A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Abril de 2019

28/02/2019 16:43

Sem festa na Interlagos, segurança vai toda para a Esplanada Ferroviária

Pelo menos 70 policiais militares e 70 guardas municipais devem trabalhar na região central de Campo Grande. Cem banheiros químicos serão espalhados pelo local.

Gabriel Neris e Liniker Ribeiro
Carnaval de rua tomou conta da Esplanada Ferroviária no ano passado (Foto: Arquivo)Carnaval de rua tomou conta da Esplanada Ferroviária no ano passado (Foto: Arquivo)

Os representantes dos blocos carnavalescos de Campo Grande lamentaram o cancelamento do Carnaval de rua que estava marcado para a Avenida Interlagos. Sem a atração, a expectativa é de que o número de foliões aumente na Esplanada Ferroviária, por isso a segurança será reforçada para os próximos dias.

Segundo a titular da Sectur (Secretaria de Turismo), Nilde Brum, pelo menos 70 policiais militares e outros 70 guardas municipais farão a segurança na região central de Campo Grande. A secretária se reuniu nesta sexta-feira (28) com os representantes dos cordões Valu, Capivara Blasé e também do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Segundo Silvana Valu, organizadora de um dos blocos, todas as medidas previstas no acordo com a prefeitura e Ministério Público serão tomadas, principalmente no que se refere à limpeza do espaço. Cem banheiros químicos estarão à disposição da população, mas não ficarão concentrados em apenas um lugar. Os suportes serão distribuídos para evitar que os foliões urinem nas ruas ou nos prédios.

“A gente entende que o espaço, além de ser tombado, serve de referência para a realização do Carnaval. Foi difícil lutar para conseguir que os blocos aconteçam neste ano, esperamos com a compreensão dos foliões”, disse Silvana.

O local deve contar com equipes da Cruz Vermelha, Corpo de Bombeiros, posto médico e ambulância. No TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado ficou proibido que armações fossem construídas, ou seja, palcos não poderão ser montados, porém som automotivo e trio elétrico estão liberados garantindo as apresentações de grupos musicais.

“Queremos mostrar o quanto os blocos estão empenhados em cumprir o acordo”, diz Silvana, que também que os foliões tenham consciência em relação à presença de moradores, como crianças e idosos. As reclamações com a sujeira no local são frequentes. A representante do cordão também pede que os participantes não levem garrafas de vidro, evitando assim possíveis acidentes.

José Augusto Carvalho, representante do Iphan, Vitor Samudio, Silvana Valu e Nilde Brum se reuniram hoje (Foto: Liniker Ribeiro)José Augusto Carvalho, representante do Iphan, Vitor Samudio, Silvana Valu e Nilde Brum se reuniram hoje (Foto: Liniker Ribeiro)

Pelo menos 60 vendedores ambulantes foram cadastrados e vão atuar na Avenida Mato Grosso. Na reunião com os trabalhadores foi pedido que eles respeitem o horário estabelecido, até às 22h. Equipes da Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana) fiscalizarão a atividade dos ambulantes, principalmente na comercialização de bebidas alcoólicas para menores de idade.

Vitor Samudio, representante do bloco Capivara Blasé, lamentou o cancelamento da festa na Interlagos, que seria mais uma opção para o campo-grandense. “Ajudaria a distribuir a multidão. Agora é preciso que as atenções se voltem para a Esplanada”, disse.

Segundo ele, a festa na Esplanada não poderia deixar de acontecer, principalmente por ter sido onde o bloco nasceu. “No primeiro ano eram 100 pessoas, hoje levamos uma multidão”.

A secretária municipal de Turismo afirmou que as equipes de limpeza devem começar a trabalhar cerca de 1 hora após o fim do horário estabelecido no acordo com os blocos. Uma parceria foi feita com catadores de materiais recicláveis, auxiliando no recolhimento do lixo. Em relação ao fim do Carnaval na Interlagos, a secretária afirmou que o único dia que há preocupação em relação ao excesso de pessoas na Esplanada é no sábado, quando não haverá outras atividades pela cidade.

Um ponto crítico era o posto de combustíveis localizado na Rua 14 de Julho, em frente ao Colégio Dom Bosco. O proprietário foi orientado a gradear todo o estabelecimento durante o horário dos blocos.

Nilde Brum também afirmou que conversou com os músicos que iriam se apresentar na Avenida Interlagos e explicou os motivos do cancelamento.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions