A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

10/05/2012 19:03

Sinalização precária em frente a escola causa insegurança em pais de alunos

Mariana Lopes

Acessibilidade e calçada quebrada também chamou a atenção dos pais, que já fizeram reclamação do problema

Na frente da escola até há rampa de acessibilidade, mas do outro lado da rua, a faixa de pedestre termina em uma árvore (Foto: Pedro Peralta)Na frente da escola até há rampa de acessibilidade, mas do outro lado da rua, a faixa de pedestre termina em uma árvore (Foto: Pedro Peralta)

Em frente à escola municipal Eucídio Pimentel, localizada na rua Brilhante, na Vila Carvalho, a situação precária da sinalização, acessibilidade e calçada chamou a atenção de pais de alunos, que temem pela segurança dos filhos.

“Os carros nem enxergam a faixa de pedestre e quase nunca param para os alunos passarem, sem contar na arvora, que caiu tem mais de anos”, denuncia a comerciante Adriana Nogueira, 27 anos, e mãe de uma aluna de 6 anos.

A filha dela estuda na escola há dois anos, e para ela, a maior preocupação é com a segurança da menina. “Dá medo deixar ela aqui para atravessar sozinha, eu venho buscá-la todo dia, e quando tenho que parar o carro do outro lado da rua, fico cuidando”, conta.

Calçada quebrada tem pouco acesso para alunos(Foto: Pedro Peralta)Calçada quebrada tem pouco acesso para alunos(Foto: Pedro Peralta)

A escola de ensino fundamental funciona nos períodos matutino e vespertino, e tem cerca de 600 alunos, de acordo com informações de funcionários.

De acordo com o pai de uma aluna, a Associação de Pais e Mestres solicitou à Prefeitura que arrumasse o local e também entraram em contato com o Ministério Público Estadual.

Apesar da pouco idade, uma aluna de 9 anos sabe pontuar muito bem o que tem de errado ao redor da escola. “Aquela árvore caiu faz tempo, a calçada está toda estragada, a faixa está apagada”, observa a menina.

Na frente da escola até há rampa de acessibilidade, mas do outro lado da rua, a faixa de pedestre termina em uma árvore. Na escola, segundo uma funcionária que preferiu não se identificar, há uma aluna cadeirante que estuda no período da manhã. No ano passado, a escola tinha três alunos que utilizavam a rampa.

“Eles desciam pela acessibilidade, atravessavam a faixa e continuavam o caminho pela rua mesmo”, conta a funcionária sobre como os alunos cadeirantes fazem para se adaptarem à situação do local.

De acordo com a assessoria da Prefeitura, a pintura da faixa de pedestre está na programação da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), mas não há previsão para ser retocada. Para solicitar este tipo de serviço, é preciso entrar em contato pelo telefone 3314-3396 ou no tele-atendimento 118.

Sobre a calçada e a acessibilidade do local, a assessoria informou que o pedido de serviço chegou hoje no Departamento de Controle Urbanístico e Postura de Campo Grande e será atendido. Para estes casos, o telefone de contato é o 3314-3519.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions