A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/01/2015 12:52

Reajuste de 25% aos professores vai depender de caixa, avisa Reinaldo

Flávia Lima e Leonardo Rocha
Reinaldo quer avaliar com a Sefaz a possibilidade de conceder o reajuste de 25% aos professores Reinaldo quer avaliar com a Sefaz a possibilidade de conceder o reajuste de 25% aos professores

Declaração do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) , concedida na manhã de hoje (8) durante a posse do novo comandante do Corpo de Bombeiros deverá causar apreensão aos professores da rede estadual de ensino. Questionado sobre o aumento de 25,42% que entra em vigor este mês, Azambuja ressaltou que irá se reunir com técnicos da Sefaz (Secretaria de Fazenda) para analisar a possibilidade de cumprir com o reajuste determinado através de lei aprovada em 2013 e sancionada pelo então governador, André Puccinelli.

“Preciso saber quais são nossas condições para poder honrar com o compromisso feito pela gestão anterior”, afirmou. Reinaldo criticou o governo passado, lembrando da ação ingressada pela antiga gestão no Supremo Tribunal Federal para derrubar o piso do magistério, além do 1/3 da hora atividade do professor. A ação não obteve sucesso. “Depois disso o governador aprovou uma lei que prevê vários reajustes a categoria. Se for possível nós vamos pagar”, disse Azambuja.

Caso libere o reajuste a categoria, o montante terá um impacto de R$ 12 milhões por mês na folha de pagamento dos 20 mil docentes do estado. O valor subirá de R$ 48 milhões para R$ 60 milhões. Caso o professor tenha ensino superior, ainda há um acréscimo que varia de 50% a 65%, dependendo do nível de especialização do profissional.

Ontem, em entrevista ao Campo Grande News, o presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), Roberto Magno Botareli Cesar, foi contundente ao afirmar que a categoria não abrirá mão do reajuste garantido pela administração de Puccinelli. “De acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, o governo pode gastar até R$ 54 milhões com a folha do funcionalismo e até agora são gastos 42%, ou seja ainda há uma margem de 12%”, destacou Botareli.

O sindicalista garantiu que a categoria está aberta a negociação, se for o caso, para um possível parcelamento, porém não aceitará a recusa do pagamento do reajuste garantido pela lei.

Piso dos professores é reajustado em 13,01% e passa para R$ 1.917,78
O Ministério da Educação (MEC) informou, há pouco, que o piso salarial do magistério terá aumento de 13,01%. Com o reajuste, o salário inicial passar...
Piso nacional do magistério pode subir até 14% e beneficiar 28 mil em MS
O Ministério da Educação deve anunciar na quarta-feira reajuste de 12% a 14% no piso nacional da educação, segundo nota do jornal Folha de S.Paulo de...
Homem é preso por se masturbar ao lado de mulher dentro de ônibus
Um homem de 34 anos foi preso na manhã desta terça-feira (12) por se masturbar dentro de um coletivo que fazia a linha 080, entre centro e o terminal...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions