ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SEXTA  05    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Sem "vale" na conta, trabalhadores do transporte coletivo ameaçam parar

Diante da ameaça da categoria, consórcio informou que deve efetuar o pagamento do adiantamento amanhã (23)

Por Adriano Fernandes | 22/02/2021 21:37
Passageiro prestes a embarcar em ônibus no Centro da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)
Passageiro prestes a embarcar em ônibus no Centro da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)

Os funcionários do transporte coletivo da Capital ameaçam paralisar os serviços, a partir de quarta-feira (24), caso não recebam o adiantamento salarial do mês de ferereiro. A previsão era de que o "vale" fosse pago no sábado (22), conforme o STTCU (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande).

Como o pagamento não caiu na conta dos funcionários até hoje (22), o sindicato diz ter cobrado o Consórcio Guaicurus e foi informado de que não "havia dinheiro em caixa e nem previsão de pagamento", segundo o presidente do STTCU, Wilian Pereira.

"Demos prazo atá amanha às 16h, se o consórcio não fazer pagamento, na quarta-feira de manha, não sai nenhum ônibus das garagens", completa. O pagamento do adiantamento salarial, equivale a 40% do salário dos funcionários.

Ao contrário da queixa da categoria, o consórcio informou à reportagem que deve efetuar o pagamento do adiantamento salarial dos funcionários, nesta terça-feira (23).

Crise - Desde fevereiro, pouco antes do início do surto o faturamento do Consórcio Guaicurus está em queda na Capital, mas a pandemia serviu para piorar a situação. Atualmente, apenas 47% da clientela está usando o transporte coletivo na cidade.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário