ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  28    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Quatro pessoas são presas por morte de comerciante encontrado carbonizado

Suspeita é de que vítima tenha sido furtada, descoberto crime e ido atrás de suspeito, que se vingou

Por Liniker Ribeiro | 15/09/2020 18:08
Camionete da vítima também foi incendiada e encontrada no mesmo local do homicídio (Foto: Silas Lima)
Camionete da vítima também foi incendiada e encontrada no mesmo local do homicídio (Foto: Silas Lima)

Quatro pessoas suspeitas de participação na morte do comerciante Ronaldo Nepomuceno Neves, de 48 anos, foram presas em flagrante, na tarde desta terça-feira (15). O corpo da vítima foi encontrado carbonizado, na manhã do último sábado (12), em estrada vicinal que dá acesso a cachoeira do Ceuzinho, em Campo Grande. A suspeita é de que a vítima tenha sido furtada e descoberto o autor do furto, antes de ser morta.

Investigações do GOI (Grupo de Operações e Investigações), juntamente com a 2ª Delegacia de Polícia, chegaram ao nome de dois suspeitos, de 21 e 29 anos, que confessaram envolvimento no crime e ainda apontaram outras duas pessoas.

Diligências localizaram os outros dois homens, de 21 e 25 anos, assim como o veículo usado para  cometer o crime. No interior do carro, a polícia encontrou uma porção de maconha, 62 gramas de cocaína, além de uma balança de precisão.

Ainda segundo as investigações, Ronaldo, que era dono de boate localizada na Avenida Ernesto Geisel, na Capital, teria sido furtado e, ao tomar conhecimento de que um rapaz, de 29 anos, poderia ser o autor do crime, teria torturado o homem.

De acordo com a Polícia Civil, para se vingar, o suspeito, juntamente com outras três pessoas, levou a vítima em seu próprio veículo para a região da Cachoeira do Ceuzinho, onde o homicídio aconteceu.

“A vítima fatal foi asfixiada, lesionada na região da garganta com um pedaço de garrafa quebrada e, ainda, atingida na cabeça com golpes de pedra, antes de seu corpo ser carbonizado juntamente com o veículo”, explicou o delegado Camilo Kettenhuber Cavalheiro, responsável pela investigação do caso.

Caso - O corpo de Ronaldo foi encontrado só de cueca, ao lado de uma caminhonete Ford Ranger totalmente queimada na estrada de entrada da cachoeira que fica no local e é atração turística. Além do corpo, as chamas chegaram a atingir a vegetação ao redor.

Ronaldo foi identificado pela sua atual mulher, que levou seus documentos para checagem da polícia. Ela também reconheceu o corpo. O crime pegou que surpresa banhistas, trilheiros e ciclistas que chegaram ao local nesta manhã.

A reportagem apurou que ele era réu violência doméstica conta a ex-companheira. Também esteve preso por tráfico de drogas, além de ter cumprido pena por estelionato.

Regras de comentário