A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

13/03/2015 14:24

Prefeitura mantém plantões, mas secretaria precisa cortar R$ 5 milhões

Flávia Lima
Profissionais da saúde se reuniram com representantes da prefeitura. (Foto:Marcelo Calazans)Profissionais da saúde se reuniram com representantes da prefeitura. (Foto:Marcelo Calazans)

A escala de plantão dos profissionais da saúde que trabalham na rede municipal não deverá sofrer cortes como havia determinado o prefeito Gilmar Olarte (PP). A informação é do superintendente de Saúde do município, Virgílio Gonçalves, que participou de reunião com profissionais do setor no final da manhã desta sexta-feira (13), na sede do Conselho Regional de Odontologia.

Logo cedo a categoria se reuniu no CRO para protestar contra a redução dos plantões como forma de cortar gastos da administração municipal. Os enfermeiros e técnicos tem uma jornada de 40 horas semanais e os plantões representam até 50% dos ganhos mensais.

Mesmo sabendo que a prática é exaustiva, a presidente da Associação dos Enfermeiros de Campo Grande, Sonia Maria Ferreira dos Santos afirma que é o único meio de reforçar o orçamento, já que a categoria não dispõe de um plano de cargos e carreira.

Após as deliberações e com a ajuda dos vereadores Carla Stephanini (PMDB), Luiza Ribeiro (PPS) e José Chadid (sem partido), uma comissão formada por membros do conselho estadual e municipal de saúde foi recebida pelo secretário de Saúde, Jamal Salem, porém ele determinou que o superintende de saúde, Virgílio Gonçalves fosse até o CRO conversar com os cerca de 200 profissionais que aguardavam um posicionamento da prefeitura.

A coordenadora da Mesa Diretora do Conselho Municipal de Saúde, Ione de Souza Coelho reiterou que a categoria é contra os cortes nos plantões e disse que uma audiência pública deverá ser marcada nos próximos dias para que os profissionais debatam com os vereadores a situação.

O superintendente Virgílio Gonçalves afirmou que vai discutir com o secretário a questão dos plantões esta tarde, mas alertou que o secretário pediu uma redução de gastos urgente e que será preciso encontrar novas maneiras de conter custos. “Vamos fazer um reordenamento e um novo desenho da situação de forma que nem os servidores nem a população sejam prejudicados”, afirmou. Ele disse que há uma determinação da administração municipal em cortar pelo menos R$ 5 milhões da Saúde como forma de economia.

Gonçalves irá se reunir com o secretário Jamal Salem para garantir que as escalas de plantões não sofram reduções, mas que caso seja necessário fazer alterações, que elas ocorram de forma organizada. 

Eventos de Natal, inauguração de igreja e obras interditam 9 ruas na Capital
A Agetran (Agência Municial de Transporte e Trânsito) informa que pelo menos 9 ruas terão o tráfego impedido neste domingo (17) em Campo Grande. O fe...
Bandidos armados com faca usam carro prata para assaltar vítimas
Dois homens armados com faca em um carro prata - com placas HTI-8594 - assaltaram ao menos duas vítimas, na madrugada deste domingo (17), no Bairro C...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions