A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

08/07/2013 16:07

Policial militar que matou ex-esposa em 2011 é absolvido e acaba solto

Nadyenka Castro
Paulo Cezar Lucas, de vermelho, foi absolvido pelo júri popular.Paulo Cezar Lucas, de vermelho, foi absolvido pelo júri popular.

Em júri popular realizado nesta segunda-feira, o policial militar Paulo Cesar Lucas Batista, foi absolvido pela morte da ex-esposa, Luciana Chaves Farias, ocorrido na madrugada do dia 30 de janeiro de 2011, em Campo Grande.

Conforme sentença do juiz Eduardo Eugênio Siravegna Júnior, os jurados reconheceram as teses da defesa, que são: “legítima defesa putativa, coação moral, inexibilidade de conduta adversa, erro sobre a pessoa, excesso culposo, excesso exculpante, excesso acidental e homicídio privilegiado”.

O MPE (Ministério Público Estadual) pediu a condenação por homicídio doloso – com intenção de matar.

O crime aconteceu em uma kitinet do Jardim Ouro Verde onde o policial morava havia poucos dias, desde que tinha se separado de Luciana.

Ela foi ao local e ele, que disse pensar que fosse um ladrão, atirou. A mulher foi atingida por um tiro de pistola ponto 40 na região do quadril, que perfurou órgãos, causou hemorragia e a morte, e também por outro de raspão, que antes havia batido em uma grade.

Luciana morreu no local, Paulo Cezar foi preso e a arma apreendida. O casal teve relacionamento por 16 anos, que segundo testemunhas disseram à Justiça, foi marcado por ciúmes, ofensas e agressões.

Após exposição da defesa e da acusação, os jurados entenderam que o policial militar matou Luciana sem a intenção. Diante disso, ele foi absolvido e determinada sua soltura.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Tristeza, frustação é lamentável a forma como as coisas são resolvidas em nosso país, gostaria muito que esse caso não fosse esquecido e que nossos filhos pudessem acreditar na justiça do Brasil. A Luciana morreu ou melhor foi assassinada, e as suas filhas, sua mãe, sua avó, seus amigos, que resposta nós temos, QUE TIRAR A VIDA DE UMA PESSOA É NORMAL? que basta um tempo para que a POPULAÇÃO ESQUEÇA. Creio em Deus que não falha, e tenho certeza que Ele justifica.
 
Val Oliveira em 09/07/2013 15:03:55
Isso é uma pouca vergonha, fico cada vez mais pessimista , à justiça aplicada a esse tipo de gente. Justiça só de Deus mesmo.
 
nelson ribeiro em 09/07/2013 09:56:51
Que justiça é essa ????? isso é revoltante isso é o que dá dar arma para pessoas que não tem preparo psicológico para usar, acho que para ser policial deveria se ter mais critérios não é só na hora do concurso deveriam participar de cursos teste psicológicos sempre até se aposentarem, pois parece alguns se sentem mais homens com arma na mão.
 
marlieda cardeal em 09/07/2013 09:42:28
novidade a lei no brasil, de quem mata fica preso. ai da família de quem perdeu o ente querido
aqui no brasil se pode matar meu amigo é terra sem lei, quem perde é só quem morre, infelizmente vai ser sempre assim e o brasil, bom de lei, e ainda com estes tipos de policias uns são bons corretos, mas outros hummmm, dar esta desculpa que achou que era ladrão, mas é assim a família da moça que esta ai sofrendo, humilhada, porque aqui gente se pode matar por qualquer coisa que não acontece nada, ainda mais se estiver algo com políticos, autoridades, e por ai vai e ainda corremos o risco de ser processados por falar a verdade. ai ai ai e o brasil sem lei. cade a pena de morte, cade a prisão perpetua. ah imagina aqui nunca vai ter, gente pode sair matando que não vai acontecer nada ouviu bandidos fica a
vontade.
 
ruth sanches alaman em 09/07/2013 09:10:08
É uma vergonha !!!!!!!!!!! senhores jurados!!!!!!!! Com certeza não entenderam nada. Ao olhar o espelho pense bem
o que vcs fizeram.
 
sueli caldas em 09/07/2013 06:18:43
Nossa, é incrível hein, quem estava no júri? como pode o cara ser absolvido? não interessa se ele achou que era um bandido ( duvido muito), o que interessa é que de forma alguma ele pode sacar uma arma e matar alguém. Como um paranoico assim pode viver livre e ainda armado? isso deveria repercutir na mídia nacional para todos virem o exemplo de impunidade
 
Paulo Sergio em 09/07/2013 00:57:36
Sr. Anderson Lima...se você desconhece os procedimentos, é melhor não comentar. Veja bem caro cidadão, em um Juri quem tem o poder de absolver ou condenar uma pessoa é o corpo de jurado, composto por pessoas da sociedade comum de conduta ilibada. O corpo de jurado são pessoas comuns, representantes do povo. O que me envergonha de ser brasileiro é ter pessoas que desconhecem situações e não se dão ao luxo de ao menos estudar, ler, pesquisar, e já exporem suas razões de maneira equivocada.
 
RODRIGO NASCIMENTO BONFIM em 08/07/2013 21:39:16
É realmente, agora ladrão bate na porta da vítima anunciando o roubo, essa justiça nossa é uma mãe mesmo!
 
gilmar santos três lagoas em 08/07/2013 20:05:22
Pormenorizando, se há pessoas que não sabem escrever o próprio nome de acordo com a norma gramatical vigente e distinguir um julgamento justo de outro antagônico, de fato, é pedir de mais.
 
Paulo Oliveira em 08/07/2013 19:23:26
Caro Anderson Lima...realmente é uma vergonha...só que você precisa lembrar que quem decidiu foram sete pessoas do povo de Campo Grande-MS.... foram os jurados que acreditaram na estória da defesa e deram a absolvição..o juiz no Júri só aplica a pena..... então, em meio a tantas injustiças da famigerada Justiça...também a população quando é chamada deve fazer sua parte...mas aí faz isso!
Tá difícil!
 
alvaro campos em 08/07/2013 19:12:08
Há indivíduos que não sabem diferenciar o Policial Militar do Policial Civil, deveras, um julgamento por magistrado e outro por alguns privilegiados do povo é verdadeiramente impossível. Isso sim é motivo de desonra.
 
Paulo Oliveira em 08/07/2013 18:50:38
Sr Anderson Lima, a diferença é que a filha desses personagens citada por vc não vão em casa de ex marido coagi-las.
 
jorge ferreira em 08/07/2013 18:41:04
Queria ver se fosse filha do André Puccineli ou do Nelsinho Trade se este cara ja não tava morto ou condenado a 30 anos de cana, eta justiça é esta nossa, por isso que as pessoas estão se matando por ai, não da em nada mesmo, tenho vergonha de ser brasileiro.
 
anderson lima em 08/07/2013 16:37:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions