A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

27/11/2017 12:02

Prefeitura assume Gestão da Casa da Mulher Brasileira

A partir desta segunda-feira o município será responsável pela manutenção e planejamento do local

Geisy Garnes e Mayara Bueno
A mudança de Gestão foi oficializada nesta segunda-feira (Foto: Mayara Bueno)A mudança de Gestão foi oficializada nesta segunda-feira (Foto: Mayara Bueno)

A Prefeitura de Campo Grande assumiu nesta segunda-feira (27) a Gestão da Casa da Mulher Brasileira, antes coordenada pelo Governo Federal. O local, que funciona desde 2015, oferece atendimento especializado a mulheres vítimas de violência e em Campo Grande já realizou 20 mil atendimentos.

Nesta manhã, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) assinou o documento que oficializou a mudança de gestão. A partir de hoje, é a prefeitura de Campo Grande quem cuida da manutenção e planejamento do Casa da Mulher Brasileira.

“Agora a prefeitura vai ser responsável pelo planejamento e pela estruturação. Tudo vai ser nosso, mas vamos continuar buscando verbas federais”, explicou Marquinhos. Segundo o prefeito, desde que assumiu o município foram investidos R$ 3 milhões no local, sendo R$ 1 milhão recurso federal.

Para o senador Pedro Chaves (PSC), a mudança de gestão vai aproximar a gestão administrativa do realidade dos atendimentos. “Vamos continuar a busca por verba federal, mas é aqui que acontecem os crimes, é bem melhor a prefeitura assumir por ter mais noção do que acontece e das necessidades”.

Observatório da violência - Além da mudança de gestão, a prefeitura também assinou um documento que cria um observatório da violência em Campo Grande no local. A iniciativa é uma parceria entre município e o curso de Direito da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

O projeto irá contabilizar o número de ocorrências registradas na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), as medidas protetivas decretadas e a quantidade de mulheres atendidas diariamente na Casa da Mulher.

A finalidade, segundo a Carla Stephanini, subsecretária da Semu (Subsecretaria Municipal de Políticas para a Mulher) avaliar a violência Campo Grande e estudar quais medidas futuras podem ser implementada. Desde 2015, quando foi inaugurada, a Casa já atendeu 20 mil mulheres em situação de violência.

Segundo Stephanini, em 2017, mais de 10 mil mulheres passaram por atendimento e 5 mil ocorrência foram registraram na Deam. De janeiro até agora, 13 mulheres foram vítimas de tentativa de feminicídio. Cinco dos casos terminaram em mortes em Campo Grande.

Em novembro, 1285 mulheres procuraram a Casa da Mulher Brasileira. “Não vejo isso como algo ruim, e sim como algo bom. Porque isso mostra que as vítimas estão procurando atendimento e confiam que vão receber atendimento”, defendeu o prefeito Marquinho Trad.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions