ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Técnico de enfermagem é o 9° profissional da saúde vítima de covid-19 no Estado

João morava em Ribas do Rio Pardo e não tinha comorbidades que agravassem o quadro

Por Ana Paula Chuva | 29/07/2020 13:24
João Paulo da Matta, de 38 anos, era funcionário de uma clínica de oncologia. (Reprodução / Facebook)
João Paulo da Matta, de 38 anos, era funcionário de uma clínica de oncologia. (Reprodução / Facebook)

O técnico de enfermagem João Paulo Rodrigues da Matta é mais um profissional de Saúde vitima da covid-19 em Mato Grosso do Sul. Funcionário de uma clínica de oncologia de Campo Grande, ele estava internado no Proncor.

A morte foi confirmada na madrugada desta quarta-feira (29). João veio recentemente de Ribas do Rio Pardo, a 97 quilômetros de Campo Grande e não tinha comorbidades e é o segundo profissional da enfermagem vítima fatal da doença no Estado.

O Coren-Ms (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul) publicou uma nota de pesar nas redes sociais dizendo que João Paulo é o segundo profissional da enfermagem vítima da doença no Estado.

A entidade lamentou "a perda precoce do profissional, admirado por sempre ter se mobilizado em defesa de sua classe e ter desempenhado com excelência as suas funções".

Além da entidade, o nutrólogo e toxicologista Sandro Benites, também publicou uma nota de pesar. Na postagem ele conta que atuou ao lado de João no Hospital Militar da Captial, e onde o colega era conhecido como Sargento da Matta. "Mais um amigo da Enfermagem que se despede nessa pandemia pelo Coronavírus", postou.

O médico diz que João fará falta, um amigo sempre "muito sorridente"  e que demonstrava carinho tanto pelos colegas quanto pelos pacientes. "Era evidente o amor ao trabalho. Contagiante o carinho demonstrado aos pacientes e colegas da saúde", comentou.

Conforme o painel Mais Saúde, atualmente são 2.438 profissionais da saúde infectados por coronavírus no Estado. João Paulo é a 9ª morte confirmada por covid-19.

Desde o início da pandemia, só no Hospital Regional de Campo Grande, que é referência no combate à covid no Estado, 104 servidores foram contaminados.