A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/04/2014 17:44

Trabalhadores da construção civil entram em greve na quarta

Lidiane Kober
Trabalhadores são contra reajuste de 5,39% e lutam por aumento de 30% (Foto: Divulgação/Sintracom)Trabalhadores são contra reajuste de 5,39% e lutam por aumento de 30% (Foto: Divulgação/Sintracom)

Em protesto a recusa de equiparação salarial, os trabalhadores da construção civil de Campo Grande entram em greve, a partir da próxima quarta-feira (23). A categoria pediu 30% de aumento e recebeu dos patrões oferta de 5,39%.

A proposta do Sinduscon-MS (Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Mato Grosso do Sul), não cobre nem sequer a inflação do ano”, criticou José Abelha Neto, presidente do Sintracom CG (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Campo Grande).

A categoria, segundo o sindicalista, pede equiparação com os salários pagos pelo mesmo trabalho em outros estados, como São Paulo. Lá, os profissionais da construção civil, recebem até 30% a mais. Neste sentido, há 70 dias, o sindicato apresentou proposta de 30% de reajuste para quem recebe o piso e 15% para quem ganha acima.

“Eles (o setor patronal) não deram bola e só agora apareceram com 5,39%, uma miséria de reajuste”, comentou José Abelha. Segundo ele, na terça-feira (22), o sindicato vai espalhar a decisão de greve, tomada em assembleia-geral, na noite e ontem (16), para deflagrar a greve no dia seguinte.

“A atividade (assembleia) foi marcada pela participação ativa dos trabalhadores, que, durante o debate, rechaçaram as migalhas oferecidas pelos patrões“, relatou o sindicalista. Para reforçar o movimento, o Sintracom vai contar com o apoio de uma central de trabalhadores e da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Mato Grosso do Sul, a Fetricom/MS.



Só acho injusto que as pessoas que normalmente fazem maior investimento na carreira, se privam mais da liberdade pra estudar, pagam mais INSS, IRPF, maior desconto sindical e conselhos de sua categoria, ainda sejam agraciados com a menor parte do bolo , sempre ficam pra trás no aumento da categoria,há casos que se for parar pra pensar só resta á responsabilidade e os privilégios , pois o ganho não compensa.
 
José Geraldo Rodrigues Silva em 17/04/2014 22:24:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions