presentes por toda cidade. Na rua 15 de Novembro vários locais estão pichados (Foto: Helton Verão)

A ação dos pichadores entrou de vez na mira das autoridades públicas de Campo Grande. A Polícia Civil investiga uma gangue, que seria integrada por 22 jovens e em torno de 10 adolescentes, que pichou cerca de 300 locais em 10 bairros da Capital.

A ofensiva atinge até os amigos do grupo, que incentiva ou convida os pichadores para sujar prédios particulares e públicos, nas mídias sociais, como o Facebook.

A investigação é conduzida pelo delegado Moura Fé, da 6ª Delegacia de Polícia, no Bairro Tijuca. A Polícia já apreendeu quatro computadores, tintas, sprays, borrifadores e outros materiais usados por pichadores na região.

A Polícia tem cópias do grupo comemorando as pichações no Facebook. Eles podem ser indiciados por crime contra o meio ambiente, dano ao patrimônio público, corrupção de menores e formação de quadrilha. As penas de prisão podem somar de quatro a nove anos de prisão.

Ação – A suposta quadrilha tem uma área de ação muito ampla, que vai dos bairros Tijuca, Caiçara e Taveirópolis, na saída para Sidrolândia, até os bairros Nova Lima e Nova Bahia, na saída para Cuiabá.

Além do inquérito policial na 6ª DP, o grupo pode estar respondendo a outros inquéritos por crimes ambientais e danos ao patrimônio público na Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e Proteção ao Turista).
Moura Fé suspeita que os 32 suspeitos de pichar prédios públicos, casas, lojas e praças possuem vínculos.

Repressão e ação – Ontem, a Guarda Municipal flagrou mais quatro jovens com materiais de pichações e maconha na Praça das Araras. É a continuidade do trabalho de inteligência do órgão para combater as pichações.

Delegado intimou 22 pessoas para explicar sobre pichações (Foto: Simão Nogueira)Delegado intimou 22 pessoas para explicar sobre pichações (Foto: Simão Nogueira)

De acordo com Luidson Noleto, as pichações estão concentradas, principalmente, na Orla Morena. Os agentes patrimoniais do município estão de olho e vem, quase que diariamente, efetuando prisões em flagrante de pichadores na Capital.

Além da repressão, o órgão vem promovendo o programa “Campo Grande contra Pichação” para incentivar a utilização de grafite. No entanto, segundo Noleto, o jovem pode fazer a arte, mas, para não ser crime, a atividade precisa do aval do dono do imóvel ou do poder público.

Noleto alerta que a atividade pode comprometer o futuro profissional dos pichadores. Eles podem ser impedidos de assumir cargos públicos ou realizar outras atividades por serem fichas sujas.

A próxima etapa do projeto acontecerá na quinta-feira, a partir das 17h, no Teatro de Arena da Orla Morena. Na ocasião, a população é convidada a dar uma pincelada para ajudar a limpar as pichações da Orla Morena.

Além disso, a Secretaria Municipal de Educação promove campanha de conscientização nas escolas da rede pública.

Denuncie - E quem quiser denunciar a ação dos vândalos, pode ligar par ao Disque Pichação no 153 ou para o 190 da Polícia Militar.



Já estava na hora das autoridades tomarem providências contra os pichadores. Campo Grande-MS, tinha um número muito pequeno de pichações até antes do Prefeito Alcides Bernal assumir a Prefeitura. Parece que tem uma onda de pichadores pagos (Devem estar recebendo para Pichar. São estilos de letras enormes sem nenhum sentido de manifestação de pensamentos. Só servem para cobrir as paredes, portas, muros etc,). Pois a quantidade de pichações demandou uma quantidade muito grande de tintas, em todas as Cores. Quem está pagando estas tintas? Seguramente tem um grupo por trás disso. E porque não tem fotos e nem notícias das prisões? Já ouvi comentários que foram pegos alunos da Universidade Federal pichando dentro e fora da Universidade.
 
Romildo José Dias em 16/05/2013 19:35:11
Porque estes jovens tem tanta tendência para fazer a coisa errada. Será que não poderia usar a inteligência para se fazer coisas boas ao invés de querer só aprontar?
 
Antonio Reis em 11/05/2013 08:27:27
Quem têm que COMPRAR a tinta e PINTAR, toda ação delinquente são os vândalos, não a população.
Estava passando da hora, das autoridades competentes fazerem alguma coisa. Deixa essa tranqueiras numa celas uma semana, depois manda limpar a sujeira que fizeram pela cidade e por último, prestar serviço comunitário por dois anos.
 
Neyde de Oliveira em 10/05/2013 22:14:15
coisa que não se via aqui! E agora temos que nos deparar com estes vandalos fazendo tamanha sujeira. Simples! Todo comércio que vender spray tinha deverá cadastrar o comprador e reter cópia de identidade. pronto! quem não deve com certeza não vai temer!
 
EDINALDO VIANA em 10/05/2013 20:27:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions