A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

23/09/2015 07:42

Primavera começa com previsão de chuvas fortes e até enchentes em MS

Flávia Lima
Nova estação começa nesta quarta-feira e deverá trazer muita chuva para o Estado. (Foto:Marcos Ermínio)Nova estação começa nesta quarta-feira e deverá trazer muita chuva para o Estado. (Foto:Marcos Ermínio)
Calor intenso vai continuar castigando sul-mato-grossense. (Foto:Fernando Antunes)Calor intenso vai continuar castigando sul-mato-grossense. (Foto:Fernando Antunes)

Com início às 4h20 desta quarta-feira e término no dia 21 de dezembro, a primavera deste ano será marcada por fortes chuvas em todas as regiões de Mato Grosso do Sul, de acordo com dados elaborados pelo meteorologista Natálio Abrão, da Uniderp-Anhanguera.

Devido a intensidade, poderá haver enchentes e inundações, principalmente à tarde e inicio da no centro-sul do Estado, por isso o meteorologista faz um alerta a Defesa Civil quanto a possibilidade de inundações e transbordamentos nas bacias das regiões em Dourados, Rio Brilhante, Ivinhema, Angélica e no extremo sul entre Amambai, Sete Quedas, Mundo Novo, Iguatemi e Navirai, além de Campo Grande.

A previsão é confirmada também pelo Cemtec (Centro de Monitoramento do Clima, Tempo e Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul). De acordo com a meteorologista Cátia Braga, em algumas ocasiões, podem ocorrer descargas elétricas, ventos fortes e queda de granizo.

Contudo, haverá um aumento de sistemas que provocam grande quantidade de chuva em períodos relativamente curtos. Nas regiões norte e nordeste de Mato Grosso do Sul, as chuvas previstas ocorrerem abaixo da média. No extremo sul do Estado, a probabilidade indica 35% de chuva dentro do histórico.

Para a grande área central do Centro-Oeste, as análises sugerem o início da estação chuvosa no fim da primeira semana de outubro.

Segundo Natálio Abrão, a forte influência do El Niño acarreta muita umidade e nuvens carregadas no Centro-Oeste, produzindo chuvas mais fortes com pequenos veranicos no fim da estação.

Nas regiões norte e nordeste, as chuvas começam em outubro e seguem até novembro, Nessas regiões elas devem ficar abaixo das médias em toda a estação, principalmente em Chapadão do Sul, Costa Rica, Cassilândia e Paranaíba.

Nas regiões central e leste, entre Campo Grande, Ribas do Rio Pardo, Água Clara e Três Lagoas, a possibilidade de ocorrer precipitações dentro da média é de 45%.

A região oeste deve registrar chuvas dentro da média histórica, principalmente em Miranda, Corumbá, Ladário, Nhumirim e Bodoquena.

Em relação ao calor, segundo Cátia Braga, as temperaturas aumentam gradativamente nessa época do ano, como pode ser observado nos últimos dias, no entanto ela alerta que, por se tratar de um período de transição entre o verão e o inverno, poderá haver quedas bruscas de temperatura, como a programada para acontecer no próximo sábado, onde os termômetros devem registrar 13ºC na Capital e não passar de 8º no sul do Estado.

No entanto, de modo geral, conforme prognóstico do meteorologista Natálio Abrão, a tendência é que os termômetros continuem subindo, marcando valores próximos de 40ºC, com sensações térmicas bem acentuadas, como a registrada na tarde desta segunda-feira, em Coxim, que teve sensação de 51ºC.

As mínimas também ficam até dois graus acima e as máximas podem chegar até a cinco graus acima do esperado.
De acordo com os meteorologistas, tanto as regiões norte e oeste quanto a região central, serão as que mais irão sentir essa forte onda. Com isso, Campo Grande, Corumbá, Ladário, Três Lagoas, Coxim, Sonora, Alcinópolis, Cassilândia e Pedro Gomes devem apresentar temperaturas entre 35ºC e 42ºC.

Os meses de outubro e novembro, conforme as previsões, são os que devem apresentar as temperaturas mais elevadas e acima da média histórica para o período, como o ocorrido em Porto Murtinho, em outubro de 2008, quando foi registrada temperatura de 41,5°C. Até mesmo a região de Dourados tende a temperaturas acima de 38°C, assim como a região leste.

Quanto ao clima seco que castigou o sul-mato-grossense durante o inverno, o prognóstico indica, para a primavera, um quadro mais ameno. Porém, valores mínimos abaixo dos 30% poderão ser observados em alguns dias no mês de outubro.

Adolescentes se refrescam em lagoa da Capital, que registra uma das semanas mais quentes do ano. (Foto:Marcos Ermínio)Adolescentes se refrescam em lagoa da Capital, que registra uma das semanas mais quentes do ano. (Foto:Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions