ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Prefeitura descarta área na saída para Três Lagoas para novo aterro sanitário

Prefeito Marquinhos Trad disse que outras duas áreas estão sob avaliação e da BR-262 foi descartada: "não vai ser lá, com certeza"

Por Silvia Frias e Clayton Neves | 06/07/2020 12:07
No relatório, área na saída para Três Lagoas, na BR-262 que havia sido escolhida (Foto/Divulgação)
No relatório, área na saída para Três Lagoas, na BR-262 que havia sido escolhida (Foto/Divulgação)

A prefeitura de Campo Grande descartou área da Fazenda Santa Paz, na saída para Três Lagoas, com acesso pela BR-262, como novo local do aterro sanitário. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) diz que o veto foi feito após análise da Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano).

A informação contradiz relatório relatório e estudo de impacto ambiental, realizados pela Flora Brasil Engenharia e Consultoria Ambiental, na avaliação das três áreas. Nele, a da Fazenda Santa Paz, localizada a 10 quilômetros do condomínio Terra do Golfe, obteve a maior pontuação entre as avaliadas para abrigar o novo aterro sanitário, sob responsabilidade da CG Solurb, concessionária dos serviços em Campo Grande.

A escolha do novo aterro sanitário começou por conta da proximidade da capacidade máxima da área no bairro Dom Antônio Barbosa, em funcionamento desde o dia 28 de novembro de 2012.

Trad disse que outros dois terrenos listadas pela Solurb, concessionária do serviço de coleta de lixo de Campo Grande, estão sendo avaliadas pela Planurb: áreas Ceroula (a 15 km do centro urbano e acessada pela MS-080) e a Três Barras (a 35 km do centro e acessada pela MS-040).

A divulgação de que a área da Fazenda Santa Paz pudesse ser o novo endereço do aterro sanitário provocou reclamações dos moradores do Parque Residencial Maria Aparecida Pedrossian, que fizeram abaixo assinado contra a proposta. “Não vai ser lá, com certeza”, disse o prefeito, explicando apenas que o terreno foi descartado por critérios técnicos e não por conta das críticas.

No contrato com a concessonária CG Solurb, que venceu licitação e é responsável pela gestão dos resíduos sólidos até 2037, era exigido um segundo aterro.

O novo aterro vai atender Campo Grande, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Jaraguari, Rio Negro, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti e Rochedo. A expectativa é que em 2022 receba 1.098 toneladas de resíduos por dia.