ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Terceirados pela Omep e Seleta continuam protesto em frente ao Fórum

Morador de rua que ficou desabrigado com fechamento do Cetremi foi ao local e passou mal ao encontrar cuidador no acampamento

Por Nyelder Rodrigues | 20/12/2016 22:47
Barracas foram instaladas em frente ao Fórum pelos manifestantes (Foto: Direto das Ruas)
Barracas foram instaladas em frente ao Fórum pelos manifestantes (Foto: Direto das Ruas)

Os funcionário terceirizados pela prefeitura de Campo Grande através de convênios com a Omep e a Seleta prosseguem na noite desta terça-feira (20) e prometem adentrar a madrugada e manhã de quarta-feira (21) em frente ao Fórum da Capital. Eles protestam contra o a demissão em massa de 4 mil trabalhadores, determinada pela Justiça.

Se as manifestações no Centro de Campo Grande continuarem, amanhã será o quinto dia seguido de protestos, que já fecharam o trânsito na avenida Afonso Pena em dias anteriores. Ainda não há definição, mas também deve haver manifestação em frente a prefeitura a partir das 9h desta quarta-feira.

Os trabalhadores cobram agilidade do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) em julgar recurso impetrado pela prefeitura para garantir o emprego e pagamento dos funcionários que estavam ligados a Omep e Seleta. O tribunal está em recesso e funcionando em regime de plantão.

Além da perspectiva de demissão, os terceirizados estão com salários atrasados e sem previsão de recebimento do 13º salário, piorando ainda mais a situação dos trabalhadores que atuam, principalmente, em creches públicas.

Cetremi - A falta de funcionários fez com que os Ceinfs (Centros de Educação Infantil) antecipassem as férias e que órgãos como o Cetremi (Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante) fosse fechado, atingindo diretamente cerca de 90 abrigados que estavam no local e tiveram que voltar às ruas.

Alguns estão espalhados pela cidade, enquanto outros estão sob o viaduto da BR-163 com a BR-262, na saída para Três Lagoas. Várias pessoas se mobilizam para ajudar os moradores de rua que ficaram sem abrigo.

Um desses desabrigados foi nesta noite ao acampamento montado em frente ao Fórum, encontrando lá a pessoa que atuava como cuidador no Cetremi. O morador de rua, que não foi identificado, ficou emocionado e passou mal, sendo necessário o atendimento do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário