A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

14/09/2015 09:21

Sem salários, trabalhadores cumprem decisão e recolhem lixo hospitalar

Edivaldo Bitencourt e Flávia Lima
Cerca de 10 operários trabalham na coleta de lixo no Hospital Regional (Foto: Marcos Ermínio)Cerca de 10 operários trabalham na coleta de lixo no Hospital Regional (Foto: Marcos Ermínio)

Cerca de 20 operários, distribuídos em quatro equipes, iniciaram, na manhã desta segunda-feira (14), a coleta do lixo nos hospitais e postos de saúde de Campo Grande. Eles ainda não receberam os salários, mas decidiram recolher os resíduos para acatar decisão da Justiça, que acatou pedidos do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian e da Prefeitura de Campo Grande.

Conforme o presidente dos Sindicato dos Trabalhadores em Asseio e Conservação, Wilson Gomes da Costa, os 1.080 funcionários da CG Solurb Soluções Ambientais, responsável pela coleta do lixo na Capital, ainda não receberam os salários. No entanto, eles decidiram cumprir a decisão judicial, que previa multa de R$ 30 mil por hora de atraso na coleta. A categoria está em greve desde terça-feira (7).

Uma das equipes foi recolher o lixo hospitalar do HR, no Jardim Aero Rancho. Um caminhão e 10 operários recolhem o lixo da unidade. Na Santa Casa, onde a lixeira estava lotada desde a semana passada, os trabalhos ainda não começaram.

Segundo Wilson, quatro equipes vão recolher o lixo nos 70 pontos, que incluem hospitais públicos e privados e postos de saúde. Ele lamentou que os trabalhadores continuam sem receber os salários de agosto, que deveria ser pago no 5º dia útil.

A esperança da entidade é que o pagamento ocorra após a reunião entre a prefeitura e a Solurb, a partir das 14h, no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O encontro será mediado pelo desembargador Vladimir Abreu da Silva.

Na sexta-feira, o juiz da 2ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos, Ricardo Galbiati, determinou o recolhimento do lixo do HR sob pena de multa de R$ 30 mil.

Ontem, o juiz Maurício Petrauski deu 4h para a Solurb iniciar a coleta do lixo hospitalar, devido ao risco por ser um produto altamente contaminado.

A Solurb chegou a ser notificada ontem à tarde. No entanto, a empresa não reconheceu a notificação feita por um oficial de Justiça, que foi acompanhado pelo secretário municipal de Saúde, Ivandro Corrêa Fonseca.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions