ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 25º

Capital

UFMS terá R$ 100 mil para elaborar questões para o banco do Enem

Por Aline dos Santos | 30/01/2012 19:31

Conforme portaria publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, o Inep fica autorizado a transferir R$ 100 mil para a universidade

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) vai elaborar questões para o Banco Nacional de Itens do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Conforme portaria publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) fica autorizado a transferir R$ 100 mil para a universidade. Do banco, saem as questões para as provas.

Ano passado, depois que alunos de um colégio de Fortaleza (Ceará) tiveram acesso antecipado a 14 questões, foi cobrado que o MEC (Ministério da Educação) amplie o banco de questões.

O repasse de recursos vai custear despesas com a infraestrutura (sala específica, câmera), apoio técnico e operacional, capacitação e supervisão da equipe de elaboração e revisão de itens.

Os integrantes da equipe, por sua vez, terão que assinar termo de sigilo e responsabilidade. Eles ficam proibidos de utilizar ou divulgar os instrumentos elaborados, revisados ou corrigidos,sob pena de responder na esfera administrativa, cível e penal.

O banco tem cerca de dez mil questões e a meta é chegar a 100 mil. O Inep publicou no dia 28 de março de 2011 um edital convocando as Instituições Públicas de Educação Superior para colaborarem, por intermédio do seu corpo docente, no processo de elaboração e revisão dos itens.

Cadastraram-se 59 instituições de Educação Superior, sendo 42 federais, 16 estaduais, e uma municipal. Conforme a assessoria de imprensa do Inep, 26 instituições federais já assinaram o termo de cooperação.

O processo – Quando o professor conclui o trabalho, insere a questão no computador. A partir daí, cabe a um revisor, desconhecido do professor-formulador, avaliá-la. Atendidos os parâmetros solicitados, o item vai para o banco do Inep. Caso não atendidos, a questão é devolvida ao professor, com informações sobre o que deve ser melhorado.

Caso o Inep aceite o item, ele é registrado em rede segura, com acesso restrito e sigilo. A partir daí, as questões estão prontas para a fase de pré-teste.

Problemas em série - Criado em 1998, o Enem ganhou importância nos últimos anos ao se tornar pré-requisito para os interessados em bolsas de estudo do Prouni (Programa Universidade para Todos). Em 2009, passou a substituir o vestibular de boa parte das instituições públicas de ensino superior.

Contudo, nas últimas edições foram vários problemas. No ano passado, a PF (Polícia Federal) indiciou um professor e um funcionário do Colégio Christus, de Fortaleza, pelo vazamento das questões. Em 2010,houve erro na montagem de um dos cadernos e os estudantes tiveram que refazer a prova. Em 2009, a prova foi roubada.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário