A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

27/02/2015 16:48

Travesti foi morta há pelo menos dois dias, diz polícia

Michel Faustino
Corpo foi encontrado na manhã de hoje por pessoas que passavam no local. (Foto: Marcos Ermínio)Corpo foi encontrado na manhã de hoje por pessoas que passavam no local. (Foto: Marcos Ermínio)
Segundo delegado, laudo que atesta causas da morte de travesti deve sair em até 10 dias. (Foto: Marcos Ermínio)Segundo delegado, laudo que atesta causas da morte de travesti deve sair em até 10 dias. (Foto: Marcos Ermínio)

Devido ao avançado estado de decomposição do corpo da travesti Ágata Renata, 23 anos, encontrado na manhã de hoje (27) às margens do córrego Imbirussú, entre os bairros Zé Pereira e Vila Almeida, a polícia acredita que a morte tenha ocorrido há pelo menos dois dias.

De acordo o delegado da 7ª delegacia de Policia Civil de Campo Grande, Geraldo Marin, a hipótese de que a travesti tenha sido estuprada e posteriormente jogada no córrego não está descartada , no entanto, a confirmação só deve acontecer em 10 dias após a conclusão do laudo necroscópico.

“Não podemos afirmar a causa da morte neste momento. Por isso precisamos aguardar o exame para ter uma resposta precisa do que realmente aconteceu.”, ponderou.

Conforme o delegado, além do homicídio, a polícia também trabalha com a hipótese de suicídio. Familiares contaram a polícia que a travesti fazia uso de medicamento controlado em virtude de uma depressão profunda e em junho teria tentado se matar.

“A família fala que ela estava muito mal e lembraram que em junho do ano passado ela ingeriu uma quantidade significativa de medicamento na tentativa de se matar”, segundo o delegado, o fato foi registrado pela equipe do Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência na época.

Crime – O corpo da travesti foi encontrado por volta das 11h30 de hoje por pessoas que passavam no local.

Segundo amigos, Ágata Renata era usuária de drogas e costumava se prostituir na Avenida Júlio de Castilho. Ela morava no Jardim Imá e os pais no Conjunto Zé Pereira. O nome masculino é Robson Elias.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions