A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/10/2013 15:15

Vizinho é suspeito de estuprar criança e mulher é vitima de amigo do marido

Lidiane Kober

A Polícia Civil de Campo Grande investiga estupro de uma menina de 4 anos e de uma mulher, de 22. O primeiro caso aconteceu por volta das 20h25 de segunda-feira (7), no Bairro Guanandi, e o crime contra a jovem teria ocorrido na madrugada desta terça-feira (8), no Loteamento Rancho Alegre, após uma festa. A vítima acusou o amigo de seu marido de cometer o ato.

O primeiro caso foi denunciado pela mãe, após a filha de 4 anos reclamar de dores no órgão genital. O crime, segundo relato à Polícia Civil, ocorreu enquanto a criança brincava na casa dos fundos da vila. Na ocasião, o vizinho colocou o colchão no chão da sala e deitou-se do lado da menina, passou a mão em seu corpo e colocou o dedo no órgão genital.

Enquanto ele abusava da filha, a mãe não estava em casa e, ao chegar, desconfiou do ato, após sentir “um cheiro forte” nas roupas da criança. A suspeita aumentou depois de a menina reclamar de dores. Na mesma hora, ela foi questionar o vizinho, que confessou o crime.

Por meio do telefone 190, a mãe acionou a polícia e relatou o fato à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga. O caso foi encaminhado para investigação da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) e o suspeito foi conduzido, nesta terça-feira, ao Presídio de Segurança Máxima e responderá pelo crime de “estupro de vulnerável”.

Na festa – No outro caso, a história começou por volta das 16h de ontem, quando uma amiga da jovem de 22 anos a convidou para uma festa. À noite, as duas foram ao Loteamento Rancho Alegre e se encontraram com outra mulher e mais três homens.

Os seis permaneceram na casa, consumindo bebida alcoólica e ouvindo música até por volta das 3h30. Depois, restaram apenas a vítima e o dono da casa, amigo de seu marido, que, na ocasião, estava viajando a trabalho.

Segundo relato à Polícia Civil, a jovem declarou chamar um mototáxi para ir embora, quando o homem a impediu e a arrastou pelas vestes até o quarto. No local, ele teria dominado a mulher, arrancado suas roupas e consumido o estupro sem o uso de preservativo.

Finalizado o ato, o homem ainda teria dito, “agora que você está cheia pode ir embora”. Ainda à polícia, ela disse ter pensado que poderia confiar no suspeito “por ser amigo de seu marido”. O caso foi encaminhado à Deam (Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher) e foram solicitados pedidos de exame de conjunção carnal e ato libidinoso diverso da conjunção carnal à criança e à jovem.



Parem com essa imbecilidade de justificar o ato do estuprador. "Ele é homem e a carne é fraca". Tiremos todos nossas roupas e voltemos a selvageria ancestral então! Estamos em uma sociedade teoricamente organizada e todos têm que ser respeitos. Mas é claro, ela é mulher, estava sem o marido e bebendo, certamente queria ser estuprada. Mulheres que pensam assim, saibam que um estupro pode ocorrer a qualquer momento, até na sua casa. Homens que pensam assim, imaginem se sua irmã, esposa avó etc. passar por isso, você realmente vai achar que a culpa é dela? Não, estupro não é normal, NUNCA é justificável e NUNCA é culpa da VÍTIMA!
 
Thiago Mateus em 09/10/2013 11:44:10
Essas mulheres tem de entender ou parar de fingir não entender o que é situação de risco...sem marido + festa+ bebidas+ pessoas desconhecidas+ amigo de marido?= confusão.
O outro caso justiça não perca tempo, acabe com o seguro nas prisões, a constituição mesmo fala que todos são iguais, deixa o sujeitinho no meio da malandragem...
 
sandra lima em 09/10/2013 01:39:15
Bando de machistas, então uma mulher beber sozinha com um homem, independente de ser casada ou solteira é motivo para ser estuprada? Continuem culpabilizando a vítima, uma hora será alguém querida e amada por vocês e então sentirão na pele o preconceito da sociedade misógina.
 
Afonso Netho em 08/10/2013 19:19:05
Vivemos em uma sociedade machista e cruel. Quando li a reportagem, já estava adivinhando o teor dos comentários culpando a vítima. Era mulher, saiu sem o marido, bebeu, obviamente estava pedindo para ser estuprada. De certo até queria. Bem feito para ela. Tenho nojo das pessoas que têm essa mentalidade tacanha. É por isso que grande parte das agressões sexuais sequer chegam a ser reportadas para a polícia. As mulheres já estão bem cientes do pré-julgamento que recebem, seja da polícia, dos profissionais da saúde, seja do "honrado" restante da população. Pensam que se ela estivesse em casa, cuidando das camisas do marido, isso não tinha acontecido, não é? A maioria das agressões sexuais são cometidas por conhecidos, por pessoas em quem a mulher confia. A matéria é exemplo disso. Machistas!
 
Andressa Belanda em 08/10/2013 18:29:16
Tirando o fato hediondo que ocorreu com a menor, o outro fato é quase hilário. Será que esse marido que está viajando a trabalho, iria aceitar essa história. Mulher com marido viajando, tomando todas, sozinha na casa de um outro cara em plena madrugada. Como dizia um saudoso radialista: "Minhoquinha esperta, não atravessa galinheiro".
 
Valter Oliveira em 08/10/2013 17:20:30
Só uma observação: O QUE UMA MULHER CASADA FICA FAZENDO ATÉ AS 03:30 DA MADRUGADA NA CASA DO "AMIGO DO MARIDO" BEBENDO E AINDA POR CIMA SEM O MARIDO?
HISTÓRINHA MAL CONTADA.....
 
Diva Nariely em 08/10/2013 17:14:06
3 mulheres foram encontrar 3 homens. Beberam, beberam, ouviram músicas, e de madrugada 2 homens e 2 mulheres foram embora. Ficaram sozinhos 1 homem e 1 mulher que participaram da festança. Com certeza estavam com a cabeça inchada de tanta bebida. O homem é amigo do marido da mulher, mas ninguém é de ferro. Estava na cara que a história terminaria assim. Agora não adianta chorar o leite derramado.
 
VALDIR VILLA NOVA em 08/10/2013 16:47:43
No caso da criança ainda vá lá não saber se defender mas uma jovem de 22 anos na casa de outra pessoa até tarde da noite em plena uma segunda feira e sendo casada estava pedindo
a um ditado que diz que a ocasião faz o ladrão se ela estivesse em casa isso não teria acontecido ainda mais com o marido trabalhando.
 
Teodoro Macedo em 08/10/2013 16:14:12
Se os caras não tem dinheiro pra pagar uma "profissional do sexo" até aí tudo bem, mais, Poxa, tanta mulher se oferecendo de graça por aí, quase pagando pra levarem elas pra cama, e os cara de pau, mau caráter ainda fazem isso??!! Já a mãe da criança não vê televisão, não sabe o que anda acontecendo??? Tenho uma menina da mesma idade, e ela não fica sozinha com ninguém, muito menos brincar ou ir à casa dos outros sem a minha supervisão, desde muito pequena já falo pra minha filha onde ninguém deve toca-la, falo q só eu posso mexer na hora do banho pra lavar e mais ninguém com excessão da vó q cuida dela tb. É dever da mãe ensinar isso ao seu filho ou filha!! Isso tudo foi uma Baita falta de atenção e cuidado dessa mãe!! Lamento pela pobre criança......
 
triciane vituri em 08/10/2013 16:04:15
História mal contada.
 
fabio luiz em 08/10/2013 15:58:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions