A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

23/02/2011 17:41

Suspeito nega assassinato de jovem e atentado contra a família da vítima

Viviane Oliveira

Segundo o acusado a arma utilizada na tentativa de homicídio foi jogada em um rio

Com raiva Paulo foi até sua casa pegou um revólver e atirou cinco vezes no Palio. (Foto: João Garrigó)Com raiva Paulo foi até sua casa pegou um revólver e atirou cinco vezes no Palio. (Foto: João Garrigó)

Paulo de Souza Silva acusado pela polícia de assassinar Alexandro Tavares Ferreira, 24 anos, e tentar matar a família da vítima, em depoimento ele alega inocência. A informação é do delegado do 5º DP, Devair Aparecido Francisco.

De acordo com o delegado, ele disse que não matou Alexandro e que só atirou no carro da família, porque a irmã da vítima passou por cima de sua moto. Com raiva Paulo foi até sua casa pegou um revólver e atirou cinco vezes no Palio. Segundo ele a arma utilizada na tentativa de homicídio foi jogada em um rio.

Hoje de Manhã, Paulo se apresentou no 5º DP para prestar depoimento sobre a tentativa de homicídio e neste momento ele presta depoimento no 1º DP referente ao assassinato.

Tentativa de homicídio - A família de Alexandro, morto a tiros, às 5h32 do último domingo (20), foi alvo de atentado no mesmo dia na Rua Esmeralda FC Costa, próxima a Ernesto Geisel, no bairro Guanandi, em Campo Grande.

A irmã e a mãe da vítima estavam num palio, de placas HBU-3555, de Uberaba (MG), e seguiam na rua em direção à avenida Norte Sul, quando foram abordadas por Paulo, acusado pelo assassinato de Alexandro.

O rapaz, que mora na Ernesto Geisel, pilotava uma moto, de placas HSO-6240. Ele teria subido na calçada para ir de encontro ao veículo, que descia em direção à avenida.

Paulo efetuou disparos contra o carro, que tem vários sinais de perfurações. Três dos tiros são bem visíveis. Um atingiu a parte da frente, perto da roda, do lado do motorista, e os outros dois acertaram o vidro traseiro.

Quem conduzia o veículo era a irmã de Alexandro. A mãe, Lenir, ainda muito abalada, relata que, como defesa, a filha atropelou o autor, que caiu da moto e, mesmo assim, levantou e continuou correndo e efetuou mais disparos na rua. Com o choque, a motocicleta entrou debaixo do Palio.

Homicídio - Alexandro já havia recebido ameaças, segundo apurou a Polícia Civil. Ele estava de moto com um amigo, no Bairro Amambai, quando foi surpreendido por três homens que estavam num Gol, de cor roxa. Eles interceptaram a moto e começaram a atirar. Alexandro foi morto por três disparos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions