ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 20º

Capital

“Tristeza, raiva e decepção”, desabafa dona de ótica furtada pela 3ª vez

Ótica fica no cruzamento das ruas Antônio Maria Coelho com a 13 de Maio

Por Viviane Oliveira e Bruna Marques | 25/05/2022 09:55
Policial militar no local enquanto fucionária faz a limpeza para abrir a loja. (Foto: Henrique Kawaminami)
Policial militar no local enquanto fucionária faz a limpeza para abrir a loja. (Foto: Henrique Kawaminami)

Um dia depois de trocar o forro da Ótica Olhar de Prata, Tânia Maria Silva Campos, de 48 anos, foi surpreendida ao chegar na empresa na manhã desta quarta-feira (25) e encontrar tudo quebrado. A ótica localizada no cruzamento ruas Antônio Maria Coelho com a 13 de Maio, no Centro de Campo Grande, foi alvo de bandidos.

Para furtar a empresa, o suspeito entrou pelo telhado e danificou o forro. Além do prejuízo com a estrutura, a comerciante ainda contabiliza quantos óculos foram levados. “Foram furtados óculos de grau, de sol, de várias marcas." Ao ser indagada sobre o que sentiu ao chegar e se deparar com a situação, Tânia respondeu: "tristeza, raiva e decepção".

Forro que foi danificado durante o furto. (Foto: Henrique Kawaminami)
Forro que foi danificado durante o furto. (Foto: Henrique Kawaminami)

Em 9 anos, a empresa já foi alvo dos bandidos 3 vezes. “Essa já é a terceira vez que entram aqui. Na primeira vez, fizeram um limpa. Na segunda, tinha feito compra de R$ 13 mil de mercadorias. Levaram tudo. E agora de novo, havia acabado de reformar a loja”, lamentou.

Tânia disse quem em 9 anos já foi furtada 3 vezes. (Foto: Henrique Kawaminami)
Tânia disse quem em 9 anos já foi furtada 3 vezes. (Foto: Henrique Kawaminami)

Segundo Tânia, o alarme tocou por volta das 5h desta quarta-feira. Ela ligou para o filho, mas ele não estava em casa. Ao chegar na empresa, às 7h40, ela encontrou a porta fechada, tudo normal, aparentemente, mas quando entrou, se deparou com a bagunça.

“Eu troquei o forro de gesso ontem. Paguei R$ 1.200 pelo serviço”, reclamou.

A Polícia Militar foi acionada e pediu para a vítima registrar boletim de ocorrência na delegacia. Ela acredita que os suspeitos são usuários de drogas. "Durante o dia, eles ficam ali, naquela casa abandonada, pode ser que seja um deles", disse.

Imóvel abandonado citado por Tânia durante a reportagem. (Foto: Henrique Kawaminami)
Imóvel abandonado citado por Tânia durante a reportagem. (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias