A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

11/05/2011 18:35

Projeto que muda a Afonso Pena enfrenta campanha contra na internet

Marta Ferreira
Projeto prevê fim do estacionamento dos carros no canteiro central em trecho da avenida.(Foto: Arquivo)Projeto prevê fim do estacionamento dos carros no canteiro central em trecho da avenida.(Foto: Arquivo)

Se depender de um movimento iniciado na internet pelo vice-presidente da Federação dos Arquitetos do Brasil, Angelo Marcos Arruda, a caixa de e-mail do prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), vai lotar de correspondências contrárias ao projeto que prevê mudanças na Avenida Afonso Pena, considerada cartão-portal da cidade. A proposta prevê o fim do estacionamento de veículos em um trecho extenso da avenida, o que é aprovado por Arruda, mas também o alargamento das pistas, com utilização de espaço do canteiro central.

Pelo projeto, a faixa da esquerda da avenida passará a ter 3,5 metros, cerca de 80 centímetros a mais que hoje, com vistas à transformação futura em corredor de ônibus.

É aí que a ideia gerou críticas negativas. Para o arquiteto, o projeto coloca em risco a harmonia da avenida mais bela da cidade, referência para os visitantes de Campo Grande, e parte da história local. “Quem faz uma proposta dessa, não gosta de Campo Grande. Está se mexendo no coração da cidade, na história real, na avenida onde tudo aconteceu”.

Para ele, essa foi a “solução mais barata” encontrada pela prefeitura para resolver um problema cada vez mais crônico em Campo Grande, o trânsito tumultuado pelo excesso de veículos.

A partir dessa convicção, Arruda está convocando as pessoas, por meio das redes sociais na internet, para que mandem e-mails ao gabinete do prefeito contra a mudança. A ideia arregimentou vários apoios, como mostram os comentários que seguem à convocação de Angelo Arruda em sua página do Facebook.

Uma das principais queixas feitas é que não houve discussão com a sociedade, reclamação refutada pela Prefeitura. O diretor presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade Júnior, afirma que toda a discussão que chegou à conclusão de que a Afonso Pena é uma via importante para o transporte público na cidade foi feita em 2009, durante a confecção do Plano de Transporte e Mobilidade Urbana”.

Polêmica desnecessária”- Rudel classificou de “boba” a polêmica. Segundo ele o projeto, que ainda vai ser entregue ao prefeito, está sendo mal compreendido.

Ele diz que ao invés de descaracterizar a Afonso Pena, vai deixá-la mais bonita e privilegiar as áreas verdes no canteiro, ao proibir o estacionamento de veículos no trecho que vai da Padre João Crippa até a Ernesto Geisel.

“Esse estacionamento em 45 graus, como é feito, atrapalha o trânsito e até o desenvolvimento das árvores, por ficar sobre as raízes”.

Rudel afirmou que dos cerca de 4 metros dos canteiros, 1,6m de cada lado serão utilizados para alargar a pista. O restante do canteiro, afirma, vai ser transformado em área verde, nos mesmos moldes do que já foi feito no trecho em frente à Prefeitura de Campo Grande. Ao todo, 295 vagas de veículos devem ser eliminadas.

Ainda de acordo com Rudel, esse projeto é inteiro com recursos da prefeitura e ainda não contempla a transformação da via em corredor de ônibus. Para isso, Campo Grande tem outro projeto, já aprovado como parte do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), que prevê R$ 280 milhões para mobilidade urbana na cidade, incluindo corredores do transporte coletivo.

A prefeitura aguarda ser chamada ao Ministério das Cidades para defender o projeto, que ainda não tem prazo para liberação.



Ouvi dizer que os pontos de onibus vao ser transferidos das calcadas para o canteiro central assim como fizeram em Sao Paulo com os corredores de onibus.
 
savio bellinati em 24/05/2011 03:53:50
Concordo com a mudança,a cidade cresceu muito,desde que seja preservado as árvores do canteiro central,ou mesmo ampliar a area verde,nas laterais (calçadas)da avenida Afonso Pena,com o plantio de ávores adequadas,em toda sua extenção.Peço que preservem o verde em nossa cidade.Que esta perdendo um pouco,das árvores em algumas áreas da cidade,a nossa cidade,apesar de tudo continua linda!
 
carlos alfredo em 17/05/2011 10:49:03
Preservem as árvores pelo amor de Deus..
 
Altinor Fava em 13/05/2011 11:48:06
Também sou radicalmente contra a ampliação, em análise última, da possibilidade de ampliação do fluxo de automóveis na região central de Campo Grande.
A verdade é que Campo Grande caminha a passos largos para repetir erros cometidos, por exemplo, por municípios como São Paulo e Curitiba.
Ao invés de se estimular a ocupação horizontal, privilegia-se o crescimento vertical, de alto custo social (especialmente na parte de infraestrutura), de modo a fazer de Campo Grande um conceito falido de megalópole.
Lamentável.
 
Carlos Eduardo em 12/05/2011 12:38:06
Esse arqutiteto deve passar o dia todo dentro de casa.. Ou se nao é mais esperto que agente que anda de carro, deve ta andando de bicicleta, longboard, etc., o que eu acho bem melhor.

Mas para os mortais que andam de carro na Afonso Pena, é extremamente viavel a posicao do prefeito..
 
Antonio Augusto em 12/05/2011 12:28:27
A pista mais estreita que já trafeguei é esta da Afonso Pena ( capital com avenida igual rua de bairro) a pista não cabe o ônibus sem atingir a outra pista.

Eu apoio o prefeito nesta, pelo que vejo ele fazer nesta cidade.

" a se o prefeito da cidade que vim fizesse o trabalho que vejo aqui o prefeito de Campo Grande fazer"
 
Gilberto Ernani de Oliveira em 12/05/2011 12:25:15
Gente esse arq. Angelo Arruda é do contra, ele nunca esta a favor de nada. O Dr Rudel é uma pessoa preparada para o cargo e esta certo de querer mudar a Afonso Pena, não cabe três carros naquelas pistas. Até acredito que ele não faça mais pois não tem apoio necessário para isso. Esta é uma capital ainda provinciana onde todos até o Prefeito quer unanimidade, e para haver mudanças tem que saber que vai receber criticas mais e daí. Tem que fazer como nosso governador não tem medo e tem aprovação. Vamos Nelsinho apóia seu secretário vai ser para melhor. E tem várias ruas em c. grande precisando se tornar mão única. Esse negócio de muita reunião me lembra de uns Governos que passaram e não fizeram nada.
 
susi lima em 12/05/2011 12:18:43
Esse Angelo Arruda esta querendo aparecer, lembram quando caiu o viaduto da Av. Ceara??? Ele apareceu discursando e botando defeito em tudo.... Mas e solucao?? Algo concreto?? Isso ele nao tem!!! Discursar e facil, quero ver a pratica. Esse projeto da Afonso Pena ja vem tarde, agora que o poder publico tomou a atitude correta vem esse "arquiteto" querendo discussao??? Mais discussao?? Mais bla-bla-bla???
Chega de discurso, queremos uma capital moderna e funcional. Parabens Rudel pela atitude corajosa e necessaria. Parabens Nelsinho, por usar a razao e nao dar ouvidos a quem so quer aparecer!!!
 
Lucio Murilo em 12/05/2011 11:56:11
Uma tremenda falta de consideração com o cidadão de Campo Grande comete o professor Arruda. Francamente, o projeto amplia a segurança da avenida, preserva árvores centenárias, não agride qualquer plano arquitetônico e colabora com um problema que a cidade enfrenta, em doses homeopáticas hoje, mas que será terrível no futuro. O engarrafamento.
Parabéns ao Rudel e sua equipe.



 
Fabiano Silva em 12/05/2011 11:49:50
Que não comecem os estrelismos toscos e as infelizes colocações.
Mas já que a briga é de cachorro grande, como um baita guaipeca, irei dar uns pitacos.
Todos estão certíssimos em tudo mas nem em tudo estão certos.
Debate? Sim. Necessário e totalmente democrático.
PQ não debater e colocar ou formular um concurso para a melhor proposta?
Bem , não sei ao certo, mas pode ser que "alguém" fora do meio tenha a melhor idéia e projeto e como não é da "casa" fica complicado aprová-lo e colocá-lo em obras.
Plano Municipal de Mobilidade Urbana? Olhem. Se alguns opinaram e postaram que foi meio unilateral, devemos analisar e refletir. Pode ser que os estrelismos extremos não permitiram comparecer; pode ser que não enviaram convites para TODOS participarem; pode ter ocorrido "esvaziamento" nas questões ou nas horas cruciais dos debates, etc.
De qualquer forma o Plano ou um Plano é apenas um direcionamento estratégico da "coisa em sí" e não operacional ou técnico. É ou pode ter sido apontado que algo deva ser feito. NÃO NECESSÁRIAMENTE a primeira notícia em questão.
Ai acredito que o debate - sem aqueles extremismos ou arrogância ao extremo que sem dúvida acompanham os egos de pessoas com superficial filosofia.
A cidade é para o cidadão.
E cidadão não nasce em carro ou avenida. Ele se utiliza de meios de transportes para ir e vir.
O cidadão necessita de ar puro e de qualidade na umidade relativa do ar para sobreviver nessa cidade que no inverno se torna desértica.
Também lemos outras opiniões. Metrô, VLT, etc. Mas pergunto. Nossos planejadores tem "culhão" para encarar uma idéia dessa? Pela qualidade nas obras asfálticas e de visão em nossa capital a resposta é NÃO. Farão alguns túneis como aquelas "fraquinhas" estatuetas politiqueiras que se encontram no Paço.
Outro ponto. Onde estão os partícipes desse Plano ? Até agora ninguém - salvo o BigBoss da Agetran mostrou a "cara".
Por gentileza , vamos discutir sobre o fato e não começar aquela ladainha de "ai, vc é muito bobinhoooooooo", Somos adultos.
 
Orlando Lero em 12/05/2011 11:13:45
Apoio totalmente o projeto da Prefeitura Municipal. E espero que aumentem o corredor de ônibus (do jeito que está, não dá).
 
Gilberto Ramos em 12/05/2011 11:12:38
Concluir um pensamento sobre certas decisões tomadas pelo Poder Público não é tão difícil, basta questionar-se sobre uma série de "por quês". Sempre respondendo ou procurando respostas que levem à aos objetivos escusos desse Poder.
Veja bem que se observarmos com detalhes os diversos motivos e em particular o caso da Av Afonso Pena não encontraremos alternativas NDA. A avenida em questão é corredor de passagem dos figurões que ocupam cadeiras no Parque dos Poderes e que constantemente necessitam deslocarem-se para o Aeroporto e, como sempre, saem quase na hora do embarque e têm que enfrentar o tráfego. Isto não acontece com a avenida Mato Grosso que tem uma Igreja que faz daquele trânsito um inferno sem avisar para que tomemos outros rumos. Sempre nos pega de surpresa e geralmente quando mais temos pressa.
 
Ezio José em 12/05/2011 10:56:49
Vice-presidente da Federação dos Arquitetos do Brasil, Angelo Marcos Arruda devia arrumar alguma coisa para trabalhar, o que falta é trabalho para ele executar, por isso obras tempo para criticar, tudo e todos, sempre...
 
João Junior em 12/05/2011 10:53:02
Não é alargando ruas que se resolverá o problema de trânsito de Campo Grande. A administração tem que estudar melhor os problemas da cidade. Soluções paliativas somente adiara o caos (que ja se instala no trânsito da capital,). E quando não tiver mais canteiros para reduzir, como é que fica? Tem que pensar de forma sistêmica; porquê o fluxo no centro é cada vez maior? porquê tanta gente se desloca para o centro? Quais são os serviços e produtos mais procurado no centro que resultam em movimentação de pessoas e consequentemente veículos? Porquê o trânsito na cidade não tem sinalização, condizente com o porte da cidade? Porquê só se pensa em transito de veículos, e não de gente? Quais os grande eixos causadores dos deslocamentos (fluxo de trânsito) das pessoas em Campo Grande? Porquê não se usa mais o transporte coletivo para o acesso ao centro da cidade? e outras questões a mais que devem ser questionadas para gerar discussões em busca das verdadeiras soluções que devem ser implantadas JÁ, não deixando o agravamento dos problemas para o futuro. Chega de gastar dinheiro (nosso dinheiro) com soluções paliativas, inúteis e que no final somente agrava a situação
 
João Duarte em 12/05/2011 10:43:19
e se apenas mudasse as vias de ônibus retirando da avenida Afonso Pena, transferindo para as vias paralelas destinando principalmente para passagem de ônibus, resolveria o problema.
 
ALFREDO SOUZA em 12/05/2011 10:41:17
Esse ângelo Arruda é mesmo o rei da arruaça, famosíssimo por ser contra tudo e todos. Não sei como a imprensa ainda dá atenção a ele, francamente.
 
Daniela Franco Maia em 12/05/2011 10:26:38
Acho excelente a iniciativa da prefeitura. Aqui em Campo Grande até pra comprar um remédio na farmácia da esquina as pessoas pegam o carro. Quem sabe tendo que enfrentar o amargor de não ter onde estacionar as pessoas aprendem a deixar o carro em casa, pegar carona, taxi, ônibus, a pé, enfim, porque não é verdade que os carros estacionados nos canteiros são todos de pessoas que estão trabalhando naquele momento. Isso é piada.
 
Zuleide Cruz em 12/05/2011 10:25:28
Prezado "Colega" Angelo Arruda,
“Profissionais” não criticam projetos de “colegas profissionais”, ainda mais quando não conhecem os detalhes e propostas. Hábito não muito saudável que cria polêmicas inócuas e desnecessárias, midiáticas.
Como ex-integrante do alto escalão da administração municipal, v. sabe muito bem que nós técnicos elaboramos os projeto, os apresentamos ao Sr. Prefeito e, após essa análise e discussão, há a divulgação necessária. E assim será feito, como sempre se fez.
Admiro que um grande profissional como v. tente desqualificar o Plano Diretor de Transporte e Mobilidade Urbana (PDTMU), tão bem conduzido e elaborado pela equipe da Planurb, órgão que v. tão bem conhece e dirigiu, formado por técnicos que merecem o nosso respeito, antes de tudo.
Agora, chamar um colega de UFMS de antidemocrático, fascista, etc.. não condiz com posturas que aprendi dentro da própria UFMS. Estranho isso, vindo de um “profissional” que sempre que solicitou foi recebido por mim com a maior educação, necessária e fundamental, principalmente para nós professores.
Grande abraço.
Rudel
Dir-Presidente da AGETRAN
 
RUDEL ESPÍNDOLA TRINDADE JUNIOR em 12/05/2011 10:25:06
É necessário as mudanças, pois a cidade vai crescendo e tem que haver projetos arrojados para acompanhar o desenvolvimento de Campo Grande, os ônibus atrapalham e muito o trânsito no centro da cidade, tem que haver mudanças sim, principalmente retirar os coletivos do centro da cidade, os mesmos deveriam circular em um quadrilatero entre as avenidas Ernesto Geisel, Fernando Corrêa da Costa, padre João Crippa e alguma rua após a avenida Mato Grosso, colocar micro ônibus para trajetos internos neste quadrilatero, desta forma o trânsito ficaria mais viavel. Quanto as vagas de estacionamento, grandes projetos estão saindo no centro de Campo Grande, haverá a construção de dois shopping com mais de seiscentas vagas de estacionamento, para quem gosta de se exercitar um pouco também à trezentos e cincoenta vagas no antigo terminal rodoviário. O progresso é bom para todos.
 
Carlos Alberto Alfonso de Melo em 12/05/2011 10:23:15
Em minha opinião, o Sr. Ângelo Arruda, notoriamente conhecido por adorar holofotes, quer mais uma vez chamar atenção. Primeiro porque nas reuniões PÚBLICAS destinadas às discussões sobre a revitalização no centro, ele optou por não participar e se limitou a fazer duras críticas. Ora, se o referido arquiteto preferiu não participar das discussões a fazer suas polêmicas opiniões fantasiosas e "do contra" terem alguma aplicabilidade, por que temos que dar atenção às suas palavras agora? A promotora de justiça de meio ambiente igualmente vaidosa (tanto que foi "promovida" a procuradora como uma forma de calá-la porque fazia besteira demais) encabeçou uma ação para TOMBAMENTO dos canteiros da Afonso Pena. Ou seja: a cidade está abarrotada de pessoas excessivamente saudosista e inconsequentes, que defendem ideias românticas de um apego à história quando na realidade o que precisamos é de progresso e QUALIDADE DE VIDA. Uma quarta via de rolamento exclusiva para Ônibus é fundamental na cidade. Os estacionamentos em canteiros só atrapalham as faixas de velocidade, assim como os retornos, que em todas as cidades mais desenvolvidas foram completamente dizimados em prol DA MELHOR CIRCULAÇÃO DE CARROS da cidade.

Por outro lado, a prefeitura precisa pensar em alternativas para repor os estacionamentos. Penso que estacionamentos verticais seriam bastante proveitosos, mas chegará um ponto que o excesso prematuro de carros nos obrigará a implantar o sistema de rodízios. Será que somente desta forma teremos a tranquilidade de que precisamos? Vejam que as ruas de Campo-Grande são bem mais largas que a da maioria das capitais. Outro problema que temos que enfrentar vem de berço: a má educação no trânsito. Precisamos de mais fiscalização, claro. Mas leis mais duras também são urgentes, pois a cada dia mais pessoas morrem em acidentes de trânsito. Espero que o projeto da prefeitura seja aprovado, que a obra seja bem desempenhada e que as consequências dessa intervenção sejam bastante positivas no nosso dia a dia. E espero, também, que a mídia aprenda a lição de não dar atenção a sujeitos egocêntricos que em detrimento do desenvolvimento da cidade querem alimentar o próprio ego ao terem o nome divulgado aos quatro ventos.
 
Gustavo Sobreira em 12/05/2011 10:23:13
acabar com o estacionamento nas vias principais, e criar ciclovias, e criar corredores por onde devem passar onibus, sincronizar sinais, no centro da cidade, em varios locais no centro comercial de cg, fecha p um lado e abre imediatamente para o outro, e os pedestres como atravessam??!!! a cidade deve priorizar o que é de interesse coletivo. concordo com a manutencao da afonso pena, vai deixa-la com transito mais fluido. quem tem automovel, que pague estacionamento particular, como acontece na maioria dos grandes centros.
 
Emerson Miranda em 12/05/2011 10:03:54
Eu aprovo a medida, pois a afonso Pena precisa ser alargada, esse arquiteto deve andar só de carro, por isso fala não aprova, e outra quem disse que aquela avenida é bela, asfalto todo acidentado.
 
Ronny Sergio em 12/05/2011 10:00:09
Senhores do executivo, primeiramente vamos nos preocupar com a sinalização horizontal no trânsito de nossa cidade. Vocês já circularam pela avenida Hernesto Gaisel?, nâo?, então circulem e verão quão difícil é tal façanha. Não há delimitação de faixas, dificultando assim, o deslocamento lateral por parte do condutor. Situação esta, totalmente em desacôrdo com o código de transito vigente. E quem irá multar a prefeitura por essa omissâo?. No caso de um albaroamento o ônus volve-se para os munícipes (como sempre), e a administração, inerte. Portanto, temos que desenvolver a nossa cidade de forma organizada e administrativamente RESPONSÁVELl, e não politicamnete IRRESPONSÁVEL. E não é só a citada avenida que sofre tal problema( sinalização horizontal). Basta circular pela cidade e se verá a muntiplicação desse fato.
 
Edson f. chaves em 12/05/2011 09:59:59
Deixar as coisas como estão, são para mentes retrógradas. Tem que se pensar no futuro, São Paulo demorou para implantar o metrô e sofre hoje, com lotações em todos os sentidos, será que vamos repetir o erro dos outros? Campo Grande está expandindo, precisamos de soluções para o trânsito, para o transporte. Eu mesma, largaria meu carro em carro, se tivéssemos pontualidade na partidade/chegada, praticidade e condições decentes para se usar o transporte coletivo. Mas as cabeças pensantes do nosso país/estado/município, só arrumam soluções paliativas, nada de realmente concreto e eficaz.
 
Evely Cristiane em 12/05/2011 09:50:47
Penso que levar essa discussão para a UFMS seria muito interessante, principalmente pelo fato de que os dois envolvidos nessa polêmica (sr. Angelo e sr. Rudel) são professores da UFMS, poderiamos então conhecer uma posição que fosse representativa dos demais tecnicos da instituição, não ficando apenas na opinião pessoal de cada um deles.
 
Paulo Renato em 12/05/2011 09:40:24
O Dr. Angelo Arruda é bastante oportunista e gosta de causar polêmicas para mostrar seu nome. Entretanto, suas idéias são retrógradas e inúteis, pois a cidade precisa crescer e se modernizar.
Impossível viver no passado. Imeginem o caos no trânisto se ainda existisse o relógio na esquina Afonso Pena/Quatorze de Julho.
E outros grandes monumentos arquitetônicos da cidade que são destruídos diariamente, que idéias o Professor Angelo apresenta sobre eles. CIta-se, como exemplo, o casarão na esquina da Rua 15 com a Igreja Santo Antonio (última residência de Lidia Bais), ou o casarão em frente a esse endereço, que, s.m.j., foi residência do pai da D. Neli Martins.
Que idéia o Professor apresenta sobre o imóvel de propriedade do Sr. Paulo Pedra na Rua Anotnio Maria Coelho que está em ruínas?
Esses monumentos precisam ser mantidos para garantir a história da cidade e sua população, mas o trânsito precisa ser adequado com o crescente fluxo de veículos, especialmente, em CampoGrande que parece não ter engenharia de tráfego e o trânsito a cada dia que passa se torna mais caótica e causador de vítimas.
Totalmente equivocada a idéia retrógrada do Ar. Angelo Arruda.
 
ricardo rodrigues em 12/05/2011 09:28:18
Só de retirar as vagas de estacionamento de ambas os lados já aumentaria em duas faixas de trânsito a mais na Afonso Pena. Mas quero ver isso acontecer.

Em cidades maiores, tirou-se as vagas de estacionamento nas principais ruas do centro da cidade, tomando a rua inteira como via, o que já ajuda muito. Trabalho em um prédio no centro (Rua 13 de Maio) entre Barão e Dom Aquino. Da sacada sempre assistimos a formação de engarrafamento quando alguém faz uma baliza aqui. Do lado direito da 13 então, que é por onde passam os ônibus, é batata. É alguém querer parar em frente do Banco do Brasil ou da Igreja Batista que ali existe, e faz-se o caos no trânsito.
 
Rodrigo de Paula Fontes em 12/05/2011 09:14:43
Eu sou contra. Tem outras prioridades. Cantratar um bom engenheiro de trafico, porque o nosso não ta com nada.
 
Zilá M.Freitas em 12/05/2011 09:01:35
"A AFONSO PENA É NOSSA"

Caro Prefeito "Mude de idéia e não avenida".

ACP contra essa proposta um tanto quanto BIZARRA.

- Que tal ampliar as áreas dos pedestres e ciclitas?;
- Que tal ampliar a participação dos transportes coletivos?;
- Que tal revitalizar a Praça Ari Coelho?;
- Que tal estabelecer/definir a legislação sobre o posicionamento de caçambas ao longo das calçadas?;
- Que tal estabelecer medidas eficazes para o fortalecimento da acessibilidade?;
- Que tal colocar em prática o projeto "CIDADE LIMPA", diminuindo a quantidade absurda de outdoors e aumentar a quantidade de lixeiras na área central?;
- Que tal iniciar um projeto para substituição das atuais lâmpadas do sistema de iluminação pública por lâmpadas LED. Aumenta a eficiência de iluminação e diminui os custos e ajuda a população (COSIP menor)?;
- Que tal discutir isso com a população de maneira séria, honesta e transparente?.

Acho que os Gestores Municipais tem muita coisa a fazer... não se esqueçam que o VOTO É OBRIGATÓRIO, mas isso não é garantia de elegebilidade!!!
 
Marco Aurelio em 12/05/2011 08:55:45
De parabéns estão os técnicos da Prefeitura pela coragem de "tocar esse polêmico, mas importante e necessário projeto'. Mesmo construindo mais uma faixa de rolamento em cada lado da via, ainda sobrará muita calçada para manutenção das árvores e jardins naquela via. Agora, lógico que muita gente não vai concordar, principalmente aqueles que transformaram o canteiro central em pontos comerciais. Essa sim é uma briga boa e indispensável. E se a alegação é falta de vagas para estacionamento, isso é simples: Ou estacionamos nossos veículos em vias próximas, ou pagamos por espaços particulares, ou ainda, melhor seria deixa-los em casa e passarmos a utilizar mais o transporte público de passageiros.
 
Fernando Silva (Campo Grande/MS) em 12/05/2011 08:48:59
Enfim vão acabar com esse estacionamento, todo dia tem acidente. Já que o motorista não se adequa, a cidade acaba tendo que fazê-lo. Tem gente que só quer parar na frente do lugar e detesta fazer uma caminhada de 3 quadras...Daqui a pouco tem estacionameno no lugar do Parque das Nações, Parque dos Poderes...rsrs Derruba a Amazônia e faz tudo estacionamento, Shopping

Agora, se não tiver radar nesse trecho, de nada adiantará, pois será mais uma pista de corrida, somando-se ainda o fato de cidadãos "radicais" atravessarem fora da faixa de pedestres, correndo em meio aos "desesperados" velocistas...

***E nem adianta falarem da "indústria do radar", pq isso não cola. Tira o pé e anda na boa! Se não tiver radar em Campo Grande a turma pisa mesmo e sem dó, É FATO.
 
Philipp Ernesto em 12/05/2011 08:46:35
Arruda tem razao. Vejo que falta profissionalismo na nossa prefeitura. As coisas sao feitas sem estudos, ou projetos mal feitos, com muito mau gosto a exemplo do predio da prefeitura na C. Mariano (coisa feia). É; projetos politicos dão nisso.
 
sebastiao dos reis em 12/05/2011 08:37:59
Bom dia a todos! Sou neto e bisneto de pessoas que nasceram e criaram-se ou vieram de outros locais e se instalaram neta cidade; por exemplo: ARLINDO DE ANDRADE meu bisavô E DRº SILVIO DE ANDRADE meu avô, srs esses que ajudaram em muito esta cidade e principalmente em plantar a enorme maioria dessas arvores que temos hj no canteiro da afonso pena. Mexendo nesse locas, estarão tirando a beleza e a história de familias da nossa cidade.
 
Akynson Rodrigues de Andrade em 12/05/2011 08:31:33
Sr. Rudel se o projeto foi discutido, por que está sendo "mal compreendido" então? Foi só o senhor entrar para essa turma para se tornar um deles...Apresente o projeto a sociedade então.

 
Mário Rosa em 12/05/2011 08:27:46
Concordo sim que deva ser feito algo, mas nao vai adiantar mudar o nosso cartao postal, pois alem do transtorno que isso ira causar, e pelo historico do tempo de execucao das obras, isso deve demorar muito. Acho que deva ser feito um estudo melhor, pois essa solucao nao vai resolver, e quando terminar as obras, com certeza, ja teremos problemas novamente, por causa do aumento da frota. Portanto vamos procurar solucoes definitivas e nao paleativas.
 
Edney Massami em 12/05/2011 08:23:36
É somente este sujeito que vê beleza no transito caótico que é a avenida Afonso Pena...
 
Marco Aurélio em 12/05/2011 08:06:23
Apoio completamente o Projeto. Em grandes cidades não se vê estacionamento no meio de uma avenida. Querem pagar pouco pelos estacionamentos?? Saiam de casa de ônibus. Desde que não agridam às belas árvores, essas permaneçam num pequeno espaço. Melhorar e melhorar sempre. Campo grandense tem essa mania de achar que o melhor não e bom mas reclamam sempre. Difícil agradar pessoas asssim. Tem que aumentar a via sim.MAIS QUE APOIADO.
 
Lucia Castro em 12/05/2011 07:42:20
O PAC2 é mais uma grande piada do governo federal, ele prioriza a "Aceleração do Crescimento" mas não dá a mínima ao Crescimento da Infraestrutura.

Não temos Hospitais suficientes, os Pronto-Socorros não suportam a demanda, As Unidades de Saúde estão caindo aos pedaços, Construíram 2 UPAs bonitinhos para mostrar para o pessoal do Ministério que vem visitar. Mas as Unidades Básicas estão de mal a pior. Entendo que para acelerar o crescimento, obrigatoriamente tem-se que investir na Infra-Estrutura para suportar esse crescimento, inclusive remunerando adequadamente o Funcionalismo, mas não apenas "Uma meia dúzia" de amigos do Rei.
 
Luiz Antonio M Costa em 12/05/2011 06:31:50
Vejam vocês que NÃO está se falando em ACABAR com o canteiro central. Uma pequena fatia será retirada de cada lado para alargar NECESSARIAMENTE a via, dando espaço pra que ela caiba, além do ônibus, mais dois carros lado a lado, coisa que hoje não comporta.

Sempre questionei a existência desse 'CAMPO DE FUTEBOL' que é o canteiro central da Av. Afonso Pena. Um palmo de grama de cada lado não vai descaracterizar nada.

Deixemos de nhémnhémnhém, de discussões acadêmicas e vamos à prática.

Aliás, que coisa deprimente é aquela árvare TODA cheia de ESCORAS na esquina da Pe. João Crippa c/ a Afonso Pena?! Não seria melhor tirá-la e plantar outra? Nada nessa vida é eterno. Mesmo na natureza as plantas seguem o ciclo de nascer, crescer e morrer e ficam querendo perpetuar certas coisas sem a menor necessidade.

 
arthur donavann em 12/05/2011 02:01:43
De fato, se isso ocorrer as mudanças serão bem vindas na nossa capital que sofre em alguns aspectos um atraso.Mas agora e ver para crer.
A respeito dos critérios Sr Arruda são atrasados.
 
Vilton Vera em 12/05/2011 01:39:07
Com certeza o Sr Rudel e nossas autoridades estão pensando para o bem da nossa Capital, esse projeto é muito interesssante mas na minha opinião sou contra, pois em frente a prefeitura ficou muito bonito, mas se tranformou em um caos arrumar uma vaga de estacionamento, as pessoas vão a prefeitura fazer algum negocio e nao conseguem achar vagas, ainda mais agora que nem no estacionamento de dentro da prefeitura não pode mais estacionar, nem para as pessoas que vão na propria prefeitura, isso é o caos, ta certo se tivesse um local amplo para estacionamento ai sim, Como vamos deixar o carro a leguas dos estabeleciemntos pra poder fazer nossas obrigações? Imagina pessoas idosas e deficientes,sera que tudo isso é para obrigar a população pagar estacionamentos particulares? eu penso que temos que fazer coisas, projetos para beneficiciar a população, ja vivemos em um mundo cheio de burocracia, tão dificil de viver, ja e dificil de arrumar vagas pra estacionar,e ainda passar por mais isso, sem falar no calçadão historico da pedra, nos dogueiros que a população ta acostumada sentar pra lanchar e descansar tendo uma vista tao bela da Afonso Pena, Ta certo vamos reestruturar nosso centro, mas vamos fazer pensando no bem da população, pensar em deixar a vida do cidadao mais facil e não dificil
 
Sebastião Ronei em 12/05/2011 01:23:40
por curiosidade, onde acomodar esses 295 vagas de estacionamento que sera retirado?
se com essas vagas, ja nao acha lugar pra estacionar, imagina com 295 vagas a menos, transforme os de 45º para paralelo com as vias.
 
lucas natalicio silva de moraes em 11/05/2011 10:55:19
Os projetos aprovados com recursos federais ou próprios devem ser concluídos integrais.

Tem um gargalo no cruzamento da Av. Costa e Silva com a Via Morena,perto do Atacadão, que está difícil de resolver.

Quando o Presidente Lula esteve aqui em Campo Grande, chegaram até concluir aquele trecho, mas logo em seguida, fecharam com meio fio. Foi feito igual aquele ditado: "somente para inglês ver".

 
Elias Moura em 11/05/2011 10:38:16
Sinceridade... Não tem por que fazer isso... Melhor coisa é ensinar os motoristas campograndenses a dirigir, parar de fazer fila indiana. Respeitar a seta, sair do sinal mais rapido, 20% são pessoas que deixam os seus filhos no colégio as 7 horas da manha e sai passeando em pela avenida afonso pena, mato grosso, ernesto geisel e outras esperando começar algum programa na TV ou esperando dar a hora de ir para a academia ou serviço. 10% celulares. 20% pedestres. , 10% filas duplas em colégios e entradas de bares e restaurantes. 30% os maus motoristas, 10% as avenidas. Acho que não é por ai que vai resolver o nosso problema no transito. A prefeitura, Detran e o Governo do estado tenta fazer tanta coisa ao mesmo tempo e acaba não fazendo nada. Alguém se lembra da lei da cadeiriha? Eu comprei, acho corretissimo, mas nunca vi uma blits em porta de colégio, E a lei do engate pior ainda. E o bafometro. A meses eu passeio a noite na cidade e não vejo ninguém fazendo o teste. Particularmente o unico problema nosso na nossa cidade e estado são nossos governantes.
 
wellington luxemburgo em 11/05/2011 10:32:46
Tem gente que não tem o que fazer...

Pelo visto a proposta do Sr. Angelo Arruda é manter a Afonso Pena desse jeito, como há décadas atrás. Na visão dele o centro de Campo Grande deve ter um transporte coletivo impecável, as calçadas devem ser modernas, e as faixas de rolamento devem ser absurdamente largas.

Seria bom ele acordar pra realidade. Esse projeto é mais do que bem-vindo, é extremamente necessário.
 
Felipe Ribeiro em 11/05/2011 10:32:33
Os coletivos deveriam subir a barão do Rio Branco em direção ao Shopping e voltar pela XV de Novembro ( embora esta última já esteja bastante congestionada ), assim melhoraria o fluxo de veículos na Afonso Pena, e também aqueceria o comércio nas referidas vias, os usuários dos coletivos andariam mais a pé, em compensação ganhariam mais tempo dentro do coletivo com o melhor fluxo de veículos. Também não a solução ideal, mas pelo menos é barata, e sem obras, não deu certo? volta ao normal.
 
leandro braga em 11/05/2011 10:15:54
Na minha opinião acho que tem que mudar sim, tem que alargar a pista, o trânsito está impossível no centro da cidade. É um caos.
O problema depois serão a falta das vagas, que já são escassas, perdendo 295 delas será pior ainda. Precisamos de uma solução nesse sentido aqui para a cidade, o aumento das vagas para estacionamento.
 
Smaily Prado em 11/05/2011 09:53:53
O projeto ainda nem foi apresentado, e ja tem gente contra? sinceramente, ta parecendo que o projeto dele nao teve espaço e ele ja ta querendo ir contra o projeto dos outros, isso é imaturo nós sabemos que nossas avenidas precisam de mais espaço, de reestruturação, façam - me o favor né.
 
Cristina Ferraz em 11/05/2011 09:41:46
Até compreendo a posição do Rudel, pois está "puxando a brasa pro seu assado", mas dai pra classificar de "boba" a preocupação de um profissional da capacidade do Dr. Angelo Arruda, é menosprezar a nossa inteligência.
 
Hilda França em 11/05/2011 09:23:22
Esse colega professor da UFMS, Rudel Trindade, deveria ser mais democratico. Falar de um Plano de 2009, onde ninguem que eu conheça, o conheçe e dizer que esse caminho que ele toma é o correto. é uma posição fascista. Democracia se faz com discussão; venha ele para a UFMS debater, então? Vamos la Rudel apresente sua proposta numa reunião da UMFS para todos a conhecer? Entregar ao Prefeito, é uma etapa. Cumpra seu mandato mas venha para o debate. Não fuja dele;
 
Angelo Arruda em 11/05/2011 09:21:13
E os donos de estacionamentos no centro de campo grande, cada dia lucrando mais......já está 4 reais o estacionamento no centro, quero só ve depois que acabarem com mais 295 vagas......
 
joao pedro em 11/05/2011 09:17:56
Isso seria bacana, a cidade concerteza ficaria mais bonita, mais, é um caos estacionar nesse centro todos os dias, os estacionamentos já estao caros imagina depois que mudarem. A populaçao tem que ver o projeto antes, senao mais dinheiro iremos gastar, e alando em dinheiro, por que ao inves de fazerem isso não termina a norte sul, em frente ao guanandizão o asfalto desmoronando... vamos ver o que é necessario!!
 
Heliandro Pitaluga em 11/05/2011 09:10:14
Campo grande cidade transporte de onibus coisa do passado,hoje temos que ter metro.transformar ruas de campo grande extrair seu cartão postão
 
elvira werner em 11/05/2011 09:04:35
Mudar a Afonso Pena alargando a faixa de rolamento é uma alternativa tosca, na verdade não vai resolver o problema do trânsito já que este não se fundamenta apenas em alterações de planos viários pontuais...é necessário que se pense em soluções que considerem também o aumento substancial de veículos em nossa capital. Pistas mais largas vão funcionar por pouco tempo, logo as nossas ruas estarão novamente "entupidas", com o caos estabelecido. Ao invés de destruir os canteiros de nossa principal avenida, vamos replanejar o centro, criar passeios para a fruição de pedestres, bicicletas e outros meios de locomoção nada ou pouco poluidores. A arquitetura deve repensar estilos e melhorar a relação homem e o seu meio, não devia servir interesses que visam o imediatismo na política. Nós temos outros grandes nomes na arquitetura, não temos?
 
Fernando Andrighetti em 11/05/2011 09:01:39
Eu já nem me importo mais com nada nesta cidade, depois da retirada desnecessária dos trilhos, e da falta de cuidados por parte da prefeitura para com o maior cartão-postal da cidade que é a Praça Ary Coelho, que está uma vergonha, um fedô da Pêga, isto porque, os moradores desta cidade vivem denunciando pessoas humildes da periferia, que criam galinha (por necessidade), alegando mau-cheiro, agora, no centro da cidade pode-se fazer banheiros químicos horrendos, fétidos, que tiram toda a beleza da cidade. BANHEIROS QUÍMICOS SENHOR PREFEITO, SÃO APENAS PARA PERÍODOS CURTOS, TEMPORADAS EX: CARNAVAL ETC. MAS NÃO PARA TODA VIDA. Principalmente em uma praça central como é a acima citada. Prefiro morar perto de um chiqueiro de porco. Que adianta cuidar da Afonso Pena e deixar a praça naquele estado.
Acho que é porque a obra da avenida é mais cara, dá mais lucro.
 
Angel Dourado em 11/05/2011 08:48:07
Esse Sr.Angelo Marcos Arruda provavelmente não tem carro ou não trafega pela cidade em dias úteis. Essa Av. Afonso Pena do jeito que está e com a quantidade de carros que tem atualmente nossa capita, NÃO TEM CONDIÇÕES. Está insuportável. Acredito que a cabeça dele ainda continua nos anos 70. VIVA A MODERNIDADE e ao fluxo rápido de trânsito, nossa capital merece.
 
Marcos Cezar em 11/05/2011 08:38:33
Bom pessoal, não tenho formação acadêmica de engenharia, portanto não vou defender a prefeitura com seu projeto (que não conheço na íntegra), tampouco o Sr. Angelo Marcos Arruda, com sua tese de defesa ao empreendimento em questão, mas gostaria de colocar em pauta que a polêmica vai longe e não muito distante, divemos um caso parecido o qual eu gostaria de relembrá-los.

Quando iniciou-se a discussão sobre a mudança da feira central do quadrilátero onde hoje se encontra edificado o templo da igreja Universal, os feirantes e parte da população eram totalmente contrários ao projeto apresentado, mas foi implantado a construção na área da antiga estação ferroviária e hoje, posso dizer que quase 100% da população e 100% dos feirantes, aprovam as mudanças feitas na época, sendo o espaço um cartão postal da cidade, modelo para tantas outras em nosso País.

Portanto, acho prematuro defender a não implantação desse projeto em pauta, crendo que o ideal é aprofundar as discussões sobre o assunto junto aos idealizadores do mesmo e a população para chegar-se a um consenso, até porque quem quationa a viabilidade urbanística do mesmo é uma pessoa que tem conhecimento do assunto.

Não acho que ficaria bom alargá-la somente na faixa da esquerda, se o fizer, deveria ser de forma ampla (dois lados), aí sim a estética visual teria um impacto positivo e as vantagens seriam maiores quanto ao uso benefício da população.

Espero ter contribuído com minha opinião por ser minha cidade do coração, tanto que me interesso por ela mesmo não estando morando aí hoje, mas todos meus familiares moram e querem ver uma "morena" sempre linda como és.
 
Francisco Chagas de Araujo em 11/05/2011 08:28:44
Acho a idéia boa. Essa historia de coração da cidade é coisa que atrapalha todo progresso, e essa rua precisa mesmo de mais espaço. Movimenta na internet algo mais produtivo, como doações para hospitais etc. Lá sim esta o coração da nossa cidade.
 
Roberto Leite em 11/05/2011 08:02:25
É uma tomada de decisão unilateral, ou seja, dane-se o que o povo deseja. Tomara que o povo tome uma decisão unilateral nas urnas também.
 
Bruno Nodes em 11/05/2011 07:40:12
Sou contra a mudança na av. Afonso Pena e mais, a sociedade precisa participar dessa discussão.

Abraços
Ana


 
ana luzia gomes em 11/05/2011 07:20:07
O sr Rudel pode colocar o projeto nas paginas do CGnews,para que nós tenhamos acesso e ai poder colocar em questão a melhoria que ao meu ver se faz necessaria pois não comporta mais o estacionamento central,pois alem dos carros temos ainda os flanelinhas que adentram a pista de rolamento para que os veículos estacionados possam sair.O canteiro central pode se tornar uma ciclovia e passeio para pedestres.O estacionamentos laterais que devem ser extintos dando lugar ao corredor de oníbus,se tornado faixa de rolamento. Eu digo ainda que abertura do corrego sobre Ernesto Geisel deve ser fechado.Falei
 
luiz carlos em 11/05/2011 07:16:32
De fato as 03 faixas por sentido da Afonso Pena são apertadas, ainda mais que alguns motoristas não conseguem ocupar uma faixa só, e quando tem uma caminhonete ou ônibus ai já viu
 
jose antonio em 11/05/2011 07:01:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions