A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

30/09/2016 17:03

Rapaz de 20 anos matou estilista com ‘gravata’ durante encontro amoroso

Latinhas de cerveja, pratos e talheres abandonados em estrada vicinal foram as peças-chave para identificar o assassino

Anahi Zurutuza e Guilherme Henri
Alan Santos, 20, preso hoje (Foto: Guilherme Henri)Alan Santos, 20, preso hoje (Foto: Guilherme Henri)
Altivane Ramos Borges, 54 anos (Foto: Facebook/Reprodução)Altivane Ramos Borges, 54 anos (Foto: Facebook/Reprodução)

Após 24 dias de investigação, a Polícia Civil chegou ao assassino do estilista Altivane Ramos Borges, 54, encontrado morto de cueca e com ferimentos no pescoço. Alan Silva Santos, de 20 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira (30), na casa dele, que fica próxima ao Hospital do Pênfigo, na região da Coophavilla 2 – no sudoeste de Campo Grande.

O jovem confessou o crime aos policiais e alegou que a morte foi consequência de uma briga entre ele e a vítima, durante um encontro.

Latinhas de cerveja, pratos e talheres encontrados junto com o veículo da vítima, que foi abandonado em uma estrada vicinal próxima à cidade, foram a peça-chave para desvendar a autoria do crime.

Há alguns meses, Altivane adicionou Alan no Facebook, os dois começaram a conversar, trocaram fotos íntimas e tiveram um encontro. Depois dessa primeira vez que se viram, o estilista teria insistido para rever o rapaz, mas Alan sempre se esquivava.

Tudo aconteceu na noite do dia 5 de setembro. O assassino confesso relatou que resolveu ceder à insistência da vítima, mas garante que os dois tinham combinado que apenas sairiam para conversar.

Altivane e Alan se encontraram no Terminal Bandeirantes – no oeste da Capital –, passaram em um bar onde compraram seis latinhas de cerveja. Já na casa da vítima, os dois cozinharam e jantaram.

O jovem teria tentado ir embora, mas a vítima o impediu. Os dois trocaram socos e durante a briga, o rapaz deu uma “gravata” em Altivane, que morreu.

Alan garante que não sabia que a vítima estava morta, acreditava que o estilista estava apenas desacordado. Entretanto, saiu da casa levando as latinhas de cerveja vazias e os utensílios que ele utilizou para jantar, além do celular da vítima, o que indica que ele queria evitar ser identificado.

Delegado João Reis Belo, responsável pelas investigações (Foto: Arquivo)Delegado João Reis Belo, responsável pelas investigações (Foto: Arquivo)

Investigação – As latas, pratos e talhes foram abandonados nas proximidades do veículo, que foi localizado pela PRF (Polícia Rodoviária Federal). Policiais do SIG (Serviço de Investigação Geral) apreenderam o material, que passou por perícia e foi crucial para a identificação do assassino, segundo o delegado da 5ª DP (Delegacia de Polícia), João Reis Belo, o responsável pela investigação.

O celular da vítima foi trocado pelo site OLX com outra pessoa, mas recuperado pela polícia e também juntado com as outras evidências materiais.

“Quero ressalta que foi uma investigação muito difícil, por conta da falta de pistas, mas policiais da 5ª DP se empenharam muito para chegar neste resultado”, disse o delegado em entrevista na tarde de hoje.

Alan foi solto e responderá pelo crime em liberdade porque as 24 horas para a prisão em flagrante já passaram, ele não resistiu a prisão e colaborou com a polícia.



Latrocinio, ele roubou o carro da vitima,mesmo passado período do fragrante, tem que ficar preso.
 
Sergio Ferreira de Lima em 01/10/2016 06:55:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions