A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

28/01/2014 08:16

Polícia proíbe "flanelinhas" de cobrar em locais onde existe o parquímetro

Graziela Rezende
Flanelinhas foram proibidos de ficar no centro. Foto: Marcos ErmínioFlanelinhas foram proibidos de ficar no centro. Foto: Marcos Ermínio

Um dia após deflagrar a operação “Tolerância Zero”, que recolheu 18 flanelinhas do centro da Capital, a Polícia retornará em pontos estratégicos para conversar com comerciantes e saber se os “cuidadores de carros” voltaram ao local, para ameaçar motoristas e danificar os veículos. O grupo foi proibido de cobrar para cuidar dos veículos onde existe parquímetro.

“Eles vão responder pela contravenção penal de exercício ilegal da profissão e foram alertados para não retornarem a estes locais”, diz o delegado Fernando Nogueira, responsável pela ação. No entanto, a Polícia entende que, caso não ocorra uma ação conjunta entre a Prefeitura e o Ministério do Trabalho, os “flanelinhas” possivelmente voltarão a estes locais.

“Eles foram indiciados e sabem que, se flagrados novamente, não existe mais acordo e o fato já se transforma em crime. Porém, a Prefeitura precisa ter agentes de fiscalização, principalmente porque a população paga o parquímetro e os comerciantes estão sendo prejudicados”, ressalta ao Campo Grande News o delegado.

A ação conjunta que o delegado defende seria uma área de trabalho delimitada para estes trabalhadores. “Existe uma normativa do Ministério do Trabalho que legaliza esta atividade, caso eles não tenham antecedentes criminais. Mas, mesmo assim, a prefeitura precisa delimitar uma área de trabalho para estas pessoas, para que ninguém “invada” a área do outro e não exista concorrência”, explica.

Para os próximos dias, a Polícia organiza uma nova operação, que ainda envolve a possível prisão de autores de depredações e danos a patrimônios públicos. “Ainda não marcamos a data, mas ocorrerá em breve”, comenta o delegado.

Tolerância Zero – Ontem (27), após inúmeras reclamações de comerciantes e pessoas que estacionam com frequência o veículo nas ruas centrais, a Polícia deflagrou a operação.

Com o apoio da Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), 19 policiais participam da ação, no cruzamento das ruas Dom Aquino com a 13 de maio, 14 de julho e Calógeras, além dos mesmos cruzamentos uma rua acima, na Barão do Rio Branco e com a Cândido Mariano.



Proibiram aonde?? Os motociclistas que se ferram nessa, ontem foram retirados e hoje estão no mesmo lugar!! Fiscalização ZERO.
 
Maryanna Meins em 28/01/2014 13:43:34
Então se tiver parquímetro não pode, mas se não tiver tá liberado.
 
Cyro Chan em 28/01/2014 13:12:41
Esse absurdo de sermos coagidos a pagar pela segurança dos nossos carros em plena via pública, já está estabelecido como rotina há muitos anos. Parabéns às autoridades que finalmente farão algo em favor do cidadão, trabalhador e cumpridor de seus deveres! Não existe essa atividade: flanelinha, o que existe é um bando de bandidos que praticam a coação e depredação do patrimônio privado.
 
Magda Correa em 28/01/2014 11:22:20
Engraçado que pra fiscalizar se vc pagou o parquímetro, existem bastante fiscais. Dificilmente passa batido. Agora, pra tirar os flanelinhas, tarefa bem mais fácil, não tem ninguém.
 
Ricardo Farias em 28/01/2014 11:05:03
PREFEITO, GOVERNADOR, É PROIBIDO, O PODER PÚBLICO, COBRAR ALGUM TRIBUTO, SEM QUE A LEI O ESTABELEÇA, IMAGINE UM PARTICULAR, COBRANDO DA SOCIEDADE, LEGALIZADO PELA PREFEITURA E O ESTADO, ESSA NÃO, FLANELINHA, NÃO SE PAGA, POIS JÁ PAGAMOS, IPTU, IPVA, PAQUÍMETRO, E A VIA É PÚBLICA, NÃO SE PODE DE MANEIRA NENHUMA CONSENTIR O QUE ESTA ACONTECENDO, NÃO PAGUEM, E PROCUREM A PROMOTORIA PÚBLICA NO FORUM, E VEJA OS SEUS DIREITOS, NÃO PAGUE, É ILEGAL.
 
PEDRO BRAGA em 28/01/2014 10:32:09
E complementando o que o Ricardo disse, além de pagarmos todas essas taxas e impostos, ainda temos que pagar parquímetro e pagar flanelinhas. Já que pagamos o tal do parquímetro, nada mais justo do que a prefeitura disponibilizar equipes que cuidem de nossos carros e não só equipes que cuidam para ver se estamos pagando. Fora flanelinhas JÁ!!!
 
Renata Melo em 28/01/2014 10:30:08
É o cúmulo, pagamos (a população em sua grande maioria) 27,5% do nosso rendimento para governo de cara, mais altíssimas taxas de financiamento para aquisição de um veículo (tem que ser financiado, pois num tem como guardar dinheiro pra compra a vista por conta dos 27,5% já citados), mais o IPVA (incluam o licenciamento também, impostos esses que te dão o direito de transitar com seu veículo) e o absurdo de mais de 3R$ por litro de combustível (somos um dos países auto suficientes em petróleo, vendemos combustível para países em que o preço para população chega a ser quase 50% a menos que o nosso, ah, sem a adição de álcool, o que da um rendimento melhor para os veículos). Ainda temos que sustentar o vício de marginais que "cuidam" nossos carros? Demorou pro poder público tomar atitude.
 
Ricardo Ramalho em 28/01/2014 10:14:41
Eu não entendo as pessoas que vão aos shoppings e deixam o carro do lado de fora. Tá certo que os preços não são os melhores, mas daí deixar o carro na rua? Não é 10 reais sem gastar com estacionamento que vai lhe dar maiores possibilidades de compras.
 
Anderson Garcia Machado em 28/01/2014 10:10:18
Só onde existe o parquímetro?? E próximos a estabelecimentos que não possuem parquímetro e também ocorre esse tipo de coação? Ah é... quando se estaciona nesses lugares não incide diretamente nos impostos né? Daí já não é mais problema do poder público.
 
Ronaldo Castor em 28/01/2014 09:42:52
Excelente atitude da Policia Civil, pois estes "flanelinhas, guardadores" são muito mal educados e perigosos, não é só no centro, mas no shopping norte sul também aos fins de semana é complicado deixar o veículo do lado de fora. estão de parabéns.
 
Maria Julia em 28/01/2014 09:15:24
Não só onde exites parquímetro... flanelinhas devem ser proibidos de atuar em toda a cidade,, afinal, a alta taxa de impostos que pagamos deveria garantir também a segurança da população ao deixar o carro estacionado na cidade, seja no centro, seja nos bairros.
Ok. vou começar a pedir recibo para os cuidadores de carro, vou anexar na minha declaração anual de imposto de renda, e pedir a restituição do valor junto a receita, afinal, se eu pago impostos para ter segurança, e sou "obrigado" a pagar de novo quando estaciono no perímetro urbano, devo ser restituído.
 
joão vitor em 28/01/2014 09:12:06
Isso mesmo acaba com esta bagunça, uma vez eu estacionei minha moto na quinze quase esquina com a treze, estava indo ao BB e o moço queria cuidar da minha moto, disse que não precisava ele me disse pra eu tomar cuidado que ele era ex presidiário e era ladrão de moto. Mesmo assim disse que não precisa eu não sou obrigada a pagar ninguem pra cuidar minha moto ou carro.
 
Adriana de Menezes em 28/01/2014 08:53:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions