A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

09/09/2013 09:43

Sem calçada e com lixo, entidade de engenheiro e arquiteto é mau exemplo

Elverson Cardozo
Além de não ter calçada, entorno da associação esta tomado pelo mato e lotado de restos de poda de árvore. (Foto: Marcos Ermínio)Além de não ter calçada, entorno da associação esta tomado pelo mato e lotado de restos de poda de árvore. (Foto: Marcos Ermínio)

A Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Campo Grande, que fica no Bairro Vilas Boas, é alvo de reclamações por parte de moradores e trabalhadores da região. O entorno da sede, que tem como endereço a Avenida Coronel Porto Carreiro, além de não ter calçada, está tomado pelo mato alto e lixo. Virou, lamentavelmete, exemplo de mau exemplo.

Basta uma volta no quarteirão para constar a reclamação. De tão descuidado, o local parece estar abandonado. A pintura velha do muro só deixa o desleixo ainda mais evidente.

Por ser uma associação de engenheiros, a falta de calçada já é motivo suficiente para uma discussão acalorada, mas esse problema se torna pequeno, quase inexistente, diante do mato alto, uma armadilha à saúde, do lixo e dos restos de podas de árvores.

A situação revolta quem mora ou passa por ali todos os dias, mas, pelo visto, os responsáveis pela associação parecem não se importar com situação, com as críticas e muito menos com as polêmicas.

“Eles deveriam cumprir a lei. Isso aí deveria estar tudo limpo”, disse o trabalhador autônomo João Inácio de Moura, de 55 anos. Ele comenta que o perigo é evidente o risco só aumenta.

Fora os insetos, um incêndio na vegetação e nos entulhos, que estão “torrando no sol”, poderia causar uma tragédia, já que a área é cercada de residencias. Para João Inácio, a situação é inadmissível. “Deveriam dar exemplo para os mais fracos verem como funciona”, afirmou.

Só se for mau exemplo porque, até agora, isso é a única coisa que a associação tem feito, dizem os moradores. Empregada doméstica em uma casa localizada nas proximidades, Marisa Fernandes da Silva, 40 anos, diz que, deste o tempo que passou a trabalhar no bairro, há 3 anos, o entorno da associação é alvo de reclamações e nada é feito.

A calçada, de fato, parece nunca ter existido, mas a situação deixou de ser aceitável quando os entulhos passaram a fazer parte da cena, já “poluída”. “Minha patroa procurou a direção, mas parece que eles falaram que o problema não era deles e, sim, da prefeitura”, contou. Para Marisa, a resposta não convenceu. “Cada um de nós devemos cuidar de nossa calçada”, concluiu.

João Inácio diz que os responsáveis pela associação deveriam dar exemplo. (Foto: Marcos Ermínio)João Inácio diz que os responsáveis pela associação deveriam dar exemplo. (Foto: Marcos Ermínio)

Colega de profissão, mas funcionária de outra casa, Auxiliadora Batista da Silva, 42 anos, também reclama da situação. “Há uns 20, 25 dias atrás atearam fogo aqui à noite e, no outro dia, quando cheguei, o quintal estava cheio de coisas queimadas.

A “lixaiada”, diz ela, é um problema. Parte da Avenida Coronel Porto Carreiro, mais para o final, próximo a uma curva, alaga quando chove e o entulho deixado na “calçada” da associação, relatou, vai parar no meio da rua.

Com relação à falta de conduta exemplar por parte dos responsáveis pela Associação, mencionado por Marisa Fernandes, Auxiliadora concorda e faz um adendo: “Eles tinham que dar o exemplo porque, quando fazemos fazer uma obra, eles dizem que nós precisamos de um engenheiro”.

O Campo Grande News procurou a Associação de Engenheiros e Arquitetos, mas não conseguiu contato.


Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...
Ação oferece serviço especial na UBSF do Tarumã nesta terça-feira
A UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Tarumã promove nesta terça-feira (12) diversas atividades voltadas para a promoção de saúde da populaç...
Prefeitura e Sebrae fazem estudo em lojas para revitalizar rua 14 de Julho
A prefeitura de Campo Grande a o Sebrae de Mato Grosso do Sul estão realizando na rua 14 de Julho, Centro da cidade, um estudo técnico em 230 lojas, ...


Essa associação envergonha (pela sujeira), aquela região do bairro vilas boas. É um descaso total com a limpeza e urbanização da calçada, que nesse caso é obrigação da diretoria que comanda aquela entidade.
 
João Cunha em 09/09/2013 14:34:20
Sou da região, TENHO ATÉ VERGONHA DE DIZER que moro perto da ASSOCIACAO DOS ENGENHEIROS e ARQUITETOS....é um verdadeiro lixo, de vez em quando eles fazem a limpeza interna e jogam para fora do muros, cai até nas ruas em torno.....Podiam dar um exemplo e REVITALIZAR o local, poderiam FAZER UMA PISTA DE CAMINHADA com jardins em volta para o uso da populacao, ai sim estariam fazendo algo pelo SOCIAL.
 
Paulo Ciltrão em 09/09/2013 14:24:55
Outro lugar absurdamente relegado ao abandono é da calçada na rua Barão do Rio Branco, fundos da SESAU e frente ao Forum. São mais de 100 mts onde não se consegue andar.
 
nivaldo de almeida sabino em 09/09/2013 14:03:26
No momento, as "calçadas" até que estão limpas. Normalmente, a situação é bem pior. Mas como multar, se que multa são os fiscais, subordinados aos engenheiros da prefeitura, que são associados a associação ou tem amigos na associação?
 
Ademir Oliveira em 09/09/2013 13:18:14
VCS SAO UNS RELAXADOS
 
JOAO BATISTA em 09/09/2013 13:16:49
É difícil " Ir e Vir " aqui. !!!!!!
 
adriana rizzotto em 09/09/2013 11:03:48
Esse "deve" ser um caso típico de má administração. Os associados pagam mensalidade? Se pagam, devem cobrar as melhorias. O ruim é que ninguém (associados) reclama. Enquanto isso, os vizinhos é que sofrem com o desleixo. Uma pena!!!
 
Margo Gonçalves em 09/09/2013 11:02:54
So este lugar? Vejam na Rua Barão do Rio Branco, na calça proxima da entrada da policia de transito. Se fosse em frente da casa de algum pobre com certeza os fiscaizinhos da prefeitura ja teriam notificado e a prefeitura multado o proprietário do imóvel mas ali e do governo do estado, ai ficam os pedestres correndo risco de sofrerem um acidente naquela buraqueira.
 
ANA BERGAMO em 09/09/2013 11:01:19
LEMBRANDO:
JURAMENTO
ARQUITETURA
“ Juro que ao exercer a profissão de Arquiteto e
Urbanista,/ terei sempre presente / que estarei
projetando espaços para a vida, / para o bem estar
da coletividade, / tendo como pressuposto / as
questões da ética profissional, / buscando, ainda, / a
universalização do acesso / a um “habitat”
adequado e moradia digna, / por meio de soluções
compatíveis / com a natureza da demanda Sócioeconômica
/ de todos os grupos / que compõem a
nossa sociedade, / para que esse direito á moradia /
seja para todos,/ o direito de se ter um lugar para se
viver,/ sonhar e morar/ com dignidade, alegria e
esperança.”
Assim eu juro!
 
nei salviano em 09/09/2013 10:54:28
"FAÇAM O QUE EU MANDO MAS NÃO O QUE EU FAÇO", É o mesmo caso do governo em todos os seus amitos que cobram acessibilidade e limpeza dos contribuintes, multando as vezes, mas seus prédios públicos e calçadas não possuem acessibilidade alguma, sem contar as áreas devolutas pertencentes ao governo sempre sujas...
 
Marco Aurélio em 09/09/2013 10:38:01
Se fosse um terreno de um pobre, duvido se já não tava limpo e ainda por cima recebido multa!!!!!!!!!
 
SIMONE PEREIRA DE MENEZES em 09/09/2013 10:25:55
Demorou para sair algo sobre isso. Está assim a muitos anos. Não tem nem calçadas. Nada ali tem manutenção, os pedestres tem que andar na rua (em todos os lados da associação). A pergunta que faço é porquê a prefeitura nunca multou e não cobra sequer a calçada dessa associação? Basta ver as imagens e conferir.
 
Jose Pissin em 09/09/2013 10:23:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions