ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Após prejuízo com chuva, prefeitura cancela Carnaval na Interlagos

Em nota, prefeitura informou que decidiu pelo cancelamento para priorizar obras para sanar estragos provocados pelo temporal da terça-feira.

Por Gabriel Neris | 27/02/2019 17:36
Via parque foi tomada pela enxurrada na terça-feira (Foto: Henrique Kawaminami)
Via parque foi tomada pela enxurrada na terça-feira (Foto: Henrique Kawaminami)

A estrutura já começava a ser montada, mas a prefeitura de Campo Grande resolveu cancelar a festa de Carnaval que seria realizada na Avenida Interlagos, de 1º a 5 de março. Segundo nota divulgada pela assessoria, a administração optou em centrar esforços nas obras de recuperação de ruas danificadas pelo temporal de terça-feira.

A prefeitura lembra que foram 108,2 milímetros de chuva somente na terça-feira, provocando prejuízos após os transbordamentos do Córrego Segredo, no Estrela do Sul e Avenida Ernesto Geisel com a Rachid Neder, no Córrego Prosa, na Via Parque e na altura da Joaquim Murtinho, e transbordamento do lago do Parque das Nações invadiu as ruas próximas

“O temporal provocou muitos danos. Vimos o volume de água que destruiu e inundou diversas ruas e compreendemos que o prefeito volte os empenhos para recuperar os estragos", disse a secretária municipal de Cultura e Turismo, Nilde Brun.

A chuva provocou estragos no asfalto da Avenida Nelly Martins, Dolor de Andrade, Avenida Rachid Neder, e em algumas ruas do Jardim Paradiso, onde o asfalto precisará ser refeito.

Segundo Nilde, apesar do cancelamento da festa na Interlagos, a prefeitura mantém o apoio ao desfile das escolas de samba na Praça do Papa, nos dias 4 e 5 de março, e dos blocos oficiais e independentes na esquina da Avenida Calógeras com Rua Maracaju e na Esplanada Ferroviária de 2 a 5 de março.

Projeto - A prefeitura depende da captação de US$ 82 milhões para viabilizar obras previstas no Programa de Desenvolvimento Sustentável de Campo Grande, destinadas ao controle de enchentes.

Os projetos, apresentados em Brasília, contemplam a construção de bacias de detenção e barragens de amortecimento; drenagem e pavimentação; continuidade das obras de revitalização do Anhandui, chegando até as avenidas Campestre e requalificação (reforço da drenagem e recapeamento) das avenidas Campestre, Manoel da Costa Lima e Ernesto Geisel (entre as avenidas Salgado Filho e Mascarenhas de Moraes), além da Rua Antônio Maria Coelho.

As represas e bacias de amortecimento previstas estão orçadas em US$ 13,3 milhões. Elas terão capacidade para reter 204 milhões de litros de águas pluviais, evitando que os córregos Prosa, Segredo, Sóter e Imbirussu transbordem.

Animação ficará por conta dos blocos no Centro de Campo Grande (Foto: Arquivo)
Animação ficará por conta dos blocos no Centro de Campo Grande (Foto: Arquivo)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário