A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

26/11/2012 10:49

Prefeito diz que anexou documento e espera liberação de obra de aterro

Paula Maciulevicius
Trad afirmou que laudo que faltava foi anexado ao pedido de reconsideração. (Foto: Simão Nogueira)Trad afirmou que laudo que faltava foi anexado ao pedido de reconsideração. (Foto: Simão Nogueira)

O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) disse que aguarda a liberação da Justiça, quanto ao aterro, lixão e licitação da coleta e tratamento do lixo, serviços que foram suspensos pelo MPF (Ministério Público Federal) na última quarta-feira.

Nesta segunda-feira, Trad falou que o último documento foi anexado ao processo, atestando que a obra do aterro está pronta para entrar em funcionamento.

“Na sexta-feira recebemos o laudo da Funasa atualizado que atesta que o aterro está 100% pronto para funcionar”, afirmou.

A Prefeitura de Campo Grande já havia recorrido da liminar da Justiça Federal que paralisou as obras no aterro sanitário, lixão e a licitação da coleta e tratamento do lixo. A prefeitura enviou um pedido de reconsideração da decisão para a juíza Ana Lya Ferraz da Gama Ferreira, que vai submetê-lo para o MPF.

Para que a decisão seja reconsiderada, a administração municipal enviou documentos que apontam que as irregularidades apontadas em outubro durante inspeção da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) já foram solucionadas.

Prefeitura já enviou último documento para pedido de reconsideração da decisão que suspendeu obras do aterro e a licitação do lixo. (Foto: Rodrigo Pazinato)Prefeitura já enviou último documento para pedido de reconsideração da decisão que suspendeu obras do aterro e a licitação do lixo. (Foto: Rodrigo Pazinato)

De acordo com a liminar, as obras do aterro foram paralisadas entre 2008 e 2012 e foi aberta nova licitação este ano para gestão do lixo, sendo que previa conclusão dos trabalhos no local. “Logo, o vencedor da licitação teria que concluir uma obra que estava em andamento e que é objeto de um contrato anteriormente realizado”, afirmou a juíza.

O MPF afirma que a Funasa visitou as obras do aterro no dia 10 de outubro e constatou que as obras de revitalização e estabilização do maciço formado pelo lixo não foram executadas, que a adutora para o transporte do chorume até a estação de tratamento de esgoto do bairro Los Angeles não foi feita.

Outro ponto questionado é a execução de um novo contrato cujo objetivo coincida com o contrato anterior, sem que tenha havido a prestação de contas e esclarecimentos do primeiro.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions