ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Vacinas infantis chegam à Capital e imunização começará neste sábado

Carregamento com 18,3 mil doses do imunizante da Pfizer chegaram hoje ao Aeroporto Internacional da Capital

Por Silvia Frias e Adriel Mattos | 14/01/2022 17:33
Vacinas infantis da Pfizer chegaram esta tarde em Campo Grande (Foto: Adriel Mattos)
Vacinas infantis da Pfizer chegaram esta tarde em Campo Grande (Foto: Adriel Mattos)

Chegou há pouco, em Campo Grande, o carregamento com 18,3 mil doses de vacinas infantis, da Pfizer, que serão distribuídos às prefeituras de Mato Grosso do Sul. Inicialmente, a carga deveria ter chegado no fim da manhã, mas houve alteração nos planos do Ministério da Saúde.

Os imunizantes chegaram em voo da Latam, às 17h15, proveniente do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP). A carga foi levada em um furgão da SES (Secretaria Estadual de Saúde) para a CEVE (Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica) da SES (Secretaria Estadual de Saúde). De lá, serão separadas e distribuídas aos representantes de cada prefeitura,  o que já começou no fim da tarde.

Em Campo Grande, o lançamento oficial da campanha de imunização das crianças será na UBSF (Unidade Básica da Saúde da Família) São Benedito, na rua do Seminário, às 8h30. O calendário completo, com todos os locais de vacinação será divulgado ainda hoje pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e, segundo assessoria, nas outras unidades, a campanha começará às 10h.

Carga será levada para Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica do governo estadual (Foto: Paulo Francis)
Carga será levada para Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica do governo estadual (Foto: Paulo Francis)

Em Campo Grande, serão destinadas 4.310 doses da vacina para crianças de 5 a 11 anos. O total de 18,3 mil atende apenas 3% da demanda do Estado, já que existe público estimado em 300 mil crianças na faixa etária prevista para imunização.

A vacinação em Mato Grosso do Sul leva em conta decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), de 16 de dezembro de 2021, que permite a imunização deste público, além de posicionamentos do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunizações da Covid-19.

Vale ressaltar que as crianças têm de estar acompanhadas dos pais ou levarem termo de consentimento por escrito

As crianças com comorbidades, indígenas e quilombolas, e que vivem em lar com pessoas de alto risco para casos de covid-19 serão priorizadas, antes da adoção da vacinação por idade, que deverá começar entre 10 e 11 anos e ir reduzindo a faixa etária pouco a pouco, conforme a demanda e oferta de vacina pela rede pública.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário