ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, DOMINGO  07    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Uma semana após crime, suspeito de assassinar namorada continua foragido

Equipes da Deam e do GOI procuram Hércules Alves de Souza desde o dia 28 de setembro

Por Geisy Garnes | 05/10/2020 16:42
Hércules está foragido e é procurado pela polícia de Mato Grosso do Sul (Foto:Divulgação)
Hércules está foragido e é procurado pela polícia de Mato Grosso do Sul (Foto:Divulgação)

A polícia segue as buscas por Hércules Alves de Souza, 21 anos, principal suspeito de matar a namorada Yasmin Beatriz Almeida Guedes, 18 anos, na noite do dia 28 de setembro, na região do Jardim Colibri, em Campo Grande. O rapaz é foragido da justiça desde o começo do ano, quando fugiu do Centro Penal Agroindustrial da Gameleira.

Hércules e Yasmin namoravam desde a adolescência e chegaram a ser detidos juntos em 2017, quando a jovem ainda era menor de idade. Na época, eles foram flagrados com um Chevrolet Montana roubado, munições calibre .765 e uma nota de R$ 50 falsa. Como já tinha 18 anos, o rapaz foi preso por posse ilegal de munição e confessou que receberia R$ 1 mil para levar o carro para o Paraguai.

Ele chegou a ficar no regime fechado, mas ganhou progressão de regime. No início deste ano, a justiça foi informada que Hércules não estava cumprindo a pena e ele passou a ser considerado foragido do sistema carcerário.

Desde o dia 28, ele também é procurado pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) pelo assassinato da namorada. Ao Campo Grande News, a delegada Anne Karine Sanches Trevizan explicou que a principal hipótese é de que Hércules está recebendo ajuda para permanecer escondido.

Yasmin também respondeu ao flagrante de 2017, mas como menor infratora e foi considerada testemunha no processo do namorado. No dia em que foi morta, deveria comparecer ao Fórum de Campo Grande para as audiências judiciais do caso.

Depois de sua morte, parentes e amigos da jovem revelaram detalhes da relação dos dois. Para a reportagem, a madrinha de Yasmin contou que quando a família decidiu se mudar para Curitiba, no Paraná, a afilhada escolheu permanecer em Campo Grande só para ficar perto do namorado. No Facebook, a mãe da vítima escreveu mais de uma vez que a filha amava o assassino.

Nas redes sociais, uma amiga de Yasmin deu indícios de um relacionamento conturbado ao citar que a vítima “xingava” o namorado com frequência e chegou a insinuar que o crime foi premeditado. “Mas ela não tinha coragem de fazer o que ele fez com ela. Ligou chamando para dormir com ele. Ela foi sem intenção alguma, para chegar lá ele matar. Que crueldade, ninguém merece a morte”, escreveu.

Quem tiver informações sobre o paradeiro do suspeito deve entrar em contato com a polícia (Foto: Divulgação)
Quem tiver informações sobre o paradeiro do suspeito deve entrar em contato com a polícia (Foto: Divulgação)

A motivação do crime ainda é investigada pela delegacia especializada, que além das buscas pelo suspeito, também ouve testemunhas do assassinato. Pelo menos oito disparos de um revólver calibre 32 atingiram Yasmin no dia 28 de setembro. Ela foi encontrada caída na Rua João Trivellato, com um capacete cor-de-rosa ainda na cabeça.

Quem tiver informações sobre o paradeiro de Hércules deve entrar em contato com a Deam, pelo telefone (67) 4042-1324 / Ramal 1311 e com o GOI (Grupo de Operações e Investigações), pelo número 99987-9035.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário