ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Por idade, Puccinelli se livra de mais uma ação da Operação Lama Asfáltica

Ação se tratava de superfaturamento e dívida de R$ 5,3 milhões em obra na Avenida Lúdio Coelho

Por Silvia Frias | 20/03/2024 10:18
André Puccinelli completa 76 anos em julho deste ano e se beneficia de lei (Foto: Alex Machado)
André Puccinelli completa 76 anos em julho deste ano e se beneficia de lei (Foto: Alex Machado)

Porém, a ação continua para outros três réus, tramitando na 3ª Vara da Justiça Federal. Conforme despacho publicado hoje (20), a juiz Julia Cavalcante Silva Barbosa determinou a perícia nas obras na avenida, no trecho entre a Avenida Duque de Caxias e Rua Antônio Bandeira, executadas pelo Consórcio Lagoa, formado pelas empresas Proteco Construções Ltda e Movitarra Construções e Comércio Ltda.

Esta é a segunda ação extinta contra Puccinelli e Giroto em processo da Lama Asfáltica este ano. No dia 14 de março, publicação do Diário Oficial da Justiça Federal determinou o fim da ação contra eles e outros 14 réus, por considerar a denúncia de superfaturamento da MS-040 deficiente.

Agora, a prescrição e extinção de punibilidade refere-se ao processo que trata de superfaturamento nas obras de saneamento integrado na Avenida Lúdio Coelho, entre a Avenida Duque de Caxias e Rua Antônio Bandeira, em Campo Grande. Na ação, o prejuízo ao erário estimado foi de R$ 482.170,56, por pagamentos indevidos, sem execução do serviço, R$ 4.411.337,34 em débito com o Tesouro Nacional e superfaturamento e pagamento em duplicidade de R$ 475.547,69 à Proteco, totalizando R$ 5.369.055,69.

Pelo despacho publicado hoje no Diário Oficial da Justiça Federal, a extinção foi baseada em contas relacionadas às penas previstas nos crimes do artigo 90 da Lei 8.666/1993 (fraude em licitação) e artigo 312 do Código Penal (apropriação indébita realizada por servidor público por conta do cargo).

A cronologia delineada pelo MPF (Ministério Público Federal) estende-se até a data de 18 de janeiro de 2010, quando foi assinado o fim do contrato do Consórcio Lagoa entre as empresas Proteco e Moviterra.

No caso do artigo 90, a pena máxima imposta é de quatro anos de reclusão. Para o delito do artigo 312 do Código Penal é de 12 anos. A prescrição, que é o tempo que a ação pode tramitar, conforme legislação, ocorre em 8 anos para o primeiro crime e em 16 anos para o segundo.

A denúncia foi oferecida no dia 10 de agosto de 2022, mas a prescrição data de 18 de janeiro de 2018 no caso do artigo 90 (fraude em licitação), o que beneficia todos os réus: André Puccinelli, Edson Giroto, Maria Wilma Casanova Rosa, Helio Yudi Komiyama, Luiz Cândido Escobar, João Alberto Krampe Amorim dos Santos, Elza Cristina Araújo dos Santos.

O processo continua em vigor, por conta do crime do artigo 312, de apropriação indébita por servidor no exercício do cargo. Mas, para quem tem acima de 70 anos, esse prazo é reduzido pela metade, ou seja, dos 16 previstos, cai para 8 anos.

Com isso, três réus foram beneficiados: André Puccinelli, com 75 anos, João Alberto Krampe Amorim dos Santos, com 70 anos, e Luiz Candido Escobar, com 78 anos.

Para os outros réus, a ação continua tramitando normalmente. Na defesa deles, contestam as planilhas apresentadas na denúncia e alguns deles pediram perícia complementar.

A juíza manteve a ação, dizendo que há elementos para denúncia, mas deferiu os pedidos de perícia. “O perito nomeado deverá proceder à realização de inspeção física - embasada também na documentação disponível acerca da execução e fiscalização em toda a extensão da obra, assim como nos itens que compuseram a amostra selecionada pela Controladoria-Geral da União, na verificação in loco mediante a qual se constatou a suposta inexecução de serviços”. O profissional também irá averiguar se houve o superfaturamento denunciado.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias