A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

30/09/2015 16:35

Secretário denuncia desvio na compra de remédios na rede pública

Antonio Marques
Secretário denuncia desvio na compra de remédios na rede pública

O titular da Sesau (Secretário Municipal de Saúde), Ivandro Fonseca, considera que o quadro da saúde na Capital se estabilizou com a volta do prefeito Alcides Bernal (PP) à prefeitura e revelou que a gestão passada teria desviado recursos na compra de medicamentos, que teria provocado prejuízo na casa dos milhões.

Os dados foram revelados durante uma Audiência Pública, hoje pela manhã, no Plenarinho da Câmara Municipal, quando Ivandro fez apresentação do quadro da saúde pública em Campo Grande na prestação de contas do 2º quadrimestre de 2015.

Na ocasião, ele chegou a afirmar à vereadora Carla Stephanini (PMDB) que o responsável pela desestabilização da saúde e a falta de medicamentos nas farmácias públicas do município foi o ex-prefeito Nelson Trad, na época do mesmo partido da parlamentar, por ter canceladas mais de 25 licitações para aquisição de remédios no final do ano de 2012.

Conforme ele, em relação às farmácias, foram empenhados recursos da ordem de mais de 80% e o estoque não estaria correspondendo a esse mesmo percentual. “Posso adiantar que os empenhos feitos e notas pagas não correspondem ao armazenamento de medicamentos previsto”, revelou o secretário.

Para o secretário, o problema não era falta de recurso que, segundo ele existia, mas a diferença entre o que estava no estoque e o que teria sido pago, provocando prejuízo aos cofres da saúde do município.

Ivandro citou como exemplo o fato de existir pagamento para 100 tipos de medicação e ter armanezado apenas 30, uma diferença de 70% entre o valor pago e o estoque, o que ele considera algo “gravíssimo.”

“Estamos instaurando sindicâncias para apurar essas irregularidades e o resultado será encaminharemos às autoridades competentes para devidas providências”, garantiu Ivandro, que disse não saber no momento o impacto do prejuízo aos cofres públicos, “de quantos milhões”, mas que o valor estaria sendo apurado.

Para ele, quem provocou esse colapso na saúde pública de Campo Grande é quem deveria prestar esclarecimentos ao povo, estava desassistido e muitas mortes no município foram devidamente comprovadas em razão da falta de atendimento e da greve dos médicos.

Com a volta de Bernal, Ivandro Fonseca considera que a saúde está estabilizada, mas ressaltou a necessidade de “melhorar e muito os serviços de saúde.” Ele disse que a análise feita entre janeiro de 2013 a março de 2014, período da primeira parte da gestão de Bernal, “é totalmente inverso” ao período de abril de 2014 a agosto deste ano.

Segundo o secretário, foi observado, por meio dos números devidamente comprovados que, no período da gestão o prefeito afastado Gilmar Olarte, houve uma “regressão significativa nas políticas de saúde pública” que haviam sido implantadas no início do governo de Bernal.

Ivandro Fonseca disse que está realizando planejamento para “reconstruir tudo que foi destruído”, como aconteceu na assistência às farmácias das unidades de saúde e que em 30 dias vai ter um diagnóstico dos auditores do órgão sobre as irregularidades cometidas na secretaria.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions