A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

11/11/2014 17:00

Tarifa social de ônibus sobe 11% e vai a R$ 1,20; fresquinho tem alta de 9%

Edivaldo Bitencourt
Transporte coletivo fica mais caro a partir desta quarta-feira (Foto: Alcides Neto)Transporte coletivo fica mais caro a partir desta quarta-feira (Foto: Alcides Neto)

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), autorizou o reajuste de 11,1% na tarifa social do transporte coletivo, que vigora em sete datas especiais. Além de elevar o valor da tarifa de R$ 2,70 para R$ 3,00, o decreto reajustou o valor dos ônibus executivos em 9%, de R$ 3,30 para R$ 3,60.

Os novos valores do transporte coletivo, que transporta cerca de 200 mil passageiros pagantes por mês, entram em vigor nesta quarta-feira. O reajuste de 11,1% é superior a inflação oficial de 6,6% acumulada nos últimos 12 meses.

O reajuste na tarifa causou polêmica porque a Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Delegados) tinha autorizado reajuste de 10,74%, de R$ 2,70 para R$ 2,99. No entanto, devido a polêmica em torno do troco de R$ 0,01, o órgão arrendou o valor para cima, como o Campo Grande News tinha previsto na sexta-feira.

Como a tarifa social equivale a 40% do valor da tarifa, Olarte autorizou também a correção de 11% no valor, que passa de R$ 1,08 para R$ 1,20. Esta tarifa vigora apenas no cartão e em sete datas especiais: Dia do Trabalho (1º de maio), das Mães (segundo domingo de maio), dos Pais (segundo domingo de agosto), Finados (2 de novembro), Natal (25 de dezembro) e Ano Novo (1º de janeiro).

O reajuste ocorreu porque a prefeitura não conseguiu viabilizar a criação do fundo municipal para subsidiar as gratuidades, aprovado pela Câmara Municipal de Campo Grande. Para evitar o reajuste, seria necessária a viabilização de R$ 8,3 milhões para subsidiar as gratuidades. Só estudantes, 55 mil não pagam para usar o transporte coletivo na Capital.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions