A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

15/01/2014 08:09

Terceirizada da Enersul dá calote e funcionários protestam na Capital

Aliny Mary Dias
Funcionários se aglomeram em frente da sede da empresa (Foto: Marcos Ermínio)Funcionários se aglomeram em frente da sede da empresa (Foto: Marcos Ermínio)

Com o encerramento das atividades da Enecol Engenharia e Eletricidade em Mato Grosso do Sul, 190 funcionários foram demitidos em dezembro. Apesar dos desligamentos terem ocorrido tranquilamente, a empresa que presta serviço à Enersul não pagou os salários de dezembro e o acerto prometido para o início deste mês. Revoltados, funcionários protestam em frente à sede da empresa na manhã desta quarta-feira (15).

O secretário da CUT (Central Única dos Trabalhadores) no Estado, José Abelha, explica que o contrato da Enecol com a Enersul foi finalizado e que a prestadora de serviços não atuará mais em Mato Grosso do Sul.

“Eles foram embora do Estado, estão com problemas financeiros, mas precisam pagar os trabalhadores. Estamos esperando uma pessoa da Enecol e da Enersul, que precisa repassar o valor devido à empresa para que eles repassem para os funcionários”, conta.

Ao todo, 190 funcionários eram contratados pela empresa, 83 no interior e o restante na Capital. O anúncio das demissões ocorreu no fim do ano passado e os operários cumpriram aviso prévio.

Leonardo trabalhava no almoxarifado e agora passa por dificuldades financeiras (Foto: Marcos Ermínio)Leonardo trabalhava no almoxarifado e agora passa por dificuldades financeiras (Foto: Marcos Ermínio)
Júnior é eletricista e está prestes a ser despejado (Foto: Marcos Ermínio)Júnior é eletricista e está prestes a ser despejado (Foto: Marcos Ermínio)

A reclamação é em relação ao salário de dezembro, que ainda não foi pago, e ao acerto das demissões. Que tinham o prazo de até ontem (14) para serem pagos.

Leonardo Faustino, 29 anos, trabalhava no almoxarifado e passa por dificuldades financeiras. “Eu tenho família e filhos, agora estou sem dinheiro e minha mulher é a única que trabalha. Está muito difícil, queremos que eles paguem logo, só queremos o que é nosso”, explica.

Outro que passa por problemas é o eletricista Júnior Aranda, 31. Ele explica que o salário de R$ 763 faz falta para toda a família que já corre risco de despejo. “Eu pago aluguel e estou sendo colocado pra fora, precisamos do nosso salário com urgência”.

Segundo José Abelha, um diretor da Enersul se comprometeu a ir até a Enecol, que fica no bairro Tiradentes, na saída para Três lagoas, ainda nesta manhã. A expectativa é que a empresa já tenha data para repassar o valor à Enecol e em consequência aos trabalhadores.

Já a concessionária de energia divulgou ontem que está em dia com a empresa Enecol. “A Enersul esclarece que paga em dia todos os seus contratos, inclusive o com a Enecol”, afirmou a assessoria de imprensa.

Um dia antes de protesto, Enersul garante que pagou terceirizada
A Enersul, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica em 77 dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, esclareceu que está em dia...
Sem acerto com terceirizada, 190 funcionários protestam amanhã na Enersul
Após serem demitidos e não receberem o acerto com a Enecol, empresa que prestava serviço para a Enersul, 190 funcionários devem protestar na manhã de...


Sr Ricardo e Pedro o homem da escala e apenas um funcionario, como qualquer um, todo funcionario tem seus deveres a fazer, nao e porque eles cortaram a sua energia que vcs iram condenar eles. Sao apenas trabalhadores igual a vcs, a diferenca e que vc nao pagam a suas contas e ainda achao que estao certo. entao ninguem mais paga contas, seria igual vc ter um mercado eu compra e nao paga!!!!!
 
cesar henrique em 15/01/2014 22:47:31
Isso é um câncer que sempre vai acontecer aqui em nossa cidade. Pois aqui é terra de aventureiros que o estado e municipio deixa entrar com ajuda da empresa dona do contrato de distribuição de energia.Todos tem uma parcela de culpa em colocar na nossa cidade empresas que não tem compromisso nenhum com ninguém pois todo o dinheiro arrecadado sai daqui para o seu estado de origem.Ai continua tudo de novo o sindicato intervir pra tentar receber uma miséria depois de muitas lutas. Mas no exato instante que ela saiu a ENERSUL já tem uma nova empresa linda e maravilhosa que ganhou o contrato com valor bem a baixo da realidade que tbm ja contratou os coitados que estão no portão de fora da que esta de malas prontas...Então isso é um câncer que vamos lutar pra curar.
 
Aparecido Pereira em 15/01/2014 19:32:33
NÃO SEI PARA QUE MEDO, SE A LEI, DIZ, QUE QUEM ASSUME, ASSUME O ATIVO E O PASSIVO, ENTÃO, VÃO TRABALHAR, POIS O QUE DIGNIFICA A EMPRESA, É A PRODUÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS, E DEUS, NÃO DEIXARÁ TOMAR PREJUÍZO, QUE DEUS ABENÇOE.
 
PEDRO A BRAGA em 15/01/2014 14:20:03
Eu quero que Se lasquem quando vocês sobem nos postes e cortam a energia de quem ta despregado assim como vocês estão agora, vocês não estão nem ai para o clamor do forçado do devedor (não corta moço não corta moço), Alias vocês devem se achar O DEUS la em cima na escada e o desgraçado aqui em baixo implorando moço já vou pagar não corta. Deus de de um prego nesse povo ai eles vão receber a visita do homem da escada vão sentir como o desempregado se sente com a visita deles.
 
Ricardo Fernandes em 15/01/2014 13:05:51
Enecol passando por dificuldades financeiras? Como? A empresa terceirizada ganha em cima de cada funcionário contratado quase 100%(as vezes mais!). Isso é só mais um trambique financeiros, a empresa pega o dinheiro ganho, faz investimentos(ganhando juros!) e quando a justiça obriga a mesma a pagar os funcionários a dinheiro rendeu e muito(pois a justiça não solicita atualização com tempo de atraso para os trabalhadores!). Isso é uma atividade velha(olhe o tanto de empresas que duram um ano e pede falência?) e a justiça sabe o que ocorre e não faz nada, simplesmente pactua com a ações dos administradores destas empresas. Isso é vergonhoso, imoral e antiético ganhar em cima do sofrimento alheio(sem dinheiro para despesa básicas para viver!).
 
Alexandre de Souza em 15/01/2014 12:28:27
gente...é só acionar o MInisterio do Trabalho...
 
antonienta oliveira em 15/01/2014 11:52:42
Os funcionários da Enecol foram trabalhar na empresa, porque acreditavam no nome da Enersul, que lhe terceirizou os serviços.
Portanto, entendo que a Enersul tem culpa no cartório, e deverá assumir os débitos com os funcionários.
 
VALDIR VILLA NOVA em 15/01/2014 10:18:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions