ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Tapa-buraco fecha cratera após 6 meses de transtorno em cruzamento

Aline dos Santos e Yarima Mecchi | 07/02/2017 10:08
Capa asfáltica foi retirada para tapa-buraco na Cidade Jardim. (Foto: Yarima Mecchi)
Capa asfáltica foi retirada para tapa-buraco na Cidade Jardim. (Foto: Yarima Mecchi)
Acesso à rua San Marino foi interditado no cruzamento com a Afonso Pena. (Foto: Yarima Mechi)
Acesso à rua San Marino foi interditado no cruzamento com a Afonso Pena. (Foto: Yarima Mechi)

Com nomes de belas flores, mas há seis meses cenário de cratera, o cruzamento das ruas Gardênia e Centáurea foi interditado nesta terça-feira (dia 7) para operação tapa-buraco. O asfalto foi recortado e 15 pessoas trabalham no local.

O trânsito foi interrompido numa quadra acima do cruzamento. A saga da cratera no bairro Cidade Jardim foi acompanhada e registrada em fotos pelo Campo Grande News.

Conforme os moradores, a fenda no asfalto foi se abrindo por seis meses até chegar ao buraco que tumultua o trânsito. Os condutores são obrigados a entrar pela contramão para escapar da erosão.

“Esse buraco está aberto há pelos menos seis meses. A cratera começou pequena, mas, sem manutenção, aumentou”, afirma a professora Thaila Costa, que trabalha perto do cruzamento.

Ela conta que desde que sai da avenida Afonso Pena e entra no bairro precisa dirigir desviando dos buracos. Hoje, Thaila teve que deixar o carro mais distante do local de trabalho. “Mas é melhor arrumar do que deixar do jeito que estava. Não cheguei a ver acidentes, mas as pessoas sempre comentavam”, diz a professora.

Morador do bairro Cidade Jardim há um ano e 8 meses, Reinaldo Valoso relata que os buracos traziam uma série de dificuldades. “Nem deixava o carro estacionado no acostamento por medo de que outro carro batesse desviando dos buracos”, afirma.

“Ele têm mais é que arrumar mesmo. Acho ótimo. A situação estava precária. Cada vez mais difícil entrar e sair de casa”, diz Sueli Dias, 65 anos, que mora na rua Gardênia.

O serviço também interdita a rua San Marino Park, que tem mais buracos do que asfalto com condições de tráfego. O acesso à rua é feito por meio da avenida Afonso Pena. Com a interdição, um opção é entrar na Cidade Jardim pelo Parque dos Poderes.

Conforme dados da prefeitura, Campo Grande tem 280 mil buracos, sendo 25 mil fechados, numa média de mil por dia.

Na sexta-feira (dia 3), cratera foi, mais uma vez, mostrada pela reportagem. (Foto: Alcides Neto)
Na sexta-feira (dia 3), cratera foi, mais uma vez, mostrada pela reportagem. (Foto: Alcides Neto)
Rua San Marino tem sucessivos buracos. (Foto: Alcides Neto)
Rua San Marino tem sucessivos buracos. (Foto: Alcides Neto)
Nos siga no Google Notícias