A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

18/06/2013 13:00

UFMS corta verba de refeição e alunos distribuem macarronada no corredor

Nadyenka Castro e Luciana Brazil
No cardápio de hoje, macarronada e suco de maracujá de graça. A fila foi grande. (Foto: Marcos Ermínio)No cardápio de hoje, macarronada e suco de maracujá de graça. A fila foi grande. (Foto: Marcos Ermínio)
Na parede, informações sobre o protesto que não tem data para acabar. (Foto: Marcos Ermínio)Na parede, informações sobre o protesto que não tem data para acabar. (Foto: Marcos Ermínio)

Em protesto contra o corte de verba destinada à alimentação de 1,2 mil universitários, estudantes da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) distribuíram macarronada no corredor principal da instituição, nesta terça-feira.

“A manifestação vai até que a reitoria faça o remanejamento da verba”, disse o organizador do movimento, Maicon Nogueira, 26 anos, coordenador do DCE (Diretório Central Estudantil).

Maicon explica que nessa segunda-feira os acadêmicos foram informados que a verba destinada ao pagamento de almoço diário de 1,2 mil estudantes no Restaurantes Universitários havia sido cortada.

Com o corte, a partir de hoje, 800 universitários que não pagavam nenhum centavo pela refeição do meio-dia vão ter que pagar metade do preço: R$ 3,30. Os outros 400, que tinham bolsa parcial, terão que tirar do bolso R$ 6,60.

Em protesto ao fim da bolsa integral, estudantes arrecadaram alimentos e fizeram almoço na cozinha do DCE. O cardápio desta terça-feira foi macarronada – ao molho vermelho e ao molho branco – e suco de maracujá.

Os organizadores esperavam de 100 a 200 universitários, mas cerca de 400 foram almoçar no corredor central da UFMS.

Júlia e Jéssica mostram o almoço desta terça-feira. (Foto: Marcos Ermínio)Júlia e Jéssica mostram o almoço desta terça-feira. (Foto: Marcos Ermínio)
Maicon, coordenador da manifestação explica os motivos. (Foto: Marcos Ermínio)Maicon, coordenador da manifestação explica os motivos. (Foto: Marcos Ermínio)

A estudante de Educação Física, Jéssica Arévalo Lopes, 20 anos, pagava só metade do preço da refeição. “Antes tinha o dinheiro fixo todos os dias, agora, ficou ainda pior”, declara.

Júlia Mecchi, 20 anos, também futura educadora física, não era beneficiária da verba, mas, não gostou do corte. “A gente fica revoltado da mesma forma”, fala, referindo-se à indignação de quem, do dia pra noite, passa a arcar com os gastos com refeição.

Burocracia – Maicon explica que para ser beneficiário da bolsa, o acadêmico precisa  informar à reitoria valores da renda familiar, gastos com moradia e apresentar cópia do certificado de conclusão do Ensino Médio.
“Se somos universitários é porque já apresentamos o documento”, indigna-se Maicon, que define a burocracia como “manobra para dificultar o acesso à alimentação”.

De acordo com Maicon, já foi encaminhado à reitoria requerimento pedindo dados sobre gastos da UFMS e cópia do contrato com a terceirizada do RU. Eles também querem a reabertura do edital para o benefício do ‘vale refeição’, que foi fechado há um mês.

A reportagem já entrou em contato com a assessoria de imprensa da UFMS e aguarda retorno.



Carla Correa, acho seu comentário desnecessário, pois sou pobre, estudei em escola pública, ñ fiz cursinho e entrei na UFMS, isso é questão de dedicação e vontade para passar.
Apoio sim o manifesto, apesar de já ter me formado e estar trabalhando, pois tem muita falcatrua nessa UFMS, é hora dos alunos protestarem também, pois desviar dinheiro eles sabem, mas ajudar os alunos com almoço não!!!!! Parabéns ao DCE!
 
Crislaine Oliveira em 19/06/2013 15:47:10
Apoiados Mariana Navarro ,João Carlos..qual pobre que tem o beneficio de estudar o dia todo???? precisamos trabalhar nesse período para ajudar nas despesas em casa,e ai fazemos faculdade particular no período da noite,mesmo cansados de trabalhar o dia todo,não temos direito de nenhum lanchinho grátis não.. vão procurar o que fazer...para mim lanche gratuito só em creches e ensino fundamental..
 
carla correa em 19/06/2013 11:28:10
Vamos reivindicar isso também no protesto!! Esse dinheiro que não foi repassado para o almoço dos alunos da Federal é dinheiro público. Eles tem que justificar porque não foi repassado e pra onde foi o dinheiro!!!!
 
Thais Antunes em 19/06/2013 11:12:23
Mariana Navarro, faço das suas as minhas palavras. Quem é de baixa renda "comprovada" merece sim ter um valor diferenciado ou até de graça. Mas quem não é, tirem do bolso e paguem o valor correto! Pq vcs não fazem protesto na frente do Miça ou da Valley Pub para abaixar o preço da cerveja, das porções?? Lá vcs pagam sem reclamar né!!
Mas a moda agora é protestar? protestem pelo justo, não para levarem vantagem...
 
João Carlos em 19/06/2013 10:18:09
Olha estudar gratuitamente numa universidade já um presente do nosso imposto, agora almoçar de graça com meu dinheiro aí já é pior do o Estatuto de Menor. Eu acho até que muita gente deveria contribuir com serviço depois do término do curso, prestando serviço a comunidade pelo tempo que cursou.
 
luiz alves em 19/06/2013 09:50:46
Cara filhinho de papai? Vocês não vivem lá, não estudam lá, não sabem como é, a maioria do pessoal vem de fora, nossos cursos são integrais, não dá tempo pra trabalhar e se manter na faculdade, o pouco dinheiro é pra pagar aluguel, conta disso e daquilo, não tem carrão, não tem mordomia, não é justo. Agora vir um individuo que paga numa boa de 800 pra mais na mensalidade da faculdade, trabalha, tem casa, tem mãe pra socorrer quando precisa, julgar os estudantes da federal (que passaram lá, não por tempo cursinho mas sim por dedicação durante todo o ensino) já é abuso demais né
 
Beatriz Santana em 19/06/2013 08:52:21
João Carlos em 18/06/2013

Vou te dar um toque, você faz parte da Uniderp, por que não cuida dos problemas de lá, que a gente cuida dos da UFMS. "Vamos lutar pelo que é justo e digno." pode não ser justo e digno pra ti, mas pra muitos que estão lá, é necessário essa luta. E 90% são filhinhos de papai? Não, só acho que a galera de lá estudou pra estar lá, estudei a minha vida toda em colégio público, isso não me impediu de estar lá dentro. Agora, sendo a Uniderp uma universidade particular, onde tu tem q pagar de 600 a 800 reais mensais pra poder estudar, quem são os burgueses? A galera que paga por FIES não conta, mas e o resto? Os burgueses estão ai meu amigo, me desculpe se te ofendi, mas de alguma maneira você nos ofendeu, espero que pense melhor antes de expressar suas opiniões...
 
Lucas Zago em 19/06/2013 00:45:08
Vejamos e convenhamos que a grande maioria dos alunos da ufms tem condições siim!!! pq muito certamente são pessoas que não precisaram trabalhar para ajudar em casa ou se sustentar, por isso tinham o dia livre para estudar, fazer cursinho e muito mais... pode procurar saber, a grande maioria das faculdades particulares quem estuda é gente que trabalha o dia todo pra poder pagar, pq não teve a mesma sorte de ser sustendo pelos pais e se dedicar mais aos estudos.... na federal tem muuuiito filhinho e filhinha de papai sim! que em vez de pagar R$6,00 reais deveriam pagar R$10,00...
 
Mariana Navarro em 18/06/2013 20:18:42
E ainda ALGUNS membros do DCE-UFMS querem mudar o nome de alguns lograutos da cidade porque participou da Ditadura Militar?
Vão colher assinaturas para as melhorias do campus da UFMS e esquecem a bobagem de mudar o nome da rua, avenida...

Já cortaram a verba da refeição, no qual alguns universitários não pagavam nenhum centavo pela refeição do meio-dia. Agora tem que pagar pela refeição. E ainda com preços diferenciados?
Daqui a pouco, qual outra verba que será cortado? Segurança? Infraestrutura? Salários dos funcionários e professores?
 
Marcelo Mattos em 18/06/2013 19:58:24
Gente para terem uma ideia em outras universidades o RU é muito melhor e mais barato UFRGS o almoço é 1,30, na UFF e 0,70 centavos para qualquer estudante, na UFMG o café da manhã é de graça e o almoço é 2,90 e lembrem que esses valores são para estudantes sem bolsa, então por isso eu acho um absurdo pagar 6,60 por um almoço ruim.
 
Lisa Araujo em 18/06/2013 19:05:45
Deveriam mandar uma marmitinha para a reitora com um bilhetinho escrito "persona non grata". Tá igual a Dilma! Parabéns acadêmicos, vamos fazer revolução!
 
DANIELI LOPES em 18/06/2013 18:43:22
Ô universitários, vocês que são beneficiários! Torço para que voltem a receber bolsa que contribui muito, mas não me façam de otário, não gastem o dinheiro que economizaram enchendo a cara nas suas festinhas. Valorize a ajuda que estou te dando. Refiro-me em primeira pessoa porque tem dinheiro meu aí. Sucesso em suas conquistas!
 
Wellyngton Mathias em 18/06/2013 18:37:48
Duro é ver comentários como o do tal João Carlos aí em cima...

Se informe, existem recursos pra isso, o que é feito com esses recursos são outros 500...

Aff...

 
Lelo Marchi em 18/06/2013 18:15:57
TODOS SÃO FILHOS DE PAPAI ???? QUEM NÃO É??? SERÁ QUE É FILHO DO BOTO ?? CADE O DINHEIRO QUE CADA ESTUDANTE TEM DIREITO QUE SÓ PODERIA SER GASTO COM ELE. MAS ......
 
PAULI G DIAZ em 18/06/2013 18:11:13
Parabéns pela atitude, meu grande amigo Maicon. Que você possa lutar por todos os estudantes da UFMS!
 
Felipe Santos em 18/06/2013 17:53:00
Senhor João Carlos, vejo que vc não faz ideia do que é estudar e passar em um enem... Na UFMS a maioria que alí estudam não são filhinhos de papai não... Em sua grande maioria são pessoas pobres que estudaram muito e foram capazes de passar em um enem, pq de outra forma não poderiam cursar uma faculdade, até mesmo pq pagar uma universidade particular seria inviável... Então sai desse mundinho seu e caia na realidade! Vc senhor João Carlos não faz a mínima ideia de que muitos na UFMS precisam e muito dessa bolsa... Então cala essa sua boca e ve se estuda um pouco mais, quem sabe assim consegue passar no enem pra estudar na UFMS. Vc deve ser um recalcado que não conseguiu ingressar na amada UFMS...
 
Aryanna de Freitas em 18/06/2013 17:29:15
Isso sim é um Protesto "Sadio", sendo que estes estudantes estão com toda razão, parabéns pela organização!
Devemos SIM! Protestar, mas gente sem violência e vandalismo! Se não perdemos a nossa razão!
 
Cristiane de Lima Martins em 18/06/2013 17:19:33
Como será que é o café da manhã dos nossos vereadores e deputados hein???
 
Janaina Nascimento em 18/06/2013 16:31:21
pow, mas aí ja é d+... na federal 90% é filhinho de papai e ainda quer comer de graça?? daqui uns dias vão quer verba também para abastecer seus carrões? vamos lutar pelo que é justo e digno, agora querer explorar ja é sacanagem. Na Uniderp, Unaes mais da metade é estudantes de baixa renda e não estão pedindo migalhas por aí. #setocafederal
 
João Carlos em 18/06/2013 15:51:14
Linda iniciativa, uma pena que falta transparência e cuidados com os universitários na nossa cidade e do país, CG vai sair às ruas ou não?
 
Vinícius da Silva de Oliveira em 18/06/2013 15:46:58
Ê coisa linda... Saudade dos meus tempos de UFMS. Certamente iria estar lá ajudando a cozinhar pra moçada! Pressão, pressão, pressão!
Vamos no ato de quinta-feira, hein, estudantada!
 
Suellen Kemp em 18/06/2013 15:32:29
Muitos alunos realmente nao tem condições de pagar...esses sim deveriam receber a refeição gratuita ou parcialmente,agra tm um monte de filinho de papai q vai p balada todo fnds,vive desfilando suas roupas da moda...e ficam exigindo um prato de comida?!ou achando ruim pagar 3 reais....ah fala serio néh?!em vez de investirem em um prato de comida pra qm pode muito bem pagar, podiam melhorar a estrutura da universidade...
 
Mariana Navarro em 18/06/2013 15:26:51
Vou esclarecer como isso funciona!
O governo criou um programa de sustentabilidade em diversos órgãos, ou seja um programa pra economizar dinheiro. Muito bonito na teoria, mas na prática não passa de uma sacanagem. Na UFMS funciona assim: foi montada uma equipe pro projeto http://proinfra.sites.ufms.br/?page_id=90 essa equipe tem que cortar gastos. Então, como a corda sempre arrebenta pro lado mais fraco as ações foram: Diminuir o número de terceirizados (motoristas, limpeza, segurança, assistentes de projeto); Cortar bolsas; Impedir viagens de professores com cortes de diárias e passagens;
 
Pedro Paulo em 18/06/2013 15:13:43
Essa Dilma e o PT estão acabando com tudo que tinha de bom no país, desde que me conheço por gente o RU (restaurante universitário) funciona e bem, macularam a imagem dos Correios com aquela corrupção que deu inicio ao mensalão, agora a Petrobrás ta mal das pernas, que tristeza daqui uns virão mais rombos.
 
joão afonso em 18/06/2013 15:03:42
POR QUE NÃO PIZZA?
 
Meire Pereira de Souza em 18/06/2013 14:41:21
Cortou os gastos com o RU para garantir o salario do Dr Dorsa!!!
 
Klebber Silva em 18/06/2013 14:04:25
Meu Deus que mais que esta faltando acontecer nesse país, agora a pergunta, onde foi parar essa verba????? Só alguns bolsos sabem, VERGONHA UFMS.
 
Franciane Vieira da Costa em 18/06/2013 13:45:27
Aprovado o manifesto dos universitários e principalmente a atitude do Maicon. Mas se querem incomodar o reitor assim como ele os incomodaram, poderiam montar uma churrasqueira na porta da reitoria quando ele estiver lá dentro e botar a carne na brasa ou colocar um fogão e preparar ali mesmo as refeições!
 
Alexandre de Souza em 18/06/2013 13:41:40
Parabéns aos estudantes pelo exercício da democracia. Que suas atitudes sirvam de exemplo para os dirigentes!
 
Rosana Monti Henkin em 18/06/2013 13:22:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions