A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

31/01/2013 18:14

Procurador vai ao lixão e diz que acordo não está sendo cumprido

Gabriel Neris e Helton Verão
Caminhão despeja lixo para catadores realizarem a separação do material reciclável (Foto: Rodrigo Pazinato)Caminhão despeja lixo para catadores realizarem a separação do material reciclável (Foto: Rodrigo Pazinato)
Procurador conversou com catadores durante a vistoria no lixão da Capital (Foto: Rodrigo Pazinato)Procurador conversou com catadores durante a vistoria no lixão da Capital (Foto: Rodrigo Pazinato)

Em visita ao lixão de Campo Grande na tarde desta quinta-feira (31), o procurador do MPT (Ministério Público do Trabalho), Paulo Douglas Almeida de Moraes, identificou que o acordo feito junto à Solurb e os catadores não está sendo cumprido. Moraes também pediu reforço no maquinário.

A principal reclamação é que trabalhadores e maquinários estão atuando paralelamente no lixão e no aterro sanitário. A empresa de coleta alega que não consegue manusear as máquinas devido à aproximação dos trabalhadores e argumenta também que não tem como limpar o local com apenas duas escavadeiras.

Já os catadores afirmam que as duas escavadeiras estavam paradas e só começaram a atuar com a chegada da fiscalização. O procurador afirma que ontem um homem foi soterrado na área destinada somente as máquinas no aterro sanitário. Os trabalhadores afirmam não conhecer a pessoa e que não se trataria de um catador.

O Ministério Público do Trabalho cobra que enquanto os catadores estão catando o lixo numa área, a Solurb deve limpar outro.

O procurador solicitou que os catadores façam a coleta do material reciclável e a Solurb limpe a outra área. Ele também sugeriu reforço no maquinário ou que haja expediente no período da noite. Entretanto, a ideia não foi dirigente pela empresa e também pelos trabalhadores, já que com a iluminação no local pode haver furtos de cobre.

O MPT também cobra a instalação de banheiros e proteção contra temporais. “Tudo o que não queremos é acidente aqui. Temos que evitar circunstâncias como este soterramento que acontecem ontem”, diz o procurador.

Paulo sugeriu ainda que o trabalho seja intensificado durante o dia e promete intervenção no caso com processo contra a Solurb ou a Prefeitura. Amanhã haverá reunião no período da tarde para repercutir a vistoria.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Isso parece até uma piada nê?A justiça não foi inventada para proteger a população? para fiscalizar, para que as leis existentes sejam cumpridas? fala sério essas pessoas voltaram a estar expostas à diversos tipos de doenças, estão "trabalhando" de maneira e em local insalubre, esse juiz é um sem noção por decidir sem ter conhecimento técnico para a área (Saúde e Ambiente) essa defensora pública é de uma hipocrisia total ao defender uma causa que nem deveria existir, à pouco tempo quando uma criança morreu nesse local culparam os pais, a empresa de coleta. E agora que há uma ordem judicial autorizando esses catadores a estarem no local que devia ser proibido, caso morra alguém vão culpar os responsáveis pela ação judicial que mandou-os de volta ao "trabalho"?
Tecn. em Saneamento Ambiental.
 
Indianara Gouveia de Sene em 01/02/2013 09:35:08
Se tivesse continuado fechado, não teria acontecido o acidente não é senhor PROMOTOR?
 
Rosangela Lopes em 01/02/2013 08:40:51
Quem acreditou que isso realmente ia acabar? O problema é sério e grave, e de uma certa forma não envolve somente as familias que de lá tiram seu sustento. Mesmo que estejamos em nossa casa longe do "lixo" nossas atitudes influenciam e muito, principalmente quando um copo, uma garrafa ou qualquer utensilho de vidro ou porcelana quebra e não tomamos os cuidados nescessários, tem crianças lá catando lixo, não que isso seja culpa nossa mas enquanto nossos governantes continuarem com esses contratos fajutos visando lucros pessoais, e não enxergarem os "seres humanos" que dependem deles (nós), todos padecemos em função de suas regalias. Escoria do Brasil não é somente os bandidos são também essa laia sem vergonha de politicos safados... enquanto eles estiverem lá temos d fazer nossa part. foda
 
Danilo Antonio em 01/02/2013 07:51:00
A solução é SIMPLES.... COLETA SELETIVA não leva reciclaveis para o lixão!!
meu lixo não tem nada que não seja biodegradável, tudo que é solido levo aos postos de coleta. Se todas as pessoas fizerem isso os catadores terão seu material limpo esperando apenas para ser separado por categorias....
 
Eny Feliz em 01/02/2013 07:35:24
TA FICANDO CHIQUE A COISA NO LIXÃO COBERTURA VAI TER CAFÉ DA MANHA TAMBEM ACHO QUE VOU PARA LA
 
claudinei braz em 31/01/2013 19:37:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions