A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

04/10/2018 09:05

Prefeitura tem 700 pessoas nas ruas no rescaldo de temporal, diz Marquinhos

Prefeitoa afirmou que está desde 5h30 percorrendo os locais que tiveram problemas

Marta Ferreira
Equipes da prefeitura em trecho da Ernesto Geisel que, segundo o prefeito, não teve estrago maior por causa das intervenções feitas recentemente. (Foto: Marina Pacheco)Equipes da prefeitura em trecho da Ernesto Geisel que, segundo o prefeito, não teve estrago maior por causa das intervenções feitas recentemente. (Foto: Marina Pacheco)

“Estou na rua desde as 5h40”, afirmou nesta manhã ao Campo Grande News o prefeito Marquinhos Trad, ao contar como está acompanhando o “rescaldo” da tempestade que atingiu a cidade ontem, a “pior chuva” em dois anos como prefeito, com estragos por toda a cidade. Marquinhos disse que ontem, logo após o temporal, foram deslocadas 500 trabalhadores para os locais atingidos e hoje esse número está em 700.

O prefeito destacou a “raridade” da chuva. “Os especialistas nos informaram que um evento raro, sem comparação”. Citou que em 1h15, choveu 36 milímetros. O que chamou mais atenção, e provocou tanto estragos, como alagamentos nos principais córregos, foi em linguagem mais fácil de entender, a grossura das gotas de água. “Foi uma chuva de densidade potencial alta”, informou Marquinhos, usando a linguagem técnica.

Segundo o serviço de meteorologia, a tempestade foi provocada pelo choque entre uma massa de ser seco que pairava sobre a cidade e outra de ar frio. 

Segundo o prefeito, 80% dos problemas são relacionados a galhos caídos e pedras e por isso as equipes na rua estão priorizando a limpeza da cidade.

Há trabalhadores, por exemplo, na Ernesto Geisel com a Rachid Neder, região que ficou tomada pela água e na Via Parque, que também foi completamente alagada.

Em outro trecho da Enersto Geisel, no sentido sul, onde estão havendo obras de contenção de enchente, foi identificado “um leve problema”, na definição do prefeito. Ali, de acordo com ele, poderia ter sido ainda pior, sem as intervenções que começaram a ser feitas este ano.

Assustou – O prefeito contou que quando a chuva começou, por volta das 14h de ontem, estava no gabinete e de lá acompanhou a situação. “Fechou tudo, o barulho assustou”. O prefeito lembrou que foram mais de 160 raios.

O prefeito destacou, ainda, que a chuva não poupou ninguém. “Teve problema de prédio público a empresa privada”.

A chuva deixou um rastro de barro na 14 de Julho, onde estão sendo feitas as Obras do Reviva Campo Grande. Agora de manhã, Marquinhos informou que vai percorrer o local com representantes da construtora responsável pelos serviços, a Engepar.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions