A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

28/02/2011 09:20

Proncor restringe horário de atendimento a clientes de planos de saúde

Ítalo Milhomen e Aline dos Santos

A mudança terá validade a partir de amanhã

A partir de amanhã, Proncor vai restringir horário de atendimento para beneficiários de planos de saúde. (Foto: Simão Nogueira). A partir de amanhã, Proncor vai restringir horário de atendimento para beneficiários de planos de saúde. (Foto: Simão Nogueira).

O pronto socorro do hospital Proncor, referência para problemas cardíacos, deixará de atender clientes de todos os convênios no período entre 18h30 e 7h. A mudança terá validade a partir de amanhã, primeiro de março. Já o atendimento particular não sofreu alteração.

Clientes dos planos de saúde reclamam que foram prejudicados e terão que buscar outro local para atendimento. O bombeiro Fernando Ferreira, de 39 anos, foi ontem ao Proncor Hospital Geral, na Chácara Cachoeira, para colocar pinos no braço após um acidente de moto na última sexta-feira, ocorrido na avenida Afonso Pena.

Ele vê a paralisação do atendimento para os conveniados de planos de saúde como um grande prejuízo para os clientes.

“Isso é terrível, vai lá na Santa Casa para você ver como está a situação lá”, reclamou Ferreira, que tinha como poucas opções de atendimento o pronto socorro do Proncor.

Ferreira conta que sofreu o acidente depois das 18h30, se a nova regra já estivesse valendo, não poderia ser atendido pelo convênio que possui da empresa Unisaúde.

“Fui para Santa Casa depois do acidente e tinha um paciente esperando desde as 10h da manhã um ortopedista para fazer a cirurgia. Fui a ao Proncor e estava lotado, fui para minha casa e voltei no sábado para fazer a cirurgia”, relatou o bombeiro.

Para o funcionário público, José Eduardo Mattos, de 50 anos, cliente da Unimed, a suspensão deste tipo de serviço para os conveniados é uma forma dos hospitais pressionarem os planos de saúde a reajustarem os valores dos serviços prestados. Na opinião, mesmo sendo um hospital particular, a população é que sai prejudicada.

“Se houver uma emergência vou ter que procurar outros hospitais para atendimento porque a Santa Casa não dá”, comentou Mattos.

A assistente social, Dora Correa, de 57 anos, que foi levar o filho para um atendimento na manhã de ontem ao Proncor Centro, na rua Maracaju, se surpreendeu com a medida do hospital.

“Sempre levo minha mãe aqui no Proncor, porque ela tem problema de pressão, queria saber como vai ficar agora. No aviso diz que não aceitarão os clientes conveniados, exceto nas ocasiões resguardadas pela lei. Mas quais são elas? Eles não explicaram essas situações”, questiona Dora.

“Nós temos um convênio, precisamos de atendimento de urgência, alguém tem que arranjar uma solução” reclama a assistente social.

Dejanira reclama que situação é absurda. (Foto: Simão Nogueira). Dejanira reclama que situação é absurda. (Foto: Simão Nogueira).

Comodismo - Dejanira Gomes Monteiro Ikeda, de 56 anos, acha absurdo a situação, pois a maioria dos acidentes ocorrem neste horário após as 18 h.

“O Proncor já é referência no atendimento na região, mas se eu chegasse aqui e não pudesse ser atendida teria que procurar o Prontomed ou hospital Miguel Couto da Unimed”, relata Dejanira.

Nathália Ikeda, de 21 anos, filha de Dejanira, relata que não há explicação para o corte de atendimento após as 18h30.

“Não sei se essa medida é legal, pois se tem o convênio é para você ser atendida ou então extinguisse o convênio com plano de saúde”, comentou a estudante

Dejanira teme a situação, pois acredita que o plano de saúde não fará nada para reativar os serviços.

“Quando cheguei aqui perguntei se a Unimed tinha conhecimento da decisão do hospital. Eles afirmaram que sim. Mas até é uma situação cômoda para Unimed pois reduziria os gastos do plano de saúde”, comentou Dejanira.

Aviso foi afixado nas unidades do Proncor. (Foto: Simão Nogueira). Aviso foi afixado nas unidades do Proncor. (Foto: Simão Nogueira).

Explicação - O Proncor informa que a restrição no horário de atendimento aos beneficiários do plano de saúde trata-se de reestruturação administrativa. Porém, a medida será definitiva. “Basicamente, é uma reordenação para poder viabilizar o hospital”, afirma o gerente administrativo-financeiro, Paulo Alves, sem fornecer maiores detalhes.

Para o gerente, a nota informando as mudanças, afixadas nas unidades do Proncor, já contêm as explicações necessárias. De acordo com ele, muitos procuravam o hospital neste período para consultas, sendo o horário destinado à urgência e emergência.

Segundo ele , apesar da restrição, casos de urgência serão atendidos. “Em caso de urgência. Se o paciente chegar passando mal, temos obrigação de atender”, salienta. Omissão de socorro é crime previsto no Código Penal.

Conforme a nota do Proncor, os atendimentos entre 18h30 e 7h serão feitos somente para serviços de natureza particular, na unidade Proncor Centro, localizada na rua Maracaju, 1265.



São atitudes como esta que afasta o homem de um princípio humano, onde a ordem prática e administrativa é mais importante do que o individuo e os problemas que este eventualmente possa enfrentar, e neste caso o de saúde... uma necessidade a vida. Presumo que esta atitude não tenha partido de uma só cabeça, o que me faz pensar que nesta instituição, como um todo tem um comportamento direcionado a um só pensamento.
A ordem prática em detrimento da vida.... que pena.
 
Cleonice Bloss em 06/03/2011 10:09:22
Ninguem é obrigado a nada, meus caros, o que tem que acontecer é esse hospital fechar, pq tudo que é mal administrado vai para o buraco. Então que nao faça restriçoes a atendimentos e sim cancele os convenios, fica mais facil. Pois o atendimento esta cada vez mais vergonhoso. Quando se acaba, as raizes antigas que sabiam ser medicos e lutar pela vida, Entram ganansiosos que so pensam em $$$$$$. Fazer luxo srs nao salva vida. E que todos os usuarios tomem conhecimento e deixem de usar este hospital. Até que ele va a falencia.
 
Frederico Paniago em 01/03/2011 02:22:48
é o seguinte: BOICOTE ao Proncor, se eles não querem nos atender em horários que para nós usuários com plano de saúde seria de extrema necessidade, vamos deixar o Proncor às moscas quero ver se eles vão se sustentar só com particular... quero ver....
 
marcia do valle corregaro em 28/02/2011 12:19:57
Bando de gente sem vergonha, se naum quer trabalhar de madrugada arruma outra coisa pra fazer e não trabalhar em hospital, pq é essa a obrigação de vcs!
se tem convênio é para ser atendido sim, nem que seja por unha encravada!
 
JULIANA FLEITAS NOMURA em 28/02/2011 11:59:44
Isso é um absurdo!!! Queria ver se os filhos deles precisassem de atendimento "após" as 18h e fosse negado... como eles iriam reagir.
Sou Usuário da CASSEMS, e vejo que com essa atitude, todos nós sairemos perdendo.
 
Alex J. Silva em 28/02/2011 11:34:44
E a Unimed??? Para os usuários é fundamental saber o que a Unimed tem a esclarecer. Vi isso semana passada no hospital e fiquei bem preocupada, pelos mesmos motivos que os outros conveniados já manifestaram na reportagem.
 
maristela brunetto em 28/02/2011 11:10:02
É o país das aberrações mesmo. Se a pessoa for infartar que seja até as 18h30 porque o Proncor não atende mais a partir desse horário. Isso é coisa que deveria parar na Justiça, afinal quando alguém contrata um plano de saúde esse tipo de ressalva simplesmente não existe no contrato. Essa medida do Proncor tem que ser revista o quanto antes.
 
Luiz Flávio Ordonez em 28/02/2011 10:20:59
O Ministério Público Estadual, com certeza tomará alguma medida com relação a essa medida imposta pela a Diretoria do Proncor, tendo em vista que além de influenciar diretamente ao direito inquestinável que é a "vida", fere tambem o sagrado direito do consumidor. Vamos MP, acreditamos nesta Instituição que nada mais é o 4º Poder de Fato!!!!!
 
Mario Antonio Freitas Lopes em 28/02/2011 10:01:30
Realmente é um absurdo limitar o atendimento através de um horário, como se pudessemos prever as necessidades emergenciais. Se há valores que não são compatíveis com o atendimento dado aos pacientes, tudo deve ser negociado sem prejuizo à população. Deixar morrer então.........
 
Berenice Pedroso em 28/02/2011 09:51:42
Embora seja um hospital particular, o Proncor está sujeito à legislação que rege suas atividades. É preciso saber se a decisão administrativa de se restringir o horário de atendimento aos usuários de planos de saúde encontra amparo legal. Todo hospital está sujeito às normas e fiscalização das Secretarias de Estado de Saúde e ao Ministério da Saúde.
 
Renato Karim Safatli em 28/02/2011 09:45:51
Isso é um verdadeiro absurdo! Como se agora a gente marcasse hora pra ter algum problema de saúde!A unimed deve tomar medidas cabíveis logo! Afinal. não é qualquer troquinho que pagamos a ela todos os meses!!Atençao gente..vamos reenvidicar nossos direitos!! Mas isso só acontecerá se nos unirmos senão vamos ter que engolir mais essa sapo!!
 
Karla Derzi em 28/02/2011 09:36:17
Apesar dos valores astronomicos e os reasjustes absurdos dos planos de saúde, os segurados estão cada vez mais tendo tratamento igual ao do SUS. Com a diferença que no SUS o resultado vai para os sofres e nos planos para o bolso de alguns.
 
Ari Vargas Leal em 28/02/2011 09:33:22
Para informação o Proncor não é hospital da UNIMED,portanto não é obrigada a atender estes usuarios se ela assim desejar.
Quem tem UNIMED , tem um pronto socorro 24 h no Hospital Miguel Couto para atender qualquer caso de emergência. E todos usuários são atendidos sem nenhuma restrição.
E mais, em Campo Grande qualquer usuário da UNIMED pode ser atendido de emergência, além do pronto socorro do Miguel Couto, também no Pronto Socorro do Sírio Libanes, no Prontomed da Santa Casa e no Pronto Socorro da Clínica Campo Grande (todos 24h).
 
carlos marcelo dotti em 28/02/2011 04:52:31
Não faço parte da equipe do Proncor, nem sou da área da saúde, mas pelo que entendi, se chegarem casos de urgência ou emergência as pessoas serão atendidas. A restrição é apenas para consultas.
 
Ana Paula em 28/02/2011 03:04:27
AINDA BEM QUE ESTÃO PARANDO DE ATENDER OS PLANOS POIS TODOS QUE ENTRA LÁ POR ALGUM CONVENIO OU SAI PIOR OU VAI DIRETO PARA O ATENDIMENTO JUNTO AO SÃO PEDRO.
 
FATIMA REGINA em 28/02/2011 02:09:19
Quem puder faça uma reclamação no email do Ministério Público Estadual pelo email.: ouvidoria@mp.ms.gov.br ou direto no site.: http://www.mp.ms.gov.br/portal/ouvidoria.php
 
Almir de Almeida Júnior em 28/02/2011 01:53:32
É um absurdo. cadê as autoridades?
 
Almir de Almeida Júnior em 28/02/2011 01:41:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions