A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

04/01/2012 15:05

Trad diz que enfrentou o problema do lixo e promete solução neste ano

Wendell Reis

Prefeito relatou toda a caminhada para resolver a questão do lixo na Capital(Foto:João Garrigó)Prefeito relatou toda a caminhada para resolver a questão do lixo na Capital(Foto:João Garrigó)

“Se não tiver problemas com licitação, entrego no final do ano com o problema resolvido”, declarou o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) ao Campo Grande News quando questionado sobre uma solução para o lixão na Capital. O prefeito ressaltou que os transtornos com o lixo em Campo Grande já duram 30 anos e garantiu que é ele quem resolverá.

Trad Explica que quando assumiu a administração em 2005 resolveu enfrentar o problema e optou por uma solução ambientalmente correta, sem queima ou poluição. A partir disso, foi ao Ministério das Cidades e Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e solicitou recursos para garantir a retirada de 84 famílias do lixão.

Segundo o prefeito, estava tudo certo. Porém, houve uma evolução grande no número de famílias por conta da demanda social, passando de 84 para 306 famílias frequentando o aterro. Diante disso, teve dois problemas: com o lixo e com a questão social. Com o “pepino” nas mãos, o prefeito foi ao lixão e ofereceu a oportunidade dos trabalhadores saírem do lixão e trabalharem com carteira assinada em outro local. Entretanto, para sua surpresa, ninguém aceitou, pois não queriam ganhar um salário inferior ao que conseguia no lixão, que em média é de R$ 1,5 mil.

O prefeito confidenciou que a tarefa foi difícil, mas continuou o trabalho para tentar resolver o problema. Desta maneira, passou a visitar outras cidades, indo a São Paulo-SP, Niterói-RJ, Belo Horizonte-BH e Vitória-ES, onde se interessou pela prática adotada, já que eles possuem usina de processamento de lixo e conseguiram absorver as pessoas que sobrevivem de reciclagem.

Trad revela que foi ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e garantiu o recurso para construir a usina de triagem necessária para absorver estes trabalhadores. Diante disso, chamou os trabalhadores e falou que tinha a solução: Pediu para que eles criassem uma associação ou cooperativa porque atuariam em frente ao aterro, na usina de processamento, comercializando os produtos diretamente com quem recicla.

Encontrada a solução, Trad afirma que enviou alguns trabalhadores a Belo Horizonte para ver como funcionava e trazer dicas para melhorar o projeto a ser desenvolvido em Campo Grande, o que de fato aconteceu, provocando alteração no projeto inicial. “Tudo para implementar uma nova modelagem ao lixão em 2012”.

O prefeito lembra que foi realizada uma audiência pública sobre a destinação do lixo e era a oportunidade para que as pessoas apresentassem solução. Porém, pouca gente compareceu para contribuir. Trad ressalta que teve coragem de assinar um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público e que vai cumprir tudo. Entretanto, afirma que o prazo foi adiado por conta de problemas com o edital para licitação, já que a questão é ampla e deve ser organizada com bastante profissionalismo.

Nelson Trad garante que reforçou a equipe de segurança no lixão para evitar que crianças entrem no local, principalmente no período de férias, quando o risco é maior. Ele afirma ainda que na manhã em que o menino Maikon, 9 anos, morreu soterrado no lixão, uma equipe da secretaria de Assistência Social esteve no bairro para alertar os familiares sobre o perigo de entrar no lixão.

Trad faz qeustão de ressaltar que no bairro existe um Centro de Referência de Assistência Social onde tem uma opção pública social para atender a população. Além disso, relata que construiu um Ceinf (Centro de Educação Infantil) e ampliou todos os outros da região para atender a comunidade. “O problema é de 30 anos e eu vou resolver”, finalizou.



NO MEU BAIRRO NA SAIDA PARA SÃO PAULO, O FUNCIONARIO PUBLICO NÃO SEI DE QUAL O SETOR- FOI LA MORAR, E DAI PARA FRENTE O CAMINHÃO DO LIXO COMEÇOU A RETIRAR O LIXO,DAI,O HOMEM VOLTOU PARA O CENTRO
E CAMINHÃO NUMCA MAIS APARECEU, QUE TAL?.
 
JOSE ALVES DA SILVA em 05/01/2012 09:36:52
Ô Prefeito, o senhor é bonzinho demais da conta! Pulso firme nessa estória deles "quererem o querem e pronto k-bô-ce". As coordenada quem dá é o Chefe do Poder Executivo, o sr. sabe disso! Veja que tem o 'pepino'da "lojas de sucatas"espalhadas pela cidade tbm. Ex.: tem muitas delas no bairro Progresso/Paulista. Foi o tempo em que elas estavam no fim da cidade! Chega deles fazerem gracinha com lixo
 
rose brandão em 04/01/2012 08:27:25
É necessário posto de coleta em TODOS os bairros. Coleto regularmente, mas tenho que levar o lixo a posto de coleta 3 km de minha casa.
TODOS os estabelecimentos que vendem produtos embalados deveriam ser obrigados a recolher embalagens.
Ou a prefeitura espalha caixas de coleta a cada 200 ou 300 metros para que os moradores depositem seus resíduos não biológicos.
Isso é país desenvolvido!
 
Eny Feliz em 04/01/2012 03:32:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions