ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Tecnologia abraça procuradora e, usando movimento dos olhos, facilita o trabalho

Diagnosticada com ELA, há 11 anos, Sara contava com auxílio de assistentes para desempenhar atividades

Por Liniker Ribeiro | 24/09/2020 14:58
Sara Francisco Silva, procuradora de Justiça, utilizando tecnologia que permite manipular computador com movimento dos olhos (Foto: Divulgação/MPMS)
Sara Francisco Silva, procuradora de Justiça, utilizando tecnologia que permite manipular computador com movimento dos olhos (Foto: Divulgação/MPMS)

Apenas com o movimento dos olhos, Sara Francisco Silva tem revivido experiências emocionantes, graças à tecnologia. Diagnosticada com ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), a procuradora de Justiça começou a sentir os feitos da doença degenerativa ainda em 2009, mas sua força de vontade e determinação fizeram com que a profissional seguisse com a carreira, com ajuda de auxiliares. Onze anos depois, equipamentos adquiridos pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul permitem que ela volte a ter autonomia e independência no trabalho.

Motivo de comemoração para Sara. “É muito bom porque eu consigo digitar sozinha, sem auxilio do meu assessor. Dessa forma, ele fica liberado para desempenhar suas atividades”, revelou a procurada em entrevista ao Campo Grande News, com ajuda da auxiliar Vilmara Rodrigues Nunes.

No trabalho, a gratidão ao assessor Joacir França Giesen pela dedicação em auxilia-la é grande.  Porém, após a chegada da tecnologia, Sara comemora o fato de poder desempenhar suas atividades de forma independente.

“A ferramenta é muito importante, ajuda nas audiências e leituras de parecer, nas sessões de colégios de procuradores posso escrever e soltar as falas pela voz do computador”, se refere Sara ao citar também o recurso de voz computadorizada, utilizada no trabalho.

A chegada da tecnologia foi uma sugestão da própria procuradora. Ideia adotada pelo procurador-chefe, Alexandre Magno.  “Recentemente fizemos a compra do equipamento e está sendo algo excepcional! Isso porque a Sara consegue trabalhar com o controle dos olhos”, destaca Alexandre.

Procedimento que deu certo! Recentemente, no dia 2 de setembro, Sara assinou e peticionou, sozinha, no SAJMP, em seu gabinete na sede da Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público de Mato Grosso do Sul.

Como funciona – O equipamento adquirido em São Paulo foi adquirido recentemente. O mouse ocular permite substituir o tradicional cursor do mouse e opera com o movimento dos olhos, oferecendo às pessoas com tetraplegia, ausência ou alto grau de comprometimento dos membros superiores, a possiblidade de utilizar plenamente um computador, através da digitação de palavras, frases ou textos, navegação na web e utilização de qualquer software, usando somente piscadas e movimentos oculares.

A equipe da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do MPMS foi acionada para avaliar o equipamento, dando parecer favorável.

“De fato, esse equipamento dá uma outra condição de trabalho à Dra. Sara. No primeiro contato com o equipamento, a doutora conseguiu abrir o SAJ, abrir o processo, analisar a peça, editar e peticionar, utilizando apenas os olhos. O equipamento é fantástico e dá à doutora independência, inclusive, para acender e apagar a luz, e regular a temperatura do ar condicionado”, afirmou o Promotor de Justiça Paulo César Zeni, Presidente do Comitê para a implantação do SAJ/MP, que acompanhou a instalação do equipamento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário