A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

24/04/2014 11:01

Queixas e lamúrias de prefeito e coordenador marcam 9 anos do Samu

Graziela Rezende e Leonardo Rocha
Prefeito em comemoração aos nove anos do Samu. Foto: Cleber GellioPrefeito em comemoração aos nove anos do Samu. Foto: Cleber Gellio

Muitas queixas e lamúrias marcaram a solenidade de nove anos do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), na manhã desta quinta-feira (24), em Campo Grande. O evento ocorreu na Central de Regulação, localizada no Jardim Pioneiros, e contou com a presença do coordenador da unidade, Eduardo Cury e o prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP).

O Samu está em xeque após duas pessoas morrerem após o órgão negar atendimento no mês passado. O caso mais polêmico envolve uma acadêmica da Uniderp Anhanguera, que morreu após a ambulância demorar para realizar o socorro. 

“É importante fazer uma análise técnica desprovida de qualquer sentimento político. Estamos vivendo um momento delicado do Samu, porque ele não cumpre os protocolos da política nacional de saúde o serviço está sucateado. Estão faltando ambulâncias e não há uma pactuação com os hospitais, para saber quantas vagas eles tem disponíveis”, afirma o coordenador.

Em função da falta de gestão da administração passada, o coordenador avalia sérios problemas. “Hoje temos sete ambulâncias básicas e duas avançadas, porém sofremos o risco delas estragarem, pois não são novas. O ideal seria que tivéssemos três avançadas e dez básicas, além de cinco de reserva para a retaguarda. Mesmo com a situação precária, esperamos ter uma mudança razoável em 120 dias”, comenta o coordenador.

Ainda sobre a antiga gestão, o coordenador diz que em muitos casos, o serviço de urgência fez o “transporte social de pessoas privilegiadas” e que atualmente 12 ambulâncias estão paradas, por não terem mais condições adequadas para funcionar.

“Temos um compromisso sério com o prefeito e vamos correr atrás. São 230 funcionários, mas temos que ampliar este quadro, pois também estamos atendendo a outros municípios do interior, como Terenos, Rio Pardo, Sidrolândia, São Gabriel do Oeste, Camapuã e Anhanduí”, comenta o coordenador.

Já o prefeito da Capital comenta sobre Cury no comando e a busca em Brasília por recursos. “Ele é um especialista na área e por isso o chamei para retomar os trabalhos do Samu. Recentemente fomos em Brasília buscar recursos do SUS (Sistema Único de Saúde) para novas ambulâncias e outros projetos. Agora, vamos trabalhar em harmonia. O tempo de perseguição aos servidores acabou”, fala o prefeito.

Nova frota – O prefeito garantiu que cinco ambulâncias vão chegar para aumentar a frota. “Acredito que, de 30 a 60 dias, elas já estejam em Campo Grande, com recursos do Governo Federal. Também estamos estudando fazer um serviço complementar com carros menores para atender casos específicos”, finaliza o prefeito.

Solenidade na Central de Regulação Foto: Cleber GellioSolenidade na Central de Regulação Foto: Cleber Gellio
Uniformes da nova gestão. Foto: Cleber GellioUniformes da nova gestão. Foto: Cleber Gellio
Cury quer ficar no Samu por 120 dias e ainda sonha em ser vereador
O médico e suplente de vereador do PT do B, Eduardo Cury, deve se manter como coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) por até ...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions