ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Preso na Máxima, Polaco quer autorização para cirurgia no PR

Por Aline dos Santos | 10/02/2012 13:46

Ministério Público solicitou laudo médico

Polaco foi preso em novembro do ano passado, na operação Alvorada Voraz. (Foto: Viviane Oliveira)
Polaco foi preso em novembro do ano passado, na operação Alvorada Voraz. (Foto: Viviane Oliveira)

Apontado como o maior contrabandista do país e preso desde novembro, Alcides Carlos Grejianin, o Polaco, pediu autorização da Justiça para realizar uma cirurgia em Londrina (Paraná).

Na solicitação, a defesa informa que ele tem um cisto na região da mandíbula e, antes de ser preso, já havia realizado exames no Paraná para passar pelo procedimento cirúrgico. O pedido à 1ª Vara de Execuções Penais foi feito no dia 18 de janeiro.

Preso na Máxima, em Campo Grande, Polaco fez avaliação médica na sexta-feira passada. “Ele está muito doente, extremamente debilitado. Pode até evoluir para câncer”, afirma o advogado Benedicto Figueiredo.

O laudo médico foi solicitado pelo MPE (Ministério Público Estadual). A avaliação aponta a cirurgia como único tratamento e informa que o procedimento pode ser realizado em Campo Grande.

Polaco foi preso no último dia 23 de novembro em Eldorado, durante a operação Alvorada Voraz, realizada pelo o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e PRF (Polícia Rodoviária Federal).

O esquema contava com a conivência de policiais militares, que recebiam propina para fazer “vista grossa” aos comboios de caminhões com cigarros contrabandeados. Ao todo, foram 17 mandados de prisão, sendo seis policiais.

Dono de um patrimônio milionário, Polaco responde a processos por contrabando de cigarro e lavagem de dinheiro A justiça federal já sequestrou seis fazendas de propriedade do contrabandista, sendo uma avaliada em R$ 20 milhões.

Alcides Grejianin também foi apontado como um dos envolvidos na morte do auditor da Receita Federal, Carlos Renato Zamo, que foi assassinado em outubro de 2006. Ele foi encontrado carbonizado dentro de um veículo na MS-295, entre as cidades de Iguatemi e Eldorado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário