A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

19/08/2013 08:21

Só praças "adotadas" por moradores não estão abandonadas e têm lazer

Helton Verão
Seu Ari teve seu nome batizado à praça por cuidar muito bem dela (Foto: Marcos Ermínio)Seu Ari teve seu nome batizado à praça por cuidar muito bem dela (Foto: Marcos Ermínio)

Abandonadas pelo poder público, as pequenas praças espalhadas pelos sete setores do Conjunto Aero Rancho, o bairro mais populoso de Campo Grande, são adotadas pelos moradores. A cidadania acaba garantindo a preservação dos espaços verdes e mantendo áreas de lazer para as comunidades. Só o trabalho voluntário para superar o descaso e a escuridão ao cair da noite. 

Entre as praças, a mais famosa é a do "senhor Ari". Isso mesmo, a praça leva o nome do ex-comerciante, que cuida dela há 25 anos. “Criei meus filho aqui, construi esses bancos, plantei essas árvores, pago todo mês para trabalhadores fazerem a limpeza, aqui é uma extensão da minha casa”, responde o Ari Flores.

Ele desembolsa um valor alto para manter a praça. Além de ceder a energia da própria residência para iluminar esta que parece a mais verdadeira “praça” de todas visitadas. “Gasto todo mês R$ 250 reais para a limpeza e a energia da praça é por minha conta, vocês podem ver que toda a fiação sai da minha casa”, mostra Flores.

Sobre todos no bairro chamar a praça pelo seu nome, Ari é humilde na avaliação. “Acho que só chamam ela assim porque já tive um comércio em frente a ela”, avalia.

Diferente das demais praças, essa seu Ari garante que é bem frequentada aos fins de semana pela vizinhança pelos atrativos, como bancos, árvores, sombras e uma atenção digna.

Praça onde já existiu um campo de areia, bancos e iluminação, hoje tem penas as mudas da dona Neraci (Foto: Marcos Ermínio)Praça onde já existiu um campo de areia, bancos e iluminação, hoje tem penas as mudas da dona Neraci (Foto: Marcos Ermínio)

Outra moradora, sem aguentar esperar pela assistência das autoridades, colocou a mão na massa. Neraci Ferreira, 53 anos é uma das primeiras moradoras do bairro, há mais de duas décadas. Ele mora em frente a praça da rua Audax Camargo César com travessa Ricky Nelson e, de uns meses para cá, plantou 27 mudas de diversas espécies.

“Plantei ipês, goiabeiras, jabuticabeiras, meu sonho é ver toda essa quadra com sombras. Se pensarmos em praça aqui na região as únicas dignas estão dentro do Parque Ayrton Senna”, comenta a moradora.

“Praça” localizada na esquina das ruas Aziz Salamene com Audax Camargo César não possui  um banco sequer (a não ser do ponto de ônibus), além de terra e postes com luzes queimadas“Praça” localizada na esquina das ruas Aziz Salamene com Audax Camargo César não possui um banco sequer (a não ser do ponto de ônibus), além de terra e postes com luzes queimadas

O outro lado - Moradores dizem que há anos onde deveriam existir traves, redes e bancos, para a pratica de esportes e lazer, existe apenas um espaço vazio sem nada. Um dos piores exemplos é a “praça” localizada na esquina das ruas Aziz Salamene com Audax Camargo César.

No local não existe um banco sequer (a não ser do ponto de ônibus), apenas terra e postes com luzes queimadas. “Moro aqui há oito anos, já fazem três anos que a praça não tem iluminação, as luzes ficavam ligadas o dia inteiro até que queimaram e não funcionaram mais”, comenta o borracheiro José Aparecido Matos, 53 anos.

De acordo com Matos, em razão da escuridão que toma conta do local quando anoitece, o espaço vira área de consumo de droga. “É só o dia acabar que o cheiro forte de droga cresce”, conta o borracheiro. José lembra que a melhor fase da praça foi quando havia um trailer de lanches e os proprietários cuidavam da estética do bairro.

Na rua Pedro Corrêa da Silva, com a Ivete Vargas, um playground e um campo de areia estão instalados na praça, sem manutenção Na rua Pedro Corrêa da Silva, com a Ivete Vargas, um playground e um campo de areia estão instalados na praça, sem manutenção

Algumas quadras dali, na rua Pedro Corrêa da Silva, com a Ivete Vargas, um playground e um campo de areia estão instalados na praça. Mas depois de muitos anos, a areia do campo quase toda se foi e o parquinho está com brinquedos danificados. “Desde que mudei para cá, há três anos a praça está nesta situação, naquela época as pessoas frequentavam bastante ela, mas agora ninguém pisa nela e não querem deixar as crianças brincarem” revela o fiscal de lojas, Marcelo Soares, referindo-se aos inúmeros riscos de doenças na areia frequentada por animais.

O morador ainda conta que a vizinhança colabora para a depredação da praça. “Jogam lixo, além de termos que esperar o enorme tempo para a prefeitura vir limpar ainda jogam lixo”, ressalta Soares.

O Campo Grande News entrou em contato com o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz, para saber de algum projeto de revitalização para o bairro.

Semy diz atravessar um momento de criação e avaliação de projetos para os bairros. E prometeu avaliar as situações das praças do Aero Rancho. “Iremos analisar os casos onde possamos instalar campos de esportes, academias ao ar livre e playground às crianças”, respondeu Ferraz.

Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...


tudo precisa de manutenção, uma casa por exemplo sempre temos que estar pintando,limpando e tal não diferente com as praças....daqui a 3 anos as coisas podem mudar com outra administração
 
samuel vosni em 19/08/2013 13:31:22
Muitos reclamam que a prefeitura não faz isso ou aquilo,mas quando faz, a própria população destrói,como na entrada das moreninhas, foi plantado diversas mudas de arvores,e os alunos de uma escola próxima ao sair da escola passavam quebrando todas,o que deveria ficar bonito,agora só resta lamentar.
 
Lucas da Silva em 19/08/2013 10:46:23
O povo tem memória curta.
Em primeiro lugar "AS PESSOAS" depois vem o resto.
 
Ito Malta em 19/08/2013 10:04:02
O mais triste é que gastam rios de dinheiro do nosso bolso, fazem praças bonitas, gostosas de se passar a tarde e depois deixam abandonada para que a população cuide ou para que a praça se acabe para que eles possam fazer outra, gastar tudo de novo, desviar mais um pouquinho e abandonar novamente, devia haver uma lei que se a prefeitura fosse omissa com os bens públicos, o prefeito ia tendo seus bens confiscados e vendidos para pagamento do que foi gasto.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 19/08/2013 09:35:22
Ah, vocês já viram a praça do bairro flamboyant, fica ao lado do GARRAS, todas as vezes que tem um prisão com grande repercussão em Campo Grande, todas as emissoras veem até aqui fazer suas reportagens mas ninguém nota o abandono que fica ao lado, na verdade grudada a delegacia, a praça é suja, cheia de mato, não tem iluminação, a pista de caminhada esta totalmente danificada, enfim esta abandonada, o local é grande fica na av. em frente as concessionárias mas não é percebida pela autoridade, é lamentável.
 
Cristiane Benites da Silva em 19/08/2013 09:25:40
Este é um triste caso de abandono; não do poder público, mas dos próprios moradores que não cuidam nem de suas próprias moradias e ainda se acham no direito de jogarem lixo nestas áreas. Quando criança, nestas áreas a gurizada fazia campinho de futebol, lugar para jogar bete-ombro, jogar bolita e pista de cross.
Acorda povão, ajudem vocês mesmos, não adianta ir pra rua exigir do poder público e não ir pra rua organizar o lugar que moram, nas cidades do sul o povo faz jardim em frente as suas casas e gramados bem cuidados e aqui as pessoas nem suas calçadas limpam.
 
Janio peixoto em 19/08/2013 09:03:57
Quem vem do interior ou mesmo de outros estados estranha muito a quantidade de cercas elétricas , quebra molas, praças e parques públicos cercados em Campo Grande. Excesso de zelo ??? ou a coisa aqui é grave mesmo, semáforos, quebra molas e outras parafernalias são tristes indicativos da falta de educação predominante . SIMPLESMENTE
 
Pedro de Turvo em 19/08/2013 09:03:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions