A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Junho de 2018

21/02/2011 13:43

Piscina em área de comodato vira motivo de briga em família e será destruída pelo dono

Ricardo Campos Jr.

Parentes excluidos do "luxo" reclamam da irregularidade

Morador diz que piscina é única opção de lazer. (Foto: João Garrigó)Morador diz que piscina é única opção de lazer. (Foto: João Garrigó)

A exploração de uma área de comodato localizada na avenida Guaicurus, perto da saída para São Paulo, virou motivo de briga. O alvo é uma piscina usada como local de lazer particular. Depois de muita pressão, o dono garante que resolveu destruí-la.

O terreno é cedido pela prefeitura por tempo determinado para que as famílias que nele residem utilizem a área em prol do interesse coletivo, como plantio e criação de animais para consumo. Desta forma, não é permitida edificações contrárias a esses objetivos.

O eletricista Antônio Bonifácio Martins, 59 anos, que tem um filho com deficiência, afirma que instalou a piscina porque não tinha condições de encaminhar o garoto para exercícios de fisioterapia constantemente e, para tanto, desembolsou R$ 15 mil com os materiais para construir a piscina. Atualmente, ele divide o terreno com dois irmãos por parte de pai: Marina Martins e Valmir de Albuquerque.

Aos fundos do comodato, perto do córrego que passa no local, existe uma casa atualmente desocupada com uma pequena varanda e churrasqueira, que junto com a piscina forma a área de lazer em questão.

O Campo Grande News esteve no terreno pela manhã. A impressão é que não é utilizado há algum tempo. A piscina estava vazia e suja. Alguns azulejos já haviam sido removidos por Antônio, segundo ele, início da destruição do local. “Vou desmanchar custe o que custar se não eu vou perder a cabeça”, disse o eletricista.

Valmir de Albuquerque confessa que o deficiente nunca chegou a usar a piscina e afirmou ser uma área de lazer apenas para a família. “Todos nós trabalhamos. No fim de semana não tinha nenhuma opção de lazer. Isso era para todos nós e agora será destruído”, disse.

Discórdia - Luiz Martins, filho de Marina, acusa os tios de usarem o lugar para festas particulares, churrascos e até mesmo batizados da igreja a qual os parentes freqüentam e diz que a mãe dele não tem acesso a esses “luxos”.

“Eles contrataram um caseiro para morar ali. Inclusive a ligação de água que eles têm é clandestina”, afirma Luiz.

Irritado, proprietário mostra área que é ocupada por 3 famílias.Irritado, proprietário mostra área que é ocupada por 3 famílias.

Ele relata ainda que já entrou em contato com a prefeitura que envia fiscais no local e nunca resolveram o problema. Ele diz ter medo que, caso insista, seja pedido pelo órgão a reintegração de posse.

Controvérsias - O eletricista rebate as acusações do sobrinho dizendo que são os parentes que criam os problemas discussão após discussão. Ele diz que muitas vezes, enquanto a família dele e de Valmir estavam fora, Marina e o filho alugaram a área de lazer para almoços de terceiros.

“Eles têm uma rixa. Já denunciaram que roubávamos a água que passava pelo cavalete e até mesmo focos de mosquito da dengue e mato alto. Não conseguiram fazer nada”, disse Antônio.

Irregular - A Prefeitura de Campo Grande cancelou em 2007 todos os contratos de comodato, passando a vigorar o termo de autorização de uso para os moradores que vivem nessas situações. Em várias localidades já está em andamento um processo para retirada das famílias para casas populares e no local haverá projetos de urbanização.

As casas em questão estão com as marcas em vermelho feitas pela Prefeitura para indicar as famílias que já foram cadastradas.

O Campo Grande News entrou em contato com a Semadur (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) sobre o caso. Eles disseram não terem conhecimento de problemas no local.

O chefe da divisão das áreas verdes Orcival Júnior disse que não há como tomar uma decisão sem conhecer o problema e falou que vaio checar a denúncia. “Tem que olhar primeiro”.

Sem identificação, baleado no Jardim Colibri morre na Santa Casa
Morreu na Santa Casa de Campo Grande, homem encaminhado depois de ter sido baleado, esta noite (22) na Rua Carricá, no bairro Alves Pereira, região d...
Suspeito é atingido por pelo menos três tiros no Jardim Colibri
Suspeito, ainda não identificado, foi baleado com pelo menos três tiros, esta noite (22) na Rua Carricá, no Alves Pereira, região do Jardim Colibri, ...


ESSAS AREAS DE COMODATO JA ESTÃO SENDO LEGALIZADAS E AS PESSOAS VÃO RECEBER UM CARNE PARA PAGAR PELOS TERRENOS E VÃO PAGAR IPTU E ASFALTO COMO TODOS QUE TEM CASA PROPRIA . E VOCE QUE É DESENFORMADO ACHA MESMO QUE O PREFEITO NÃO SABE OQUE FAZ FICA NA SUA O NOSSO PREFEITO É MUITO BOM E SABE ORGANIZAR A NOSSA CIDADE.
 
ARTUR GABRIEL em 01/07/2011 03:44:54
Essa questão do comodato é uma verdadeira patifaria política,dão os terrenos em troca de votos,vide a Chácara das Mansões que estão favelizando aonde era para ser uma reserva natural e praça de lazer.É o país dos "espertos" e danem-se aqueles q pagam iptu.
 
José Ricardo Menezes Tortorelli em 22/02/2011 12:12:49
Em um local como este onde a tamanha desinteligência constantes tenho certeza de que nunca houve Batismo religioso, esse povo não deve saber o que essa palavra batismo siginifica, por que caso contrario jamais usaria para argumentos de tão baixo nivel.*" caso tenha havido quero saber o nome dessa igreja e quantas pessoas foram batizadas, por que esse Batismo não tem validade".
 
Jane Leanndro em 22/02/2011 01:30:39
Se a área de comodato é para cultivo e criação de animais para o sustento de famílias, porque nessa área tem piscina e área de lazer para uma família???? Quanto abuso feito com o pagamento de nossos impostos... com certeza eles não pagam IPTU da área... que eles comprem uma área e façam um clube particular ou para alugar... chegar de mordomias a custa da população trabalhadora e honesta.
 
Rosemarie Pereira em 21/02/2011 05:09:48
PREFEITURA......REINTEGRAÇÃO DE POSSE JÁ!!!!!!

COMODATO PARA QUEM REALMENTE PRECISA!!!!!
 
Gilmar candido em 21/02/2011 05:04:44
tudo isso é o famoso olho gordo, inveja das bravas e falta de deus nas familias, esse povo não tem ok fazer.
 
lucimar borges em 21/02/2011 04:03:45
Quem desembolsa R$15.000,00 para construir uma piscina, pode muito bem comprar um terreno e construir sua casa, sem depender de ficar "morando de favor" em área pública.
 
Edivaldo Moraes em 21/02/2011 02:42:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions