A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

03/06/2013 11:57

Presidente do Sisem diz que sofre acusações falsas e denuncia membro da Chapa 2

Luciana Brazil

Depois de ser acusado de desvio de dinheiro e outras fraudes, o atual presidente e candidato a reeleição do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), Marcos Tabosa, garante que está sofrendo incriminações falsas, sem provas. Ele disse ainda que já apresentou denúncia junto ao MPE (Ministério Público Estadual) apontando Pedro Félix, membro da Chapa 2 impugnada no processo eleitoral, como candidato financiado por assessores do prefeito Alcides Bernal (PP).

Segundo a denúncia, Félix estaria diretamente ligado aos assessores do prefeito, recebendo financiamento do atual gestor do município. Tabosa explica também que Pedro Félix teria sido cedido ao gabinete do prefeito. “Ao invés de se preocupar com a cidade, o Bernal fica tentando acabar com o sindicato”.

O candidato da Chapa 1 “Consolidação”, afirma ainda que o próprio Félix teria entrado na justiça para anular a ata do Sisem que definia o tempo mínimo de filiação ao sindicato. “Ele pediu na justiça que a ata onde aumentávamos o tempo para três anos fosse anulada. Não estou entendendo”.

Para Tabosa, assim como tenta fazer com a Câmara dos Vereadores, Bernal tenta desmoralizar o sindicato. “Ele quer passar a imagem para a população que eles não precisam da Câmara e do sindicato”.

Sobre as denúncias, Tabosa garante que todas são falsas. O inquérito policial, que apura o desvio de R$ 10 mil do sindicato, não foi concluído, segundo ele, porque não há provas. “Eles inventam as denúncias”.

E completa: “Assumi o sindicato em 2010, com uma dívida de R$140 mil e não tínhamos sede própria. Que tipo de ladrão é esse que paga a dívida, não deve ninguém e ainda compra sede própria, compra frota para o sindicato?”, indagou.

Eleição: Apesar da polêmica, a eleição começou hoje às 8 horas e, se não houver intervenção judicial, como prometeu o integrante da chapa impugnada, seguirá até às 17horas.

Dos 17 mil servidores municipais, poucos mais de 3, 2 mil são associados. Porém, apenas 1.722 mil estão coligados há dois anos, tempo mínimo para exercer o direito de voto.

Duas chapas concorrem à eleição, cada uma com 38 membros, entre diretoria, conselheiros e delegados. A Chapa 1 “Consolidação”, luta pela reeleição. A Chapa 3, “União e Força”, é encabeçada pela agente de saúde do bairro Universitário, Alzira Laureano Diniz. Cada mandato dura quatro anos.

Além da urna instalada no sindicato, 17 urnas itinerantes vão percorrer mais de 170 locais.

De acordo com o atual tesoureiro geral do Sisem, Oscar Mendes, o sindicato existe desde de 1989, mas a sede foi própria foi criada em 2010.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions