A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/09/2012 13:21

"Que Deus nos ampare", disse o pai de um dos jovens enterrados na manhã de hoje

Luciana Brazil
Cemitério ficou lotado no enterro dos dois jovens. (Foto:Rodrigo Pazinato)Cemitério ficou lotado no enterro dos dois jovens. (Foto:Rodrigo Pazinato)

Os olhares acompanhavam atentos a descida do caixão na sepultura. Durante o enterro dos universitários Breno Luigi Silvestrini de Araújo, de 18 anos, e Leonardo Batista Fernandes, 19 anos, os familiares eram o reflexo da desolação e da dor.

Na hora de fechar o caixão, talvez um dos piores momentos da despedida, o choro desesperado, antes contido com esforço, saiu sem que pudesse ser dominado. O pai de Leonardo, Paulo Fernandes rezou pelo filho e pediu que as famílias vivessem em harmonia. “Abençoe Deus, os pais e mães presentes aqui”.

Em uma prece, Paulo se mostrou forte e confiante na fé. “Que Deus nos ampare”.

No enterro de Breno, quando o caixão já seria colocado no túmulo, Rubens Silvestrini, pai do estudante, falou do filho com ternura e frisou que o jovem era feliz e alegre. “Eu só posso celebrar a vida linda que ele viveu. Nunca falou mal de nada, nunca achou nada ruim”.

Rubens ainda pediu pela justiça e se mostrou indignado dizendo que o país não tem lei “e essas fatalidades vão continuar acontecendo”, se nada for feito. “A minha torcida é que isso se resolva”.

Amigos e familiares se debruçaram sobre a sepultura de Breno como que se quisessem ainda se convencer da tragédia. Pai, irmãs e a mãe se abraçaram na tristeza da despedida.

“Deus sabe de tudo. A gente não compreende, mas Deus sabe. Vou continuar lembrando de cada poesia que ele escrevia. Vai ser muito difícil, vai ser um percurso longo, mas vamos aceitar a vontade de Deus”, disse a mãe de Leonardo. O jovem mantinha um blog de poesias.



Senhor Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Dr. André,
Senhor Secretario de Segurança Pública.
Senador Dr. Waldemir Moka, demais Senadores, Senhores Deputados.

Cuidem de seus munícipes, pacifiquem Campo Grande, hoje foram os dois meninos assassinados, filhos de duas queridas famílias dessa terra. Amanhã poderá ser qualquer um de nós. Tenho família aí. Por favor!! Legislem!!
 
marta maria corrêa penteado em 02/09/2012 11:47:19
Meu caros amigo colega de USP, o Prof. Rubens Silvestrini, estou chocada e indignada com esse bárbaro crime que levou o Breno, tão jovem da convivência de vocês, no auge da sua juventude. De um lado eu me sinto assim, de outro, vejo uma mãe resignada em sua dor, como a Lilian, que sabiamente nos diz" Deus sabe de tudo, a gente não compreende". Deus tudo sabe, mas a dor é grande.
 
Marta Maria Corrêa penteado em 02/09/2012 11:20:48
Com certeza isso naum é a vontade de Deus naum. Porque Deus só quer nosso bem,aqui na terra isso é obra do Diabo..porque se essas pessoas tivesse Deus no coração naum faria isso,Jamais Deus colocaria umas pessoas com essas intenções para fazer isso com eles.Que Deus conforte os familiares!
 
Elcio garcia reis em 02/09/2012 11:04:17
cada vez mais eu me convenço da minha missão com os jovens com quem trabalho, todo os dias. Por mais que as pessoas digam que não sou pai e mãe de aluno, eu tenho claro que apesar de não ser, eu preciso todos os dias, levar para esses meninos e meninas palavras de orientações com relação aos valores, a vida digna,e principalmente falar de Deus, independente de religião.
 
ROSE MARY MIRANDA TOMI SCARAMUZZI em 02/09/2012 09:43:17
Amanhã dia 02 de setembro participem do manifesto pela Paz e por maiores investimento na segurança do município e estado. Concentração as 9 da manhã na casa do Papai Noel nos altos da Afonso Pena.
 
wilame morais em 01/09/2012 11:44:58
Somente Deus para ajuda-los a suportar tamanha dor!! mesmo sem conhece-los, é impossível controlar as lagrimas e a revolta!!! pedimos pena maxima!! e ainda será pouco, diante de tanta crueldade!!
 
daniela dias em 01/09/2012 11:39:46
É seu Rubens, todos estamos indigandos com as leis de nosso pais e nem preciso falar para o senhor quem acabou com elas !? E que Deus conforte as famílias !!!
 
Angelo Fantin em 01/09/2012 10:37:06
Que Deus conforte o coração dessa familia.
 
Aurea Lopez em 01/09/2012 09:36:39
Que eles descansem em paz e consigam a felicidade que merecem. Paz e fé para os seus pais!
 
Lara Cardoso em 01/09/2012 07:05:50
Sequer consigo imaginar a dor destes pais.
Por outro lado, estes marginais praticam esta barbárie sabendo que a justiça é branda, e que não vai dar em nada. Pois coração eles não tem.
Acho que devemos deixar de ser cordeiros e sair às ruas pedindo pena de morte já!!!
Pois na lei destes bandidos, a pena de morte estão nas suas mãos e todo dia estamos vendo isso nos jornais.
Vamos agitar gente!!
 
Elviria Santos Ferreira em 01/09/2012 04:16:12
Rubinho, que Deus te de conforto nesse momento,não pudi estar ai com vcs,mas eu e a Tânia estamos rezando muito e que com a força de Deus vcs da familia consegue diminuir essa dor tão grande.abraços do amigo cursilhista.Nesse momento aumenta ainda mais minha preocupação com o Luiz Guilherme morando sozinho lá em Ponta Grossa-PR.Mas Deu sabe o que fazer.Fiquem com Deus.
 
Jose Alves Roque"Zequinha de Rochedo" em 01/09/2012 04:06:44
Meus sinceros sentimentos. É extremamente triste que aconteça tragédias dessa natureza em nossa cidade.É uma vergonha para nossa sociedade.
 
Paulo Eduardo Calvoso em 01/09/2012 03:34:23
A sociedade já está cansada de tanta maldade e impunidade. Tá na hora buscarmos mudanças nestas leis ultrapassadas. Temos que pensar que a violência está próxima de nossas famílias e que podemos ser a vítima amanhã. Chega de tanta violência.
 
Orlene Kruger em 01/09/2012 02:40:44
Este poema eu o escrevi a uma mãe que perdeu o filho amado em circunstâncias iguais. Como mãe - lhes oferto meu carinho e meu abraço neste poema:
Para onde vai o sol quando anoitece? -- 20/10/2001 - 20:25 (Delasnieve Daspet)
.
Para onde vai o sol quando a noite cai?
Para onde vai o sorriso,
O brilho do olhar,
Onde ficam os sonhos,
Quando o coração não bate mais?!

Nada tem explicação
Perante tamanha dor,
Ninguém, - nada - ocupa o lugar vazio!

Vou deixar que o vento
Varra as palavras.
Que o amanhecer chegue ao meu olhar.
Vou pedir que a chuva miúda
De braços dados com a brisa úmida,
Traga o sol entre-nuvens,
Alegrando os sonhos que restam,
Na tristeza que não arrefece!

Mas almas não envelhecem,
Nos veremos novamente.
Mas - me digam,
Para onde vai o sol quando anoitece?

Onde te escondes ó sol,
Quando chega a noite,
Senhora de meus medos,
De meus lamentos?

Para onde vais ó sol,
Quando a noite chega,
Na brilho rápido da estrela cadente,
De um poema triste?

Noite negra de tristuras,
Negra noite de marés,
Negra, nua noite,
Onde vai o sol quando tu chegas?

Já não há vida.
Onde vai a energia,
Quando o norte me conduz à noite,
Ao fim da linha,
Onde vais ó sol,
Quando a noite chega?!
 
Delasnieve Daspet em 01/09/2012 02:17:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions